O Matrimônio e a Comunhão entre Deus e os homens

833
O Matrimônio e a Comunhão entre Deus e os homens

NOS PASSOS DE SÃO JOÃO PAULO II

A comunhão de amor entre Deus e os homens, conteúdo fundamental da Revelação e da experiência de fé de Israel, encontra uma sua significativa expressão na aliança nupcial, que se instaura entre o homem e a mulher.

Na pré-figuração do casamento, Deus “os abençoou”. Nesta bênção está todo o sentido do Amor de Deus pelo Homem e pela Mulher. Muito mais tarde Jesus viria consolidá-la, elevando-a à condição de SACRAMENTO – sinal sagrado da presença do Criador, acrescentando a sua indissolubilidade: “Não separe pois o homem, o que Deus uniu”.

Esta Comunhão de Amor entre os esposos somente se torna possível com a presença de Deus como centro de suas vidas emocionisl e afetivas. Uma comunhão não existe duo, mas tríduo: Homem + Mulher + Deus.

Da mesma maneira que Deus realizou uma aliança com o seu Povo e mantém-se até hoje fiel, da mesma forma – através do Matrimônio – cria-se um vínculo de fidelidade permanente entre os cônjuges. Compromisso tão sério que durante o noivado a aliança encontra-se no dedo anelar da mão direita; quando casam, a aliança passa para a mão esquerda – do lado do coração.

Se bem soubéssemos a extensão desta Comunhão Trinitária no Matrimônio, vivenciaríamos o AMOR da forma mais plena, iluminados pela luz inefável do Espírito Santo.

Paz e Luz

Antonio Luiz Macêdo

Leia mais obras do autor:

Conta-gotas Do Dia a Dia (no final da página)