Missa da Ceia do Senhor

182
Missa da Ceia do Senhor

Perpassado os quarenta dias do Tempo Quaresmal, vivenciado cada momento de penitência, jejum e oração, iniciamos com a Missa da Ceia do Senhor, a abertura do Tríduo Pascal, em que Cristo Sacerdote por excelência institui o Sacramento do Amor. Portanto, tal celebração nos recorda “a instituição do sacerdócio ministerial e o serviço fraterno da caridade” (Missal Dominical – Missal da Assembleia Cristão. Adaptado).

A Ceia do Senhor é o primeiro ato da Paixão, Morte e Ressurreição de Cristo, pois através desta ação, Jesus institui o Mandamento do Amor. “Antes da festa da Páscoa. Jesus sabia que tinha chegado a sua hora de passar deste mundo para o Pai; tendo amado os seus que estavam no mundo, amou-os até o fim” (cf. Jo 13,1). Cristo necessitava dar o exemplo de que o Mestre é Servo, sempre pronto a socorrer e servir aos que lhe são confiados. Por isto, o ato de Lavar os Pés, foi um verdadeiro gesto de como fazer e refazer, a qualquer momento, os gestos de serviço mútuo. Além disto, Lavar os Pés é a maneira de fazer parte do Cristo, pois o ele mesmo disse: “Se eu não te lavar, não terás parte comigo” (cf. Jo 13,8).

Na mesma Ceia, Cristo dá-se como o Seu Corpo e Sangue, como a Verdadeira Comida e Verdadeira Bebida: “Na noite em que foi entregue, o Senhor Jesus tomou o pão e, depois de dar graças, partiu-o e disse: ‘Isto é o meu corpo que é dado por vós. Fazei isto em minha memória’. Do mesmo modo, depois da ceia, tomou também o cálice e disse: ‘Este cálice é a nova aliança, em meu sangue. Todas as vezes que dele beberdes, fazei-o em memória de mim’” (cf. 1Cor 11,23a-25). Sendo assim, o Sacramento da Eucaristia, é instituído como sinal de Amor pela Paixão e Morte de Cristo, em favor de nossa salvação e permanência em sua comunhão.

Assim, “renovemos os gestos e as palavras de Jesus na última ceia com os seus discípulos, o memorial do seu sacrifício. A fraternidade que nos une neste dia de festa, como em toda eucaristia, está fundada sobre o dom de sua vida por nós e sobre nossa disponibilidade em dar a vida pelos outros (Missal Dominical – Missal da Assembleia Cristão. Adaptado). E cheios desta verdadeira alegria, que entoemos juntos estas lindas palavras:

“Quanto a nós devemos gloriar-nos na cruz

De nosso Senhor Jesus Cristo

Que é nossa salvação, nossa vida

Nossa esperança de ressurreição

E, pelo qual fomos salvos e libertos

Esta é a noite da ceia pascal

A ceia em que o nosso Cordeiro se imolou

Esta é a noite da ceia do amor

A ceia em que Jesus por nós se entregou

Esta é a ceia da nova aliança

A aliança confirmada no sangue do Senhor”

Saudações em Cristo!

Dom Eurico dos Santos Veloso