Oração diária Um pobre chamado Lázaro

26º Domingo do Tempo Comum – Ano Litúrgico C

29 de setembro de 2019

ORAÇÃO DO DIA

Pai, não permitas que nada neste mundo me impeça de ver o sofrimento de meu próximo e fazer-me solidário com ele.

PRIMEIRA LEITURA: Am 6,1a.4-7

Leitura da da profecia de Amós – Assim diz o Sehor todo poderoso: 1Ai daqueles que vivem comodamente em Sião, e daqueles que vivem tranquilos no monte da Samaria; ai dos nobres do primeiro dos povos, aos quais acorre a casa de Israel. 4Deitados em leitos de marfim, estendidos em sofás, comem os cordeiros do rebanho e os novilhos do estábulo. 5Deliram ao som da harpa, e, como Davi, inventam para si instrumentos de música; 6bebem o vinho em grandes copos, perfumam-se com óleos preciosos, sem se compadecerem da ruína de José. 7Por isso serão deportados à frente dos cativos, e terão fim os banquetes dos voluptuosos.

  • Palavra do Senhor.
    – Graças a Deus.

SALMO 145(146)

          — Bendize, minha alma, e louva o Senhor.
— Bendize, minha alma, e louva o Senhor.

— O Senhor é fiel para sempre,/ faz justiça aos que são oprimidos;/ ele dá alimento aos famintos,/ é o Senhor quem liberta os cativos.

— O Senhor abre os olhos aos cegos,/ o Senhor faz erguer-se o caído;/ o Senhor ama aquele que é justo./ É o Senhor quem protege o estrangeiro.

— Ele ampara a viúva e o órfão,/ mas confunde o caminho dos maus./ O Senhor reinará para sempre!/ Ó Sião, o teu Deus reinará!

SEGUNDA LEITURA: 1Tm 6,11-16

Leitura da primeira carta de são Paulo ao Timóteo – 11Mas tu, ó homem de Deus, foge desses vícios e procura com todo empenho a piedade, a fé, a caridade, a paciência, a mansidão. 12Combate o bom combate da fé. Conquista a vida eterna, para a qual foste chamado e fizeste aquela nobre profissão de fé perante muitas testemunhas. 13Em presença de Deus, que dá a vida a todas as coisas, e de Cristo Jesus, que ante Pôncio Pilatos abertamente testemunhou a verdade, 14recomendo-te que guardes o mandamento sem mácula, irrepreensível, até a aparição de nosso Senhor Jesus Cristo, 15a qual a seu tempo será realizada pelo bem-aventurado e único Soberano, Rei dos reis e Senhor dos senhores, 16que é o único que possui a imortalidade, e que habita numa luz inacessível; o qual não foi nem pode ser visto por nenhum homem; ao qual seja dada honra e império sempiterno. Amém.

  • Palavra do Senhor.
    – Graças a Deus.

EVANGELHO:  Lc 16,19-31

         – O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
          – Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Lucas.
          – Glória a vós, Senhor.

         Naquele tempo, 19Havia um homem rico que se vestia de púrpura e linho finíssimo, e que todos os dias se banqueteava e se regalava. 20Havia também um mendigo, por nome Lázaro, todo coberto de chagas, que estava deitado à porta do rico. 21Ele avidamente desejava matar a fome com as migalhas que caíam da mesa do rico… Até os cães iam lamber-lhe as chagas. 22Ora, aconteceu morrer o mendigo e ser levado pelos anjos ao seio de Abraão. Morreu também o rico e foi sepultado. 23E estando ele nos tormentos do inferno, levantou os olhos e viu, ao longe, Abraão e Lázaro no seu seio. 24Gritou, então: – Pai Abraão, compadece-te de mim e manda Lázaro que molhe em água a ponta de seu dedo, a fim de me refrescar a língua, pois sou cruelmente atormentado nestas chamas. 25Abraão, porém, replicou: – Filho, lembra-te de que recebeste teus bens em vida, mas Lázaro, males; por isso ele agora aqui é consolado, mas tu estás em tormento. 26Além de tudo, há entre nós e vós um grande abismo, de maneira que, os que querem passar daqui para vós, não o podem, nem os de lá passar para cá. 27O rico disse: – Rogo-te então, pai, que mandes Lázaro à casa de meu pai, pois tenho cinco irmãos, 28para lhes testemunhar, que não aconteça virem também eles parar neste lugar de tormentos. 29Abraão respondeu: – Eles lá têm Moisés e os profetas; ouçam-nos! 30O rico replicou: – Não, pai Abraão; mas se for a eles algum dos mortos, arrepender-se-ão. 31Abraão respondeu-lhe: – Se não ouvirem a Moisés e aos profetas, tampouco se deixarão convencer, ainda que ressuscite algum dos mortos.

  • Palavra da Salvação
    – Glória a vós Senhor.

[apss_share]

Comentário do Evangelho

A parábola do rico festejador e do pobre Lázaro é mais um tema sobre o uso dos bens deste mundo, uma das preocupações de São Lucas. O discípulo de Jesus pode tropeçar muito em seu caminho se não souber administrar com liberdade os bens deste mundo. A parábola fala de um homem rico e elegante que fazia festas diariamente, e de um pobre que ficava na porta do rico esperando alguma sobra para comer. Cachorros vinham lamber as feridas do pobre. Os dois morreram. Os anjos levam o pobre para junto de Abraão. O rico é sepultado e vai para um lugar de tormentos. O profeta Amós ataca fortemente os que vivem seguros e despreocupados, cercados de belas mobílias e alimentados em saborosos banquetes, que podem estar em festas com música e bebida, que usam perfumes finos, mas não se importam com a sorte do povo.

Um dia, diz o profeta, eles estarão na primeira fila dos deportados e acabará a quadrilha dos que zombam dos outros. Na parábola de Jesus, o rico é de tal forma rebaixado que nem nome tem, enquanto o pobre se chama Lázaro. A distância entre os dois depois da morte é intransponível. Um não pode passar para o lado do outro. Vendo que não pode receber uma ajuda de Lázaro, o rico pede a Abraão que mande Lázaro voltar e visitar sua família e explicar a todos o que acontece no outro lado da vida, quem será o vitorioso, o que vale a pena e o que não interessa. Eles têm a Bíblia, diz Abraão. Que a leiam e pratiquem. Nela está a revelação do que Deus quer e do que é decisivo na vida humana. Tudo está ao alcance deles. Eles não precisam que um morto volte a eles para lhes falar. A parábola nos leva a uma opção muito clara, a opção pelo pobre.

A salvação está do lado de Lázaro. Se pensarmos em vitória, sucesso ou bom êxito, Lázaro é o vencedor. Estar do lado do pobre supõe clareza de visão e radicalidade de opção. “Ai de mim se não evangelizar”, dizia São Paulo. É preciso ensinar qual é o caminho seguro. O apóstolo dá conselhos práticos a Timóteo: fugir das coisas perversas, procurar a justiça, a piedade, a fé, o amor, a firmeza, a mansidão. Tais virtudes não se encontravam nem no rico nem em Lázaro. Os dois representam extremos. Tais virtudes supõem um nível humano de equilíbrio. É preciso que Timóteo esteja com Lázaro e ambos se aproximem do rico para que este não fabrique Lázaros, ou ao menos para que ele perceba Lázaro em sua porta.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2019’, Paulinas

LEITURA ORANTE

Oração Inicial
Liturgia do 26º domingo do Tempo Comum. A Palavra de Deus meditada e confrontada com a própria vida nos revela o quanto somos amados por Deus e a imensidão da sua misericórdia para conosco. Ao mesmo tempo, o encontro com a Palavra desvenda também o pecado que habita no coração humano, como vamos perceber na parábola que Jesus nos apresenta hoje: o rico e o pobre Lázaro.
Deixe-se conduzir pela ação do Espírito Santo, que reza em nós, repetindo algumas vezes a invocação: “Divino Espírito Santo, necessitamos da vossa ajuda para conhecermos o caminho que devemos seguir. Amém.”

Leitura (Verdade)
Após a leitura do texto, procure silenciar seu coração por alguns instantes, para recordar as palavras lidas. Faça uma segunda leitura pausadamente e se detenha nas palavras que mais chamaram sua atenção, repetindo-as.
“A vida eterna é dom de Deus, mas ela é preparada durante a nossa peregrinação terrestre. Para a vida cristã, essa preparação exige a prática do amor fraterno, da misericórdia, da solidariedade, do cuidado em relação aos outros, sobretudo com os que mais sofrem. Contrária a tudo isso é a riqueza que pode cegar e tornar-nos indiferentes ao sofrimento dos nossos irmãos. Somente da região dos mortos, onde a situação do ser humano é irreversível, é que aquele rico anônimo compreende que a obediência à Lei, em cujo centro está a misericórdia, é o meio de entrar no Reino de Deus. Por isso, em vão, ele pede que Abraão envie Lázaro para alertar os seus irmãos. A resposta de Abraão alerta todos os discípulos e, com eles, o leitor do evangelho de que o meio para entrar no Reino de Deus está na meditação da Escritura, à qual se deve dar ouvidos. A todos nós Deus oferece os meios para viver a vida de Deus. Esses meios estão consignados na Palavra de Deus, que é uma luz para o nosso modo de proceder. A Lei e os Profetas são dados para esta vida com vistas ao Reino de Deus. É necessário dar o tempo necessário para meditar a Palavra de Deus” (Carlos Alberto Contieri, sj, em “A Bíblia dia a dia”, da Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)
Vamos trazer o texto para nossa vida. Como você compreende a parábola de Jesus nos dias de hoje? Essa realidade está presente em nossa sociedade? Sem dúvida, encontramos o pobre Lázaro todos os dias. Nas ruas e calçadas, andarilhos de um lado para outro, tantos Lázaros nos estendem a mão pedindo solidariedade. Quantas vezes paramos? Quantas vezes abrimos nosso coração e partilhamos?
“O que nos espera além da morte? A história que Jesus narra fala de um homem rico e opulento e de um pobre chamado Lázaro. Aquele vivia na abundância dos bens e na indiferença em relação aos pobres. Lázaro mendigava as migalhas daquele rico. Ambos morreram e tiveram destinos diferentes. O rico foi para o inferno, e Lázaro, para perto de Abraão. Não é a riqueza que leva ao inferno, mas a falta de partilha e a insensibilidade para com os pobres e mais necessitados. Depois de morto, vem o julgamento, e cada um receberá o que plantou na terra. Temos todos os meios disponíveis na terra para nossa santificação. Por isso, busquemos o Senhor enquanto ele se deixa encontrar” (Frei Mário Sérgio Souza, em “Viver a Palavra”, da Paulinas Editora).

Oração (Vida)
Feche os olhos e apresente ao Senhor as pessoas que vieram à sua mente durante a leitura orante. Reze por elas, por si mesmo(a) e por tantos irmãos que vivem em situações extremas de fome, miséria e exclusão.

Contemplação (Vida e Missão)
Com suas parábolas, Jesus procurava tocar os sentimentos das pessoas e, assim, despertá-las para a mudança. Que sentimentos este texto despertou em você? O que você deseja colocar em prática hoje?

Bênção

  • Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
  • Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
  • Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
  • Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

Paulinas

[apss_share]