Solenidade de Nossa Senhora da Conceição Aparecida.

nossa senhora aparecida
aqui

O Brasil, no dia 12 de outubro, volve os seus olhares e atenções para o Altar de Nossa Senhora da Conceição Aparecida, Rainha e Padroeira do Brasil, cuja Solenidade celebramos desde Aparecida em todos os rincões de nosso país continental.

Nosso coração rejubila no Senhor que nos aponta para a Sua Mãe, sempre atenta às necessidades do povo brasileiro. Maria intercede ao seu Filho em favor dos filhos e filhas necessitados do bom vinho do amor, da esperança e da alegria. Sensíveis às situações de aflição e desamparo, as mulheres de fé se põem em defesa da vida. Sempre atentas e prontas para o bem, elas intercedem a Deus em favor dos necessitados.

Na primeira leitura – Ester 5,1-2; 7,2-3 – procurar promover a resistência contra a influência grega sobre a cultura e a religião judaicas, contextualizando, porém, esse conflito no período da dominação persa. Arriscando a própria vida, a judia Ester, armada de confiança em Deus e da própria beleza, intercede ao Rei para que este anule o decreto de extermínio contra Israel. Ester está mais preocupada com a vida do seu povo do que com a oferta do rei. É a força e a coragem da mulher mobilizadas para a defesa de quem tem a vida ameaçada.

Na segunda leitura – Ap 12,1.5.13.15-16 – a mulher ornada com todo esplendor representa as comunidades que procuram gerar o projeto de Jesus e resistir ao dragão, símbolo do mal, das forças opressoras do final do século 1º. da era cristã. A Igreja, desde o início, viu nessa mulher a figura de Maria, Mãe de Jesus. No combate contra as forças do mal, o cristão é sustentado por sua fé e pela proteção de Maria.

No Evangelho – Jo 2,1-11 – apresenta a intercessão de mais uma mulher, agora em favor dos convidados a um casamento. Ela pede ao seu Filho que não falte o vinho da Nova Aliança, o qual significa vida em plenitude. Com o primeiro sinal narrado pelo Evangelho de João, inicia-se a manifestação da glória de Jesus. A Mãe de Jesus, além de interceder pelos convidados, convida-nos a fazer tudo o que o seu Filho disse e ensinou, para que não nos falte o “vinho bom”.

O Evangelho das Bodas de Cana da Galiléia demonstra a relação de Deus com o seu povo. A aliança matrimonial, símbolo maior do amor, é imagem bíblica muito rica e frequente para se referir à aliança entre Deus e a humanidade. O Evangelho inicia dizendo que a Mãe de Jesus estava presente. Isso pode sugerir que ela estivesse lá não na qualidade de convidada, mas para ajudar na preparação da festa, precedendo os convidados – entre os quais, Jesus e os seus seguidores.

As talhas de pedras vazias usadas pelos judeus para a purificação podem simbolizar o vazio em que havia se transformado uma religião marcada por um ritualismo estéril e frio, sem amor e sem compromisso com a vida.

A certa altura, acaba o vinho – símbolo da festa e da alegria. É Maria que imediatamente percebe a fala e apela para o seu filho: “Eles não tem mais vinho”. Por causa da insistência de sua Mãe – “fazei o que Ele vos disser” – Jesus realiza seu primeiro sinal. Maria está muito atenta às necessidades e carências dos convivas. Graças à sua presença, a festa pode continuar, pois o vinho não vai faltar.

Nossas comunidades, infelizmente, muitas vezes estão focadas nas “bodas de água” – que são as leis, proibições , ritos, pedras frias. Devemos estar com o coração nas “bodas do vinho” – que é a alegria, otimismo, esperança, vida feliz.

Nossa Senhora é a figura de destaque do Evangelho. Ela é apresentada como aquela que serviu de maneira exemplar a Palavra de Deus; como a serva do Senhor que diz “sim” à sua Palavras; como a cheia de graça que tudo reconhece ser bondade divina! Nossa Senhora Aparecida está sempre antenada para as necessidades do povo. Nossa Senhora Aparecida é amada e querida, como nossa padroeira do Brasil, continua a ser a mãe carinhosa e sensível que questiona a falta de alegria e dignidade do nosso povo e por ele interceda a Deus. Nossa Senhora Aparecida intercede a Deus para que nunca falte o pão nosso de cada dia e o vinho do amor.

Peçamos a Nossa Senhora Aparecida que interceda em favor do povo brasileiro, o qual vive uma situação complicada e difícil de polarizações e divisões que não geram vida e constroem a paz social.

+ Eurico dos Santos Veloso

Arcebispo Emérito de Juiz de Fora, MG