Educar os filhos na adolescência

Jovens adolescentes educados com responsabilidade

Educar os filhos para a responsabilidade

O adolescente e a responsabilidade

Os adolescentes praticam atos que, a princípio, podem nos parecer triviais e aos quais não podemos dar muita importância : um dia colam em um exame, outro dia “se exibem” tendo roubado algo em uma loja de departamentos ou é o herói da turma por ir a uma festa depois de ter mentido para os pais. Podemos pensar, “coisas adolescentes”; sim, claro, mas de adolescentes irresponsáveis.

Incutir um senso de responsabilidade nos adolescentes requer a explicação de certos comportamentos para que eles possam assumir as consequências de suas ações. A responsabilidade tem dois requisitos: liberdade e norma.

Responsabilidade refere-se à virtude ou disposição habitual de assumir as consequências das próprias decisões , respondendo por elas a todo o tempo. Mas, para que alguma responsabilidade possa ser atribuída , são necessários pelo menos dois requisitos:

-Liberdade : para que haja responsabilidade, as ações devem ser realizadas livremente. Nesse sentido, nem os animais, nem os loucos, nem as crianças pequenas são responsáveis ​​por seus atos, pois carecem do uso da razão e isso é essencial para a liberdade.

-A regra : deve haver uma regra a partir da qual os fatos possam ser julgados. Podem ser as regras estabelecidas em casa pelos pais,as leis do Estado ou as normas morais pelas quais cada pessoa é governada.

Para reconhecer algo, você deve primeiro saber.

Um erro comum é exigir de nossos filhos comportamentos que não “explicamos” anteriormente. Assim, por exemplo, podemos proibir um filho de assistir televisão durante a semana “Porque eu sou seu pai e o que eu digo é feito aqui.” Logicamente, na primeira oportunidade que estiver sozinho, não hesitará em colocar a sua série preferida, pois já se sente mais velho e o seu raciocínio será: “vejo porque quero”.

Se, pelo contrário, explicarmosque se ele chega da escola e antes do jantar, ele só tem, na melhor das hipóteses, três horas para fazer sua lição de casa – no ESO eles tomam muito trabalho de casa – e dedica uma terceira para assistir televisão, mais um tempo para falar. o telefone com os amigos, outro para um lanche, alguns minutos para organizar o dever de casa, etc., etc., você terá uma hora curta e provavelmente não conseguirá terminar a tempo. Esta explicação, em que o filho sente que procuramos o seu bem e não impomos a nossa vontade , o ajudará a raciocinar e a compreender que “não é aconselhável perder tempo no dia-a-dia diante da televisão”.

Ocasiões para exercer responsabilidade

É óbvio que, para desenvolver responsabilidade, responsabilidades devem ser dadas. Se superprotegermos nossos filhos e evitarmos as tarefas que eles podem realizar, não os deixaremos crescer como pessoas. Os adolescentes, entre outras, podem ter as seguintes responsabilidades:

– Fazer todos os deveres de casa sem ser lembrado.
– Arrume seu quarto , incluindo os armários e a cama bem feita.
– Organize suas festas de aniversário.
– Vá para as atividades extracurriculares com o equipamento adequado.
– Arrumação e higiene pessoal. Banho diário deixando o banheiro limpo.
– Lavar pratos, tirar o pó, esfregar o chão.
– Dobre epegue suas roupas.
– Prepare o almoço e um lanche. Cozinhe refeições simples.
– Organize seu lazer e tempo livre.
– Traga as chaves da casa.
– Anote coisas que estão faltando na lista de compras .
-Faça compras.
– Organize seus livros e seus CDs de música.
– Prepare sua mala quando for fazer uma excursão ou acampar.
– Vá para a cama em um horário razoável.
– Levantar- se na primeira vez que são chamados ou acertar o despertador

Duas desculpas para evitar responsabilidades

Para evitar responsabilidadesDiante dos outros, é comum culpar outra pessoa, ou dizer “Sou livre e faço o que quero”, querendo expressar que não sou responsável por meu comportamento perante ninguém. Obviamente, a liberdade humana não funciona assim.

Para remover a responsabilidade por sua própria consciência, um recurso comum é evitar refletir: atordoar sua cabeça até que você não consiga mais pensar. Outro sistema é dizer “Eu passo tudo” ou “Não importa para mim”. Mas a consciência tentará protestar contra esse descuido.

Aprenda a ser responsável

Entre 6 e 12 anos, ou seja, durante o Ensino Fundamental, temos que estimular nossos filhos a aprenderem a ser responsáveis ​​para que pensem em cada ação, vejam os prós e os contras, e fazendo uso de sua liberdade, escolham o que são melhor para eles, não o que mais desejam.

O medo da responsabilidade supõe uma visão desfocada da liberdade, não valorizando que os compromissos vinculam, mas ao mesmo tempo protegem. Aprender a ser responsável é assumir que os compromissos são bons, amadurecem e dão-nos a alegria de ser coerentes com as nossas decisões, apesar do esforço que elas podem implicar.

Como desenvolver responsabilidade nas crianças?

1. Aumentar a capacidade de orientação, permitindo-lhe agir com autonomia e iniciativa, atribuindo-lhes responsabilidades.
2. Dar respostas frequentes para que saibam como estão, reconhecendo com clareza o que está bem feito, de forma a gerar autossatisfação.
3. Ajudá-los a refletir e pensar, conscientizando-os das consequências de seus atos. O objetivo da educação para a virtude é justamente integrar razão, vontade e sentimento, na atuação de cada pessoa.
4. Falar com eles desde muito jovens e fazer com que seja mais fácil para eles ouvi-los sozinhos, com uma escuta ativa. A comunicação e o diálogo familiar é um pilar fundamental que facilita a proximidade com as crianças em um clima de confiança, no qual delas sai o que querem.
5. Com tarefas específicas que exercem responsabilidade:
– Ter atribuições que facilitem a união familiar e um clima positivo, relacionado ao bom funcionamento da casa graças ao esforço de cada um em cumpri-la bem e na hora certa.
– Cuide de suas coisas, como preparar sua mochila, sua roupa, sua bolsa de viagem *
– Arrume seu quarto, inclusive arrume sua cama.
– Ter e cumprir um cronograma de estudos, em ambiente tranquilo que facilite um trabalho bem executado.
– Cuide de um bebê ou irmão mais novo.

A criança obediente nem sempre é responsável

É verdade que, muitas vezes, quando os filhos aprendem a ser responsáveis, responsabilidade se confunde com obediência, pois cumprir ordens não significa ser responsável. Às vezes, quando você obedece, isso pode ser feito para agradar a outra pessoa, evitar punições, obter um privilégio, etc. Aqui, tanto a motivação quanto a decisão são externas à criança. No entanto, a pessoa age com responsabilidade ao decidir o que fazer e motiva-se a fazê-lo, o que implica uma aceitação pessoal e livre, com uma motivação interna para o cumprimento dessa ordem.

É por isso que quando uma criança age devido a obrigações impostas, ela não experimenta o sucesso ou o fracasso como consequência da decisão pessoal tomada que a leva a se comprometer com responsabilidade. E estar certo e errado é necessário para ser responsável. Por exemplo, quando diante de quaisquer meios tecnológicos – TICs – vemos apenas os riscos e perigos destes e proibimos as crianças sem raciocinar por que, ou ensinando-as a usá-los com responsabilidade e liberdade, mostrando-lhes tanto as vantagens que têm quanto suas riscos e perigos, as crianças podem obedecer por obrigação; Mas à medida que crescerem e chegarem à adolescência, não entenderão nossa proibição às TICs, se sentirão curiosos e de uma forma ou de outra (quando estão sozinhos em casa, quando vão à casa de um amigo,

Fatima Calzado

AJUDE A MANTER O SITE NO AR !

Nosso site tem uma divida mensal e a cada dia está mais difícil manter o site no ar. Doe qualquer valor e você ira muito ajudar na manutenção e permanência do site no ar ! O seu gesto de amor ajudara muitos catequistas que visitam nosso site

FAÇA UMA DOAÇÃO DE QUALQUER VALOR

PIX CHAVE CPF: 16800472808
RESPONSAVEL: Anderson Roberto Fuzatto

ou

PIX CHAVE EMAIL: [email protected]
RESPONSAVEL: Anderson Roberto Fuzatto

Deus te abençoe !