São Bento, abade

194
são bento e sua medralha com a oração

“Agora, pois, ergamo-nos, finalmente. A Escritura nos desperta dizendo: ‘Esta é a hora de levantar-nos do sono’” (Prólogo da Regra de São Bento).

Dia 11 de julho, celebramos a memória de São Bento Abade, padroeiro da Europa. São Bento, nasceu em Núrcia, próximo a Roma, por volta do ano de 480 d.C. Filho de família nobre, foi enviado a Roma para estudar, no período de decadência do Império. Porém, o jovem Bento abandonou os projetos com o declínio do Império, onde retirou-se para as montanhas da Úmbria a viver isolado em uma gruta, numa vida eremita, onde dedicou-se a oração, meditação e demais atos de exercícios para a santidade, permanecendo três anos longos anos.

Bento inspirou outros jovens a cultivar os valores cristãos, onde através deste movimento e com o amadurecimento da ideia de fundar um mosteiro na região sul de Roma, ergueu o maior centro de vida Beneditina, o Mosteiro de Monte Cassino. Além deste, outros dozes mosteiros foram fundados, difundindo a vida comunitária e a Regra de São Bento, onde esta era baseada nos ensinamentos escritos pelo próprio santo de acordo com os ensinamentos de Jesus Cristo, em que, a Regra, era aplicada e moldada de acordo com a capacidade e limitação de cada um.

São Bento, tinha como o lema principal “Oração e trabalho” – “Ora et labora” – “O ócio – escreveu São Bento na Regra – é inimigo da alma. Por isso, os irmãos devem dedicar-se, em determinadas horas do dia, ao trabalho manual e, em outras, à leitura dos livros que contêm a Palavra de Deus”. Oração e trabalho não se contrapõem, mas estabelecem uma relação de simbiose. Sem a oração não é possível encontrar a Deus. A vida monacal, definida por São Bento como “uma escola de serviço ao Senhor”, não pode prescindir do compromisso concreto. O trabalho é uma extensão da oração. “O Senhor – recorda São Bento – espera, todos os dias, a nossa resposta concreta aos seus santos ensinamentos”. (https://www.vaticannews.va/pt/santo-do-dia/07/11/s–bento-abade–padroeiro-da-europa.html – acesso em 08 de jul. de 2020).

“Os mosteiros beneditinos tornaram-se centros de referência e deles saíram vários nomes e ícones da Igreja Católica. Ao todo, foram 23 papas, 5 mil bispos e cerca de 3 mil santos canonizados”

São Bento, também é lembrado pela sua medalha, sendo um dos símbolos mais poderosos deste santo, onde é demonstrado a Cruz, onde fora muitas vezes usada pelo santo que evitou várias vezes a sua morte, um verdadeiro sinal da vitória da cruz sobre o mal e a morte.

 Após várias modificações, a medalha traz em si num dos versos: a imagem de São Bento com uma cruz na mão direita; o Livro das Regras na mão esquerda; ao lado do Santo a frase “Crux Sancti Patris Benedicti” (Cruz do Santo Pai Bento); vê-se um corvo e um cálice do qual sai uma serpente; em volta aparece a oração: “Eius in óbitu nostro preséntia muniamur” (Na hora da nossa morte sejamos protegidos pela sua presença); na parte inferior central se lê: “Ex. S. M. Cassino MDCCCLXXX” (Do Santo Monte Cassino 1880).

 No outro verso é a Cruz de São Bento com várias siglas: .S.P.B. – “Cruz do Santo Pai Bento”. C.S.S.M.L. – “A cruz sagrada seja minha luz” (na haste vertical da cruz). N.D.S.M.D. – “Não seja o dragão meu guia” (na haste horizontal da cruz). Em um círculo, começando no canto superior direito: PAX – “paz”. V.R.S. – “Retira-te, satanás” N.S.M.V. – “nunca me aconselhes coisas vãs”. S.M.Q.L. – “É mau o que me ofereces” I.V.B. – “Bebe tu mesmo os teus venenos”.

São Bento morreu em 547, aos 67 anos, deixando-nos o exemplo de zelo e amor pelas coisas de Deus: “Ouça, filho, os ensinamentos do Mestre; dê-lhe ouvidos com o coração; receba, com agrado, os conselhos de um pai que lhe quer bem, para se dirigir, com o rigor da obediência, Àquele do qual você se distanciou por causa da negligência e da desobediência”

São Bento Abade, rogai por nós!

Saudações em Cristo!

+ Eurico dos Santos Veloso

Arcebispo Emérito de Juiz de Fora, MG