A camisa amarrotada

216

Certa vez, um homem, casado havia dois anos, foi de manhã para o seu trabalho no escritório, e lá percebeu que a camisa estava mal passada. Tinha quinas e rugas. Por isso, teve de usar paletó a manhã inteira, apesar do calor.

Chegando a sua casa para o almoço, deu uma bronca na esposa. Ela respondeu: “Durante dois anos eu passei as suas camisas como você gosta e você nunca me agradeceu. Um dia só que errei, você me trata assim?!”

O pior é que agimos dessa forma com Deus. Passamos um ano inteiro com saúde e não lhe agradecemos. É só ficarmos doentes, pronto, reclamamos contra ele.

Maria Santíssima era agradecida. O mais belo poema de agradecimento que existe é o Magnificat. Ali ela agradece a Deus até o que, naquele momento, ele ainda não tinha feito. Que ela nos ensine a sermos gratos ao próximo e a Deus.