Revesti-vos da armadura de Deus

210
armadura do cristão para vencer os inimigos

A Palavra meditada está em Efésios 6,10-18:

“Finalmente, irmãos, fortale­cei-vos no Senhor, pelo seu soberano poder. Revesti-vos da armadura de Deus, para que possais resistir às ciladas do demônio. Pois não é contra homens de carne e sangue que temos de lutar, mas contra os principados e potestades, contra os príncipes deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal (espalhadas) nos ares.

Tomai, portanto, a armadura de Deus, para que possais resistir nos dias maus e manter-vos inabaláveis no cumprimento do vosso dever. Ficai alerta, à cintura cingidos com a verdade, o corpo vestido com a couraça da justiça, e os pés calçados de prontidão para anunciar o Evangelho da paz.

Sobretudo, embraçai o escudo da fé, com que possais apagar todos os dardos inflamados do Maligno. Tomai, enfim, o capacete da salvação e a espada do Espírito, isto é, a Palavra de Deus. Intensificai as vossas invocações e súplicas. Orai em toda circunstância, pelo Espírito, no qual perseverai em intensa vigília de súplica por todos os cristãos.”

A Carta aos Efésios é uma exortação não somente para anunciar a segunda vinda do Senhor. Nestes tempos, temos falado muito que a nossa Comunidade veio para anunciar a segunda vinda de Jesus. A Carta ao Efésios não é somente uma exortação falando do juízo final, mas é também uma exortação ao combate espiritual.

Padre Jonas sempre nos exortou quanto ao combate espiritual. Ele nos ensinou que temos que viver “as cinco pedrinhas”. Somos chamados a viver essas cinco pedrinhas.  

Quando rezava sobre a Palavra de Efésios, separei cinco pontos, sobre os quais iremos falar paralelamente.

Cingir os rins

Qual é a função do rim em nosso organismo? É eliminar todas as substâncias que são ruins para o nosso organismo, tudo aquilo que é nocivo para a nossa vida. Precisamos cingir os nossos rins espirituais com a confissão.  

A confissão nos ajuda a trabalhar a nossa consciência, é quando nos colocamos diante de Deus, pobres, miseráveis, com limitações, e trabalhamos o que é certo e errado. A confissão serve para eliminar as substâncias ruins da nossa vida espiritual e para que não fiquemos aliviando a nossa consciência, mas que tenhamos verdade e sinceridade em nossas atitudes.

O escudo da fé e a couraça da justiça

O escudo vai à frente e nos defende; a couraça é o que colocamos no nosso peito para irmos à guerra. Nas cinco pedrinhas, os dois elementos representam a Eucaristia. A couraça protege o coração e o pulmão, e a Eucaristia serve para proteger esses órgãos vitais.  

Nosso coração e nossos sentimentos nos levam a ter atitudes que nem mesmo nós queremos, mas a Eucaristia é a proteção de nossos órgãos vitais. Os órgãos vitais ocupam o centro do nosso corpo, e a Eucaristia precisa ser também o centro da nossa vida. Por isso, a Eucaristia é a proteção contra os ataques.

Precisamos receber Jesus Cristo para que sejamos protegidos dos pecados futuros. A couraça nos defende dos pecados futuros. Só a Eucaristia tem a força para nos defender.

O capacete da salvação

Quando rezava, o Senhor colocava no meu coração que o Santo Rosário é o capacete da nossa salvação. O Rosário deve ocupar os nossos pensamentos. Quantas vezes, os meus pensamentos me fizeram pecar, fizeram-me tirar da minha vida a minha couraça e me render ao inimigo!

A oração deve ocupar os nossos pensamentos, porque a nossa mente é o lugar onde nos decidimos por Deus. Se colocarmos esse capacete, com certeza, vamos romper com o pecado e seremos conduzidos pela Virgem Maria.

Quando o Anjo fez o anúncio a Virgem Maria, ela tinha o direito de dizer ‘sim’ ou ‘não’. Mas a cabeça dela foi ocupada pelo Espírito Santo e, pela sua razão, ela se decidiu.  O Santo Rosário tem a função de nos colocar no caminho da razão.

A armadura de um soldado não é brilhante, não fica em lugar de exibição; a armadura do cristão é aquela que está toda arrebentada pelas guerras. Não podemos tirar a armadura em momento nenhum, não temos tempo para tirá-la e descansar, temos que estar prontos o tempo inteiro.

Sandálias da prontidão

As sandálias da prontidão representam o jejum. As sandálias servem para que a coloquemos e saiamos; e a prontidão é estarmos atentos em todo o tempo. Colocamos as sandálias para anunciar.

A sandália da prontidão é o jejum, porque ele nos ajuda a nos controlar, porque precisamos dizer aos nossos prazeres que mandamos em nosso corpo. O jejum nos ajuda a nos controlar.

Como um soldado vai para a guerra se dentro dele há uma guerra muito maior? É necessário o controle emocional, por isso o jejum é tão importante. Não podemos ser dominados pelas nossas vontades, por isso o jejum nos ajuda a nos controlarmos e a sabermos qual é o nosso ponto de fraqueza.

O jejum nos ajuda a nos equilibrar, a caminhar no caminho reto, a não ficarmos balançando para lá e para cá. Por esse motivo, as sandálias precisam estar bem colocadas, porque um soldado não consegue ir à guerra sem elas.

A espada do Espírito

A espada do Espírito é a Palavra de Deus. A Palavra de Deus é a nossa arma de ataque, as outras armas que citei são as nossas armas de defesa. A espada só pela espada não consegue atingir, e então, ficamos vulneráveis. Precisamos estar revestidos com toda a armadura.

A Palavra de Deus é essa arma com a qual vamos ao encontro dos nossos inimigos. Na Palavra, encontramos tudo o que precisamos para atacar aquilo que vem contra nós. Uma espada não pode ser cega, ela precisa ser cortante, e quem precisa amolar essa espada somos nós mesmos.

Um soldado precisa ter a sua espada amolada, e também ajudar o próximo a amolar a sua espada. O soldado amola a sua espada antes da batalha, e precisamos aprender qual é o melhor momento para amolarmos a nossa espada.

Gustavo Rocha