São Lucas e os Médicos

“Saúdo-vos Lucas, nosso querido médico” (Col 4,14).

São Lucas evangelista
Material para catequese
Material para catequese

Celebramos no dia 18 de outubro a festa litúrgica de São Lucas, apóstolo e evangelista. São Lucas é autor do evangelho que leva o seu nome e do livro dos Atos dos Apóstolos. O livro dos Atos dos Apóstolos é um desdobramento de seu evangelho, como uma continuação de tudo aquilo que ele já pensava e do conhecimento que ele tinha de Jesus.

Toda vez que celebramos a festa de um apóstolo, a Igreja se alegra, pois todos eles foram testemunhas oculares de Jesus. Todos os apóstolos, exceto João, foram mártires, ou seja, tiveram o mesmo fim do Mestre, justamente por professarem a fé N’Ele. Foram mortos, assassinados, por perseguição dos imperadores romanos da época.

São Lucas, nasceu em Antioquia na Síria, e foi médico de profissão, convertido pelo Apóstolo Paulo e, após a sua conversão, tornou-se companheiro de missão de Paulo. Como colaborador na missão de Paulo, viajavam para diversos lugares com o intuito de evangelizar os gentios. Paulo tinha grande estima por Lucas, pois Lucas era portador de uma grande fidelidade e zelo no coração.

O Espírito Santo modelou São Lucas e o inspirava na missão para falar de Deus e, junto com Paulo, evangelizar os gentios. São Lucas certamente contava da sua experiência de conversão e, através dessa experiência, podia evangelizar os gentios. Por meio da doce ação do Espírito Santo na vida de Lucas, ele pôde escrever o Evangelho e o livro dos Atos dos Apóstolos.

Em seu Evangelho, Lucas apresenta Jesus como o mensageiro do amor universal, revela um Deus misericordioso que ama e acolhe a todos. É no Evangelho de Lucas que Jesus chama Zaqueu, se revela a Maria Madalena, antes de morrer garante o paraíso ao bom ladrão e, ainda, conta as parábolas do filho pródigo e do bom samaritano. No livro dos Atos dos Apóstolos, São Lucas conta como iniciou a Igreja primitiva e como o Espírito Santo inspirou os apóstolos.

Em boa parte das missas dedicadas à Nossa Senhora, o Evangelho proclamado é de São Lucas, porque foi São Lucas que mais falou sobre a vida da Virgem Maria, sobretudo, a partir do anúncio do anjo Gabriel, apresentando Maria como a cheia de graça e escolhida por Deus para ser a Mãe do Salvador.

Cada Evangelho sinótico tem a sua particularidade, cada um trabalha um aspecto da vida de Jesus. Algumas passagens são semelhantes e outras não, depende da experiência que cada evangelista teve com Jesus. Todos os três evangelhos sinóticos começaram a ser escritos a partir da paixão, morte e ressurreição de Jesus. Os evangelhos são como fossem a biografia de Jesus e relatam a construção do Reino de Deus iniciada por Jesus.

O Evangelho de Lucas é um dos mais completos dentre os três sinóticos, pois traz alguns fatos da infância de Jesus. Lucas deve ter escrito o seu Evangelho por volta do ano 65 d.C. e, no ano 67 d.C., o livro dos Atos dos apóstolos.  

Por duas vezes que Paulo esteve preso em Roma, Lucas ia visitá-lo e conversaram bastante, sobretudo, partilhando sobre a Igreja de Jesus Cristo e o anúncio do Evangelho. Paulo chamava Lucas de “médico queridíssimo”. Lucas ajudava Paulo em suas dores corporais e nos sofrimentos que padecia na prisão. Paulo chega a escrever a Timóteo em seu segundo cativeiro, no ano de 67 d.C., que Lucas é único companheiro que ele tinha na prisão, todos os outros tinham abandonado enquanto esteve preso.

Lucas viveu até os 84 anos, uma idade considerável devido à época, mas foi martirizado, do mesmo modo que os demais apóstolos e, inclusive, seu companheiro de missão Paulo. Lucas é considerado o padroeiro dos médicos, pois ele também exerceu esse ofício, como diz Paulo na carta aos Colossenses: “Saúdo-vos Lucas, nosso querido médico” (Col 4,14).

Peçamos a São Lucas que interceda por todos os médicos e que cada médico exerça com amor a sua profissão e ajude aqueles que mais precisam a restaurar a sua saúde. Que todos os médicos se inspirem em Jesus Cristo, o médico dos médicos, e sejam abençoados por Ele.

Toda profissão deve ser exercida com amor e dedicação. Ser médico é uma vocação e um chamado de Deus. Por isso, assim como qualquer outro trabalho, para ser médico é preciso gostar do que se faz e amar as pessoas e a profissão. Cada um de nós tem lembrança do médico que marcou a vida da família.

Que possamos respeitar e valorizar o médico e que seja mais fácil ingressar numa faculdade de medicina para aqueles jovens que desejam ingressar, que muitas vezes desistem por causa de inúmeras dificuldades, sobretudo, por questões financeiras.

Celebremos com alegria a festa litúrgica de São Lucas, apóstolo e evangelista, e que possamos ser testemunhas de Jesus Cristo nos dias de hoje, da mesma forma que ele foi.  Que ele interceda por todos os médicos, para que exerçam com afinco e dedicação a sua profissão e que tenhamos um serviço de saúde de qualidade para oferecer aos que procuram.

Orani João, Cardeal Tempesta, O. Cist.

Arcebispo Metropolitano de São Sebastião do Rio de Janeiro, RJ