Exigir demais de si: o que acontece com quem se cobra muito?

96
perfeição

Seja qual for a visão que você tenha do conceito de perfeição, todos nós temos uma área em que exigimos muito de nós mesmos. Assim, buscamos o perfeccionismo, seja na academia ou no trabalho, nas relações pessoais, em qualquer esporte, até na manutenção de uma determinada imagem. Mas exigir demais de si é uma atitude perigosa.

Todos nós gostamos de ter bons resultados no que fazemos ou de sentir que as coisas estão indo bem porque nos esforçamos muito. No entanto, onde está o limite entre a aspiração de fazer bem e a exigência de fazer com perfeição?

Em outras palavras, onde está o limite entre a aspiração à perfeição, que é uma coisa boa, e “colocar fardos esmagadores nas suas costas”, como Jesus criticou os escribas e fariseus no Evangelho?

Positivo ou negativo

Parece que exigir demais de si é algo positivo, pois nos impulsiona a melhorar. Porém, ao contrário de uma demanda saudável, a hiperexigência se baseia na baixa autoestima e na competitividade contra nós mesmos. Na verdade, a mensagem interna que se esconde por trás de cada pessoa hiperexigente é: “o que eu faço sempre pode-se melhorar e, portanto, tenho que melhorar até que fique perfeito”.

Ou seja, em última análise, trata-se de uma falta de aceitação dos próprios limites. Como consequência, acaba-se impondo cada vez mais fardo à vida. Enfim, acaba-se sentindo continuamente insatisfeito e sentindo grande frustração por nunca atender a expectativas tão elevadas.

O perigo de exigir demais de si

A partir dessa atitude, podemos cair em alguns perigos que acabam nos prejudicando e que também prejudicam aqueles que nos cercam:

  • Cair em comportamentos autodestrutivos, como autocensura, culpa e punição por não ter sido capaz de atender às próprias expectativas. Ou seja, acaba-se caindo na intolerância ao erro.
  • Ser tão intransigente com os outros quanto consigo mesmo. Assim, acaba-se exigindo mais do que pode ser dado. Portanto, espera-se que os outros sejam como nós queremos.
  • Acaba-se adiando tarefas. Embora pareça contraditório, uma vez que podemos assumir que a hiperexigência leva à execução da ação, às vezes, o objetivo pode se tornar tão ambicioso que pode ser muito difícil alcançar o resultado esperado. Portanto, como as metas intermediárias não são uma opção, muito tempo pode ser perdido planejando e organizando.
  • O excesso de necessidade de controle diante do medo da incerteza, do inesperado ou das mudanças. De fato, isso é algo que leva essas pessoas a tolerarem com dificuldade o que não está em suas mãos.

Algumas ideias que podem te ajudar

  • O conceito de “perfeição” varia dependendo de onde você coloca o foco: no resultado ou no processo. Nesse sentido, talvez você observar o crescimento que tal tarefa implicou. Isso ao invés de avaliar uma tarefa apenas pelo resultado final.
  • Aprenda a abrir mão do resultado perfeito. Acima de tudo, isso pode se tornar um alívio e um descanso para você. Portanto, aceite que você é limitado, que sempre pode fazer melhor, mas que as circunstâncias atuais permitiram que você chegasse lá.
  • Seja especialmente compreensivo consigo mesmo. Ou seja, no dia a dia, pode haver fatores que o tornam menos eficiente. Mas lembre-se: aceite que o seu crescimento não acontece da mesma maneira todos os dias.