O Reino de Deus está próximo

133
Convertei-vos e crede no Evangelho!
O tempo já se completou e o Reino de Deus está próximo

“O tempo já se completou e o Reino de Deus está próximo. Convertei-vos e crede no Evangelho!” (Mc 1,15)

Ao iniciar este tempo penitencial, o Primeiro Domingo da Quaresma, somos inseridos a refletir sobre os anseios de Deus para a humanidade através da conversão. A Liturgia reafirma a vontade de Deus em destruir o velho mundo do egoísmo, do individualismo, no pecado e oferecer a todos a salvação com a consequência de um mundo novo regido de vida plena e felicidade além do horizonte.

Na Primeira Leitura extraída do Livro do Gênesis (Gn 9,8-15), retrata a aliança que Deus faz a humanidade através pós as águas do dilúvio. “Purificada pelas águas do dilúvio nasce uma humanidade nova (…), Deus quer entrar em relação com o homem e lhe oferece sua aliança [arco-íris]” (cf. Missal Dominical – Missal da Assembleia Cristã). E é através desta imersão nas águas, que Deus faz renascer a nova humanidade, sem manchas do pecado ou corrompida pelo egoísmo.

O Evangelho de Marcos (Mc 1,12-15), Jesus nos apresenta que através das renúncias dos caminhos do egoísmo, do pecado, da tentação, a consequência é a efetivação dos planos de Deus tende a oferecer a cada um nós. Porém, tal decisão depende do nosso sim, por isto Jesus afirma: “O tempo já se completou e o Reino de Deus está próximo. Convertei-vos e crede no Evangelho!” (Mc 1,15). O início da conversão se dá através do Batismo, a qual todos somos chamados a vivenciar através da imersão total nas maravilhas que Deus tem para nós, através do Evangelho e do abandono total do velho homem.

A Segunda Leitura retirada da Primeira Carta de São Pedro (1Pd 3,18-22), o apóstolo nos recorda na adesão a salvação que Cristo veio a nos oferecer, pois seguir a Jesus é vivenciar o caminho do amor, do serviço, do dom da vida, tudo isto com princípio em nosso Batismo, “pois o batismo não serve para limpar o corpo da imundície, mas é um pedido a Deus para obter uma boa consciência, em virtude da ressurreição de Jesus Cristo” (cf. 1Pd 3,21a).

Façamos nesta Quaresma as obras de penitência, sob a Luz do Evangelho, para vivenciarmos os dias da Paixão do Senhor e, infundidos pelo fogo do Espírito Santo, sejamos conduzidos e guiados pelo deserto da penitência até o encontro do manancial da conversão.

Saudações em Cristo!

+ Eurico dos Santos Veloso

Arcebispo Emérito de Juiz de Fora, MG