Viver o Evangelho: Novas Atitudes para Ser um Verdadeiro Cristão

tomar decisão na vida, conversão, mudança de rumo

“Preparai os caminhos do Senhor, edificai suas veredas”.

Atenção: São Marcos escreveu o Evangelho, mas o conteúdo, é mesmo de Jesus Cristo. Foi Ele que veio da Trindade ao nosso encontro. Evangelizou e começou a edificar, de modo definitivo, o Reino de Deus, algo verdadeiramente novo: vida renovada, amor, justiça, solidariedade com os mais necessitados.

Não é algo meramente interior, mas precisa ter reflexos exteriores na vida social, na convivência local, nacional e internacional.  É resultado da vivência do Evangelho de Jesus. João Batista e São Marcos fazem ecoar a mensagem de Jesus Cristo, Filho de Deus. No entanto, Jesus é o Evangelho.

Exigências para nós:

Ouvir e introjetar essa mensagem.

Reagir: conversão.

Não basta ouvir, mas é preciso viver o Evangelho, através de novas atitudes. Quem não tentar melhorar sua vida pessoal, eclesial e social é, ou ao menos pode ser, um “fariseu”, ou até “doutor da lei”, mas jamais será um cristão. É um batizado. Só. Pode ter sido batizado até no Jordão, como Jesus.  Tomou banho, mas não se renovou. Não mudou, melhorando sua práxis. É um camaleão, não um discípulo de Jesus.

É fácil fazer em casa um belo presépio, talvez até verdadeira obra de arte. É artista, mas não cristão. Assim, advento vem e, advento vai. Mas não haverá renovação. Haverá festa, panetone, noite com luzes brilhando, mas a celebração é pagã. Muito barulho, com pouco silêncio e meditação. As atitudes de Maria e José não acontecem. A imagem de Jesus nascido, está no presépio, ao lado dos das figuras de animais. É um acontecimento cultural, não religioso.

Olhemos para o mundo, e veremos que este, necessita de vida nova. De conversão. De amor e verdadeira vivência cristã. Lá onde, outrora, aconteceu o Natal, hoje se mata. Há guerras. Onde Jesus falou de amor e paz, hoje reina hostilidades, ódio e tristezas.

 Jesus continua vindo, mas não é bem recebido como outrora. Herodes até procurou matá-Lo. Não conseguiu. Mas hoje, o consegue, pelos abortos e guerras. É triste. Mas, até cronologicamente falando, é natal realmente? A decisão é nossa. De minha parte, boa preparação para o Natal. Note bem, hoje também, é o dia da declaração universal dos direitos humanos.  Ainda pergunto: e o dia da declaração universal dos deveres nossos, quando será? Perguntar não ofende…

+ DOM CARMO JOÃO RHODEN, SCJ

Bispo Emérito de Taubaté- SP