São José operário – O Trabalho expressão do Amor

São José operário - O Trabalho expressão do Amor
aqui

O Trabalho expressão do Amor: A expressão quotidiana deste amor na vida da Família de Nazaré é o trabalho. (São João Paulo II)

No dia primeiro de maio, celebramos com alegria a Festa de São José Operário, onde através do papa Pio XII instituiu a esta festa em 1955, a fim de oferecer aos trabalhadores um patrono que servisse, também, como modelo.

Este modelo de trabalhador se dá pela essência que São José viveu em que “o texto Evangélico especifica o tipo de trabalho, mediante o qual José procurava garantir a sustentação da Família: o trabalho de carpinteiro.” (cf.  REDEMPTORIS CUSTOS, S. João Paulo II – http://www.vatican.va/content/john-paul-ii/pt/apost_exhortations/documents/hf_jp-ii_exh_15081989_redemptoris-custos.html – acesso em 29 de abril de 2020). “Ele, São José, embora sendo de descendência régia, desposado com a mais excelsa entre as mulheres, e ter sido considerado como o pai do Filho de Deus, passou todavia sua vida no trabalho, provendo o necessário para si e para os seus, com a fadiga e a habilidade de suas mãos” (cf. Carta Encíclica de Sua Santidade o Papa Leão XIII, http://www.amoranossasenhora.com.br/carta-enciclica-do-papa-leao-xiii-sobre-sao-jose-patrono-da-igreja/ – acesso em 29 de abril de 2020).

São José, através de sua paternidade adotiva do Verbo Encarnado, Jesus, aproxima a atividade laboriosa, o trabalho humano, ao mistério da Redenção. Assim, “a importância do trabalho na vida do homem exige que se conheçam e assimilem todos os seus conteúdos, ‘para ajudar os demais homens a aproximarem-se através dele de Deus, Criador e Redentor, e a participarem nos seus desígnios salvíficos quanto ao homem e quanto ao mundo; e ainda, a aprofundarem na sua vida e amizade com Cristo, tendo, mediante a fé vivida, uma participação no seu tríplice múnus: de Sacerdote, de Profeta e de Rei’” (cf. REDEMPTORIS CUSTOS, S. João Paulo II).

É neste dia, que pensamos em todos aqueles e aquelas que colaboram para o crescimento e desenvolvimento do nosso país. Que lutam cotidianamente em buscar o sustento de seus pares. Mas, também, nos recorda de tantas injustiças trabalhistas que ainda assolam os postos de trabalhos e a dignidade dos mesmos, em que o Estado deve promover políticas públicas favoráveis a todos, e não retroagir em leis trabalhista que, na maioria das vezes, flexibilizam a segurança trabalhista e os direitos adquiridos.

Também, não podemos de olhar por aqueles e aquelas que estão desempregados e na informalidade, em que, mais que essencial, as políticas públicas que protejam estes desfavorecidos, principalmente em momentos difíceis de crises e desalentos que estes possam sofrer.

Assim, pedimos a intercessão de São José, por cada trabalhador, por todos aqueles que vivem na informalidade ou que estão desempregados e, também, “Pedimos vossa intercessão pelo mundo do trabalho, a fim de que aí reine o espírito cristão de justiça e paz, conforme os ensinamentos da Igreja; que os trabalhadores se unam em organizações que defendam os seus direitos e respeitem os alheios; que patrões e empregados se tratem mutuamente como irmãos e filhos do mesmo Pai, que se convertam os que ignoram a dignidade da pessoa humana e exploram o operário e o pobre.” (cf. https://formacao.cancaonova.com/espiritualidade/oracao/oracao-dos-trabalhadores-a-sao-jose/ – acesso em 29 de abril de 2020).

Ó glorioso São José, rogai por nós que recorremos a vós!

Saudações em Cristo Ressuscitado!

Dom Eurico dos Santos Veloso

Arcebispo Emérito de Juiz de Fora, MG