O salmo dos pontos nos is

o amor de Deus por nós
aqui

Neste salmo Deus chama a cada um de nós para acertarmos as contas com ele. E é bom atendemos quanto antes a este chamado. Ajuda-nos nesta presteza refletir no evangelho de Lucas (12, 57-59) quando Jesus manda buscar a paz com o inimigo enquanto é tempo.

Vejamos as palavras do salmo: “Deus convida o céu e a terra para testemunhar o julgamento de seu povo” (v. 4). “O Senhor convoca todos, do oriente até o ocidente” (1). Deus não quer esperar para fazer isto no juízo final porque então nós seríamos condenados eternamente.

Por ser bom e misericordioso Deus nos convoca através desse salmo agora. quando ainda é possível converter-se e salvar-se. Bendito seja Deus!

Escutemos o que fala o Senhor: “Escuta, ó meu povo, o que vou dizer! Eu vou depor contra ti. Não te censuro por falta de sacrifícios, pois regularmente me ofereces holocaustos” (7-8). “Se acaso eu tivesse fome não pediria nada a ti porque o universo com tudo o que nele existe me pertence. Porventura comerei carne de touros ou beberei sangue de cabritos?” (12-13).

Por que então Deus está bravo conosco? O salmo esclarece: “Como sacrifício oferece a Deus o louvor e a gratidão e cumpre as tuas promessas ao Altíssimo. Clama por mim na hora da aflição. Assim me honrarás e eu te libertarei!” (14-15).

Não foi justamente isso que Jesus nos ensinou? “Os verdadeiros adoradores adorarão a Deus em espírito e verdade. Estes são os adoradores que o Pai deseja. Deus é espírito e aqueles que o adoram precisam adorá-lo em espírito e verdade” (Jo 4, 23-24).

E Deus continua a questionar o povo: “De que te adianta saber de cor os meus mandamentos e falar de religião o dia inteiro, se desprezaste minhas leis e meus conselhos e não assumistes o compromisso de vida correta? Se não podes ver um ladrão sem te fazeres seu amigo? Tu vives em adultério, falas mentiras e calunias teu próprio irmão” (16-20).

Em seguida Deus Misericordioso diz ao seu povo: “Tu, que te esquecestes de mim, reflete nessas acusações. Converte para que eu não te abandone e fiques sem ninguém que te possa salvar. Quem me oferece gratidão e louvor está me honrando. Àquele que procura andar nos meus cominhos dar-lhe-ei a graça da salvação” (22-23).

Maravilhemo-nos com a beleza, sabedoria e atualidade desse salmo! Dentro do Ano Santo da Misericórdia Deus deixemo-nos convencer de que o amor de Deus por nós é infinito, não tem medidas.

Dom José Maria Maimone
Bispo Emérito de Umuarama