Oração diária, Um ensinamento novo e com autoridade - Mc 1,21-28

PRECISO MUITO TE AJUDA !
Divida desse mês é de R$ 514,00 (referente a mensalidade do servidor do site) Data para acertar o pagamento: 17/06
Valor arrecadado: R$ 104,89
FAÇA UMA DOAÇÃO DE QUALQUER VALOR
PIX CHAVE EMAIL: doacao@catequizar.com.br
RESPONSAVEL: Anderson Roberto Fuzatto

4º Domingo Comum – Ano Litúrgico B

22 de janeiro de 2018

ORAÇÃO DO DIA

Senhor Jesus, afasta para longe de mim o mal que me impede de ser livre e de fazer-me servidor do Reino.

PRIMEIRA LEITURA: Dt 18,15-20

Leitura do Livro do Deuteronômio

Moisés falou ao povo, dizendo: 15“O Senhor teu Deus fará surgir para ti, da tua nação e do meio de teus irmãos, um profeta como eu: a ele deverás escutar. 16Foi exatamente o que pediste ao Senhor teu Deus, no monte Horeb, quando todo o povo estava reunido, dizendo: ‘Não quero mais escutar a voz do Senhor meu Deus, nem ver este grande fogo, para não acabar morrendo’.
17Então o Senhor me disse: ‘Está bem o que disseram. 18Farei surgir para eles, do meio de seus irmãos, um profeta semelhante a ti. Porei em sua boca as minhas palavras e ele lhes comunicará tudo o que eu lhe mandar. 19Eu mesmo pedirei contas a quem não escutar as minhas palavras que ele pronunciar em meu nome. 20Mas o profeta que tiver a ousadia de dizer em meu nome alguma coisa que não lhe mandei, ou se falar em nome de outros deuses, esse profeta deverá morrer’”.

– Palavra do Senhor.
– Graças

a Deus.

SALMO 94

          — Não fecheis o coração, ouvi hoje a voz de Deus!
— Não fecheis o coração, ouvi hoje a voz de Deus!

— Vinde, exultemos de alegria no Senhor,/ aclamemos o Rochedo que nos salva!/ Ao seu encontro caminhemos com louvores,/ e com cantos de alegria o celebremos!

— Vinde, adoremos e prostremo-nos por terra,/ e ajoelhemos ante o Deus que nos criou!/ Porque ele é o nosso Deus, nosso Pastor,/ e nós somos o seu povo e seu rebanho,/ as ovelhas que conduz com sua mão.

— Oxalá ouvísseis hoje a sua voz:/ “Não fecheis os corações como em Meriba,/ como em Massa, no deserto, aquele dia,/ em que outrora vossos pais me provocaram,/ apesar de terem visto as minhas obras”.

SEGUNDA LEITURA: 1Cor 7,32-35

Leitura da Primeira Carta de São Paulo aos Coríntios –

Irmãos: 32Eu gostaria que estivésseis livres de preocupações. O homem não casado é solícito pelas coisas do Senhor e procura agradar ao Senhor.
33O casado preocupa-se com as coisas do mundo e procura agradar à sua mulher 34e, assim, está dividido. Do mesmo

modo, a mulher não casada e a jovem solteira têm zelo pelas coisas do Senhor e procuram ser santas de corpo e espírito. Mas a que se casou preocupa-se com as coisas do mundo e procura agradar ao seu marido.
35Digo isto para o vosso próprio bem e não para vos armar um laço. O que eu desejo é levar-vos ao que é melhor, permanecendo junto ao Senhor, sem outras preocupações.

– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

EVANGELHO: Mc 1,21-28

– O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Marcos.
          – Glória a vós, Senhor.

21Na cidade de Cafarnaum, num dia de sábado, Jesus entrou na sinagoga e começou a ensinar.
22Todos ficavam admirados com o seu ensinamento, pois ensinava como quem tem autoridade, não como os mestres da Lei.
23Estava então na sinagoga um homem possuído por um espírito mau. Ele gritou: 24“Que queres de nós, Jesus Nazareno?

Vieste para nos destruir? Eu sei quem tu és: tu és o Santo de Deus”.
25Jesus o intimou: “Cala-te e sai dele!”
26Então o espírito mau sacudiu o homem com violência, deu um grande grito e saiu.
27E todos ficaram muito espantados e perguntavam uns aos outros: “O que é isto? Um ensinamento novo dado com autoridade: Ele manda até nos espíritos maus, e eles obedecem!”
28E a fama de Jesus logo se espalhou por toda a parte, em toda a região da Galileia.

– Palavra da Salvação
– Glória a vós Senhor.

[apss_share]

Comentário do Evangelho

No Evangelho de Marcos, Jesus inicia seu ministério público proclamando que o tempo se completou e o Reino de Deus está próximo. Este é o Evangelho de Deus que ele anuncia. Para percebermos o significado dessas palavras, olhamos para Jesus, para a sua vida entre nós, o que diz e o que faz. Começa formando um grupo de amigos, futuros discípulos missionários, que devem trabalhar com ele em favor do ser humano. Serão pescadores de gente. Logo em seguida, Jesus faz o seu primeiro milagre. Na sinagoga de Cafarnaum ele liberta um homem dominado pelo demônio. O demônio se agita e se perturba. Ele sabe que Jesus é o Santo de Deus, e lhe pergunta, no plural: “O que você quer de nós? Você veio nos arruinar?”. O que está acontecendo? Jesus mandou que o demônio saísse daquela pessoa, libertando-a da dominação do poder demoníaco que, na realidade, era exercido pelos escribas.
É possível imaginar o demônio dentro de uma pessoa. Difícil é saber como isso pode acontecer. Você pode também pensar que o demônio exerce sua influência sobre uma pessoa, e essa pessoa passa a trabalhar para ele. O agente do poder demoníaco procura dominar outras pessoas, diminuindo a sua dignidade, tirando delas o que é próprio do ser humano, desumanizando-a. Tal desumanização se faz de muitas maneiras. Uma delas é feita com ensinamentos, com ideias, com princípios, com valores que na realidade são contravalores, maus princípios, ideias e ensinamentos errados. Jesus chega à sinagoga e ensina com autoridade, pesca o pobre homem tirando-o da situação em que se encontrava e provoca a admiração de todos. Temos aí um ensinamento novo, com autoridade e não como os escribas, escreve São Marcos.
São Lucas conta a mesma coisa que Marcos sobre a expulsão do demônio na sinagoga, mas não menciona os escribas. São Mateus, que não relata esta expulsão do demônio, menciona os escribas no fim do sermão da montanha. Lá ele diz que Jesus ensinava com autoridade, e não como os escribas. Por que Marcos coloca essa observação sobre os escribas no episódio da expulsão do demônio? Porque Marcos quer mostrar que Jesus veio enfrentar o poder demoníaco e libertar as pessoas desse poder. O demônio pergunta se Jesus veio para arruiná-lo, para descartá-lo, para tirar-lhe o poder. Ora, quando São Marcos diz que Jesus ensinava com autoridade e não como os escribas, ele está contraponto Jesus aos escribas.
Quem deve estar perguntando se Jesus veio para arruiná-los são os escribas, doutores da Lei, que ensinavam o povo. Agora chega alguém que ensina com mais autoridade do que eles. Os escribas estão sendo descartados. Mas quem faz a pergunta é o demônio. Logo, na visão de São Marcos, os escribas são os agentes do demônio. O que eles ensinam não liberta as pessoas, antes as escraviza. Ensinamentos que excluem, que tolhem a liberdade, que criam complexos, que diminuem o ser humano são demoníacos. No Apocalipse, o Dragão entrega seu poder a uma Besta, que age na terra com a autoridade do Dragão. A Besta é o agente do demônio.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2018’, Paulinas

LEITURA ORANTE

Oração Inicial
Liturgia do 4º domingo do Tempo Comum. “Todos ficaram admirados com o ensinamento de Jesus.” É um ensinamento novo, diferente, que busca fazer a vontade de Deus. Jesus é livre para fazer a vontade do Pai, e sua proposta provoca reações diversas. O Evangelho de hoje é um convite à escuta atenta das palavras de Jesus, para conhecê-lo e segui-lo com liberdade.
Oremos: “Divino Espírito Santo, amor eterno do Pai e do Filho, guia-me nos passos de Jesus, ajuda-me a compreendê-lo.”

Leitura (Verdade)
Leia atentamente o Evangelho, observando as atitudes de Jesus e a reação das pessoas. O que diz o texto? Qual é a atitude de Jesus? O que as pessoas expressam diante do ensinamento de Jesus? Onde Jesus está ensinando? O ensinamento de Jesus era diferente. Era um ensinamento novo e com autoridade. Suas palavras e atitudes provocam admiração nas pessoas, e sua fama se espalha rapidamente por toda a região da Galileia.

Meditação (Caminho)
O que o texto diz a você hoje? Jesus era ativo na sua comunidade. Participava das orações e dos ensinamentos. Cumpria com fidelidade sua tradição, porém não ficava preso à Lei levada ao pé da letra. Jesus é livre em relação à Lei. Por isso seu ensinamento causa admiração. Sua autoridade está em fazer a vontade de Deus, e sua preocupação era a libertação dos marginalizados de sua época. Não basta apenas admirar as atitudes de Jesus; é preciso ser livre para segui-lo e ter também a preocupação de libertar todos aqueles que estão presos em suas amarras. Você é livre para seguir Jesus e assumir com coragem a sua proposta?

Oração (Vida)
“Jesus, Tu és Mestre no ensinamento e no cumprimento da vontade do Pai. Ajuda-me a ser livre para fazer também a vontade do Pai e para colaborar no serviço aos irmãos e irmãs que necessitam de libertação. Que eu não seja apenas um(a) fã de tuas palavras, mas um(a) autêntico(a) discípulo(a) de tua Palavra. Amém!”

Contemplação (Vida e Missão)
O que a Palavra o(a) leva a viver hoje? Qual novo olhar nasceu em você, a partir da Palavra?

Bênção
– Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
– Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
– Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
– Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

[apss_share]