Convertei-vos e crede no Evangelho!

171
Convertei-vos e crede no Evangelho!

O tempo da Quaresma teve seu início na Quarta-Feira de Cinzas e tem a duração de quarenta dias, nos reportando aos quarenta dias que Jesus foi tentado no deserto e os quarenta anos que o povo de Deus levou para atravessar o deserto e chegar à terra prometida. O número 40 aparece muitas vezes na Escritura.

O itinerário quaresmal iniciado na última quarta-feira vai até a celebração da Missa da Ceia do Senhor, exclusive. A celebração do tempo da Quaresma tem como principal objetivo nos levar a meditarmos sobre a entrega de Jesus na cruz e nos mostrar que a partir da entrega d’Ele na cruz, nos vem a ressurreição. A páscoa cristã tem como objetivo mostrar a passagem da morte para a vida, diferentemente do povo judeu que é da escravidão para a liberdade.

Neste primeiro Domingo, acompanharemos Jesus sendo levado ao deserto e sofrendo as tentações. Logo após o batismo realizado por João, o Espírito Santo conduz Jesus ao deserto para sofrer as tentações e Ele permanece fiel ao batismo que acabara de receber e resiste às tentações do diabo.

Por isso, somos convidados nesse Domingo a sermos fiéis ao batismo que recebemos e tomarmos posse do Espírito Santo que habita em nós e vencer todas as tentações que o diabo queira impor sobre nós. Que possamos nos converter a Cristo e ter em nós os mesmos sentimentos d’Ele. Que possamos nesse Domingo adentrarmos ao deserto com Jesus e aprendermos dele a obediência ao Pai.

Nesse tempo de conversão e reconciliação com Deus, somos convidados a morrer para o pecado e ressurgirmos para uma vida nova. Por isso, durante esse tempo quaresmal, nos arrependamos de nossos pecados e façamos uma sincera conversão ao amor de Deus. Aproveitemos o tempo da Quaresma para fazermos uma boa confissão e chegarmos de maneira diferente do que entramos agora na Quaresma, no Domingo de Páscoa.

A Primeira Leitura de hoje (Gn 9,8-15), nos mostra a aliança que Deus fez com Noé e com sua família. O pecado havia tomado conta da terra, as pessoas estavam longe de Deus e não temiam mais ao Senhor. Por isso, Deus decide mandar o dilúvio sobre a terra, para devastar tudo e recomeçar novamente, para ver se o novo tempo que seria instaurado, seria diferente. Assim Deus faz uma aliança com Noé, sua família e os seres vivos que estavam com ele na Arca e promete não fazer mais nenhum mal na terra e nenhuma criatura seria destruída pelo dilúvio.

O Salmo Responsorial 24(25) nos diz em seu refrão que verdade e amor são os caminhos do Senhor, ou seja, Ele nunca nos pune em proporção às nossas faltas, mas olha para nós com misericórdia e direciona ao bom caminho os pecadores.

Na Segunda Leitura, (1Pd 3,18-22), Pedro diz que Jesus morreu uma vez por todas na cruz a fim de nos salvar e de nos conduzir a Deus. Sofreu a morte na existência humana, mas foi salvo pelo Espírito Santo. O batismo é a nossa salvação, pois por meio dele recebemos o Espírito Santo e nos faz obter uma boa consciência em virtude da ressurreição de Jesus.

No Evangelho de São Marcos (Mc 1,12-15), o evangelista narra a cena em que Jesus é conduzido pelo espírito ao deserto e ali permaneceu durante quarenta dias e foi tentado por satanás. Vivia entre os animais selvagens e os anjos o serviam. Após passar esse período de quarenta dias, Jesus inicia a sua vida pública e começa a percorrer toda a Galileia pregando: “Convertei-vos e crede no Evangelho!”. 

Após ser tentado no deserto, Jesus irá anunciar o Reino de Deus como foi proclamado na teofania do batismo que recebeu de João. E se ele venceu o mal e foi obediente a Deus, nós também podemos ser. Somos chamados a assumir o seu batismo e a pertença filial a Deus. Jesus diz que o tempo se completou e o Reino de Deus está próximo de vós, Ele mesmo é o reino de Deus e o tempo para anunciar esse reino já chegou.

Nos dias de hoje, também, se completou esse tempo, a hora é agora, o momento é hoje, de anunciar o Reino de Deus e de assumirmos a nossa pertença filial a Ele. Façamos como Jesus e anunciemos a muitas pessoas esse reino e possamos conduzir muitos ao encontro com Deus.

Celebremos com alegria esse primeiro domingo da Quaresma, tendo no coração a certeza, de que não pararemos na sexta-feira da paixão, mas chegaremos no Domingo de Páscoa. Tenhamos a certeza de que Deus habita em cada um de nós. Amém.

Orani João, Cardeal Tempesta, O. Cist.

Arcebispo Metropolitano de São Sebastião do Rio de Janeiro, RJ