Nossa Senhora das Dores

“E quanto a ti, uma espada de dor te traspassará a tua alma” (Lc 2, 33-35)

Dores de Nossa Senhora
aqui

Aprendamos com Nossa Senhora a guardar e meditar tudo em nosso coração, onde no silêncio encontramos a solução de nossos problemas.

Durante a Semana Santa, temos alguns personagens que nos ajudam em nossa espiritualidade e a celebrar melhor esse momento forte da nossa fé. Nossa Senhora das Dores é uma dessas personagens, que apesar de ver o seu filho morrer na cruz, não se desesperou, mas encarou esse momento com total confiança em Deus e contemplou a morte de seu filho, com o olhar da fé. Estava de pé, junto a cruz de Jesus…

É essa confiança em Deus que temos que ter, não somente agora na Semana Santa, mas em todos os momentos de dificuldade que vamos ter durante a nossa vida. Aprender com Nossa Senhora a guardar e meditar tudo em nosso coração. Nossa Senhora é a Virgem do silêncio. Aprendamos com ela, no silêncio, a encontrarmos a solução de nossos problemas.

Nossa Senhora das Dores recebe esse título devido à profecia do profeta Simeão, na ocasião da apresentação do Menino Jesus no templo. Simeão diz a Maria: “E quanto a ti, uma espada de dor te traspassará a tua alma” (Lc 2, 33-35). Além da profecia de Simeão, Nossa Senhora recebe esse título por ter sido atingida por tamanha dor, ao ver seu filho morrer na cruz. Ela nos ensina a rezar diante do sofrimento e não se desesperar, mas confiar em Deus.

Outros personagens que nos acompanharão neste período da Semana Santa são: Isaías, Pedro, João, entre outros. Durante a Semana Santa, podemos reforçar as nossas leituras e meditações bíblicas, reforçar também o nosso jejum e, se ainda não o fizemos, realizar nossa confissão sacramental. Caminhemos junto com Nossa Senhora das Dores e com esses outros personagens bíblicos durante essa Semana Santa, deixemos morrer em nós o velho homem, e nos tornemos homens novos, a partir da ressurreição de Jesus.

Outros títulos semelhantes a esse são concedidos a Nossa Senhora das Dores, como por exemplo, Nossa Senhora das Angústias, Nossa Senhora da Piedade, Nossa Senhora da Agonia e Nossa Senhora das Lágrimas. Esses títulos de Nossa Senhora são concedidos a partir das celebrações da Semana Santa, desde a prisão e condenação de Jesus, até a sua morte na cruz.

Dentre todos esses títulos relacionados a Nossa Senhora das Dores, o mais conhecido é Nossa Senhora da Piedade. A imagem de Nossa Senhora da Piedade é Maria segurando seu Filho nos braços, após o corpo ter sido tirado da cruz. Nesse momento, podemos lembrar de tantas mães que seguram os seus filhos em seus braços, após esses terem perdido a vida. Que essas mães tenham a força que Maria teve e sejam iluminadas pelo Espírito Santo e que Deus as conforte na fé.

Celebramos o dia de Nossa Senhora das Dores em 15 de setembro, dia seguinte à Festa da Exaltação da Santa Cruz; mas, durante a Semana Santa ela é recordada devido aos acontecimentos da paixão, morte e ressurreição de Jesus. Ao recordar Nossa Senhora das Dores, lembramos de tantas mães que perdem seus filhos precocemente, seja para a violência, drogas, acidente ou doença. Que essas Mães sejam reconfortadas pela fé e creiam em Deus. A fé nos ajuda a acreditar na vida eterna e que assim como Cristo ressuscitou, todos nós ressuscitaremos.

Diante da cruz, Jesus entrega Maria como mãe de todos nós, ao dizer a João: “Filho, eis a tua Mãe” e ao dizer a Maria: “Mulher, eis o teu Filho”. João acolhe Maria consigo e ao acolhê-la, toda a humanidade a acolhe. Somos convidados a nos unir as dores de Nossa Senhora e contemplar Jesus Cristo na Cruz. Durante a Semana Santa, vamos ver muito as duas imagens, Senhor dos Passos e Nossa Senhora das Dores, além do crucifixo. Contemplemos as dores de ambos e, a partir disso, busquemos mudar de vida e, das dores, poder chegar às alegrias.

Outro momento marcante durante a Semana Santa e do caminho de Jesus até o Calvário é o encontro de Jesus com sua Mãe. Podemos observar nesse momento a troca de olhares entre o Filho e a sua Mãe. Maria contempla o quanto o seu Filho está sofrendo e a crueldade que estão fazendo com Ele. Todo esse sofrimento que causavam ao seu Filho, criava uma imensa dor em Nossa Senhora.

Lembremos também dos passos da via sacra e da frase de Jesus para as mulheres de Jerusalém: “Não choreis por mim, chorai por vós mesmas e por vossos filhos”. Lembremo-nos nesse momento de tantas mães que sentem uma dor imensa ao verem seus filhos sofrerem, seja por violência, passando fome, desempregados e precisando de ajuda. As mães sofrem mais ainda quando não podem fazer nada para tirar os seus filhos daquela situação. Peçamos a Nossa Senhora das Dores que conforte o coração de todas as mães, sobretudo, as que sofrem por causa de seus filhos.

Que lá do céu, Nossa Senhora das Dores interceda por cada um de nós e que ela nos console em nossas dores e sofrimentos. Maria está no céu contemplando o seu Filho Jesus, da mesma forma que ela o contemplou aqui na terra. Do céu, ela pede que o Filho interceda por seus filhos e os guie no caminho do bem.

Lembremo-nos, ainda, pelo terceiro ano consecutivo, de tantas pessoas que sofrem por terem perdido seus entes queridos durante a pandemia da Covid-19. Que Nossa Senhora das Dores conforte essas pessoas e as ajude a continuar adiante. Durante esse tempo da quaresma e da Páscoa, possamos nutrir em nós a esperança na vida eterna. Nossa Senhora já nutria dentro de si a esperança na vida eterna e que logo encontraria o seu filho na eternidade. Peçamos a fé para acreditar que após essa vida terrena, sejamos merecedores da vida eterna.

Peçamos a Virgem das Dores que alivie o nosso coração e o coração de todos aqueles que sofrem. Imaginemos que o sofrimento é passageiro, muito maior será a alegria que teremos. Passemos pelo calvário, mas cheguemos com fé à alegria da ressurreição. Construamos aqui na terra o Reino de Deus e que possamos almejar e vivenciar esse Reino de Deus no céu.

Orani João, Cardeal Tempesta, O. Cist.
Arcebispo Metropolitano de São Sebastião do Rio de Janeiro, RJ