Mateus 26, 57-68 Jesus perante o Sinédrio

“Eles responderam:” Ele merece a morte “

Leitura do Evangelho: Mateus 26, 57-68

57 Os que haviam prendido Jesus conduziram-no até Caifás, o sumo sacerdote, onde os escribas e os anciãos estavam reunidos. 58 Mas Pedro o seguiu de longe, até o pátio do sumo sacerdote e, entrando, sentou-se com os guardas para ver o fim.59 Agora, os principais sacerdotes e todo o conselho buscavam falso testemunho contra Jesus para que pudessem colocar ele até a morte, 60 mas eles não encontraram nada, embora muitas testemunhas falsas se apresentassem. Por fim, dois vieram à frente 61 e disseram: “Este homem disse: ‘Posso destruir o templo de Deus e construí-lo em três dias.'”

62 E o sumo sacerdote se levantou e disse: “Não tens resposta fazer? O que esses homens testemunham contra você? ” 63 Mas Jesus ficou em silêncio. E o sumo sacerdote disse-lhe: “Conjuro-te pelo Deus vivo, diga-nos se tu és o Cristo, o Filho de Deus. “64 Disse-lhe Jesus:” Você o disse. Mas eu te digo, daqui por diante você verá o Filho do homem sentado à direita do Poder, e vindo sobre as nuvens do céu. “65 Então o sumo sacerdote rasgou suas vestes e disse:” Ele proferiu blasfêmia. Por que ainda precisamos de testemunhas? Você já ouviu sua blasfêmia. 

66 Qual é o seu julgamento? ”Eles responderam:“ Ele merece a morte. ”67 Então eles cuspiram em seu rosto e o bateram; e alguns o esbofetearam, 68 dizendo:“ Profetiza-nos, ó Cristo! Quem é que te atingiu? ” Por que ainda precisamos de testemunhas? Você já ouviu sua blasfêmia. 66 Qual é o seu julgamento? ”Eles responderam:“ Ele merece a morte. ”67 Então eles cuspiram em seu rosto e o bateram; e alguns o esbofetearam, 68 dizendo:“ Profetiza-nos, ó Cristo! Quem é que te atingiu? ” Por que ainda precisamos de testemunhas? Você já ouviu sua blasfêmia. 66 Qual é o seu julgamento? ”Eles responderam:“ Ele merece a morte. ”67 Então eles cuspiram em seu rosto e o bateram; e alguns o esbofetearam, 68 dizendo:“ Profetiza-nos, ó Cristo! Quem é que te atingiu? “

Meditação: Jesus foi interrogado pelo sumo sacerdote e pelo Sinédrio, a suprema corte dos judeus. Por lei, o sumo sacerdote era obrigado a esperar até de manhã antes de poder chamar o Sinédrio para julgar Jesus. Em sua ânsia de eliminar Jesus, eles não hesitaram em quebrar suas próprias regras para um julgamento justo e usaram falsos testemunhos.

 Os captores de Jesus também usaram de zombaria e intimidação física para enganar seu testemunho. Eles esperavam que ele dissesse algo que pudessem usar como prova de ação criminal. Quando eles pressionaram Jesus por sua reivindicação de ser o Cristo (ou Messias em hebraico) e o Filho de Deus , ele não negou, mas declarou simplesmente: “Eu sou”. Eles entenderam a afirmação de ser o Filho de Deus um insulto à majestade de Deus e, portanto, uma blasfêmia, que era punível com a morte. Jesus suportou maus tratos, zombaria e a acusação de blasfêmia com paz e confiança. 

Pela fé, ele sabia, sem sombra de dúvida, que o que os homens tentariam fazer com ele não poderia frustrar os propósitos de Deus. A cruz levaria ao triunfo final sobre o pecado e a morte e o reino de Deus prevaleceria sobre as forças do mal e de Satanás. A sua fé e esperança estão firmemente ancoradas na vitória de Cristo na cruz?

“Senhor Jesus, você sofreu e morreu voluntariamente por nós e por nossa salvação. Você assumiu o fardo de nossa culpa e o castigo devido aos nossos pecados. Fortaleça minha fé e me ajude em minhas provações para que eu nunca possa negar a você ou abandone seus caminhos. “

Histórinhas para Catequese!

Faça uma doação de qualquer valor e tenha acesso ao site missacomcriancas.com.br . São centenas de historinhas para teatros que podem ser usadas na missa ou encontros de catequese.

DOAR PELO MERCADO PAGO - VALOR R$ 10,00 : Clique aqui

DOAR PELO MERCADO PAGO - VALOR R$ 20,00 : Clique aqui

DOAR PELO MERCADO PAGO - VALOR R$ 50,00 : Clique aqui

Ou FAÇA UMA DOAÇÃO DE QUALQUER VALOR

PIX CHAVE CPF: 16800472808
RESPONSAVEL: Anderson Roberto Fuzatto

Para ter o acesso só me chamar no WhatsApp 19 987634283
Deus te abençoe !