Liturgia diária, Tome sua cruz e me siga - Mt 16,21-27

Na liturgia diária de hoje lemos o Evangelho: Mt 16,21-27

Todo cristão é convidado ao seguimento de Jesus nas suas diversas expressões. O seguimento é um processo de chamado, adesão e resposta.

Façamos a oração do dia: Pai, coloca-me em sintonia com teu Filho Jesus, cuja morte resultou da fidelidade a ti, sem temer seguir o caminho que traçaras para ele.

22º Domingo do Tempo Comum – Ano Litúrgico A

Liturgia do dia 30 de agosto de 2020

PRIMEIRA LEITURA: Jr 20,7-9

Leitura do Livro do Profeta Jeremias

7Seduziste-me, Senhor, e deixei-me seduzir; foste mais forte, tiveste mais poder. Tornei-me alvo de irrisão o dia inteiro, todos zombam de mim.

8Todas as vezes que falo, levanto a voz, clamando contra a maldade e invocando calamidades; a palavra do Senhor tornou-se para mim fonte de vergonha e de chacota o dia inteiro.

9Disse comigo: “Não quero mais lembrar-me disso nem falar mais em nome dele”. Senti, então, dentro de mim um fogo ardente a penetrar-me o corpo todo; desfaleci, sem forças para suportar.

– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

SALMO 63(62)

— A minh’alma tem sede de vós/ como a terra sedenta, ó meu Deus!
— A minh’alma tem sede de vós/ como a terra sedenta, ó meu Deus!

— Sois vós, ó Senhor, o meu Deus!/ Desde a aurora ansioso vos busco!/ A minh’alma tem sede de vós,/ minha carne também vos deseja,/ como terra sedenta e sem água!

Venho, assim, contemplar-vos no templo,/ para ver vossa glória e poder./ Vosso amor vale mais do que a vida;/ e por isso meus lábios vos louvam.

— Quero, pois, vos louvar pela vida,/ e elevar para vós minhas mãos!/ A minh’alma será saciada,/ como em grande banquete de festa;/ cantará a alegria em meus lábios,/ ao cantar para vós meu louvor!

— Para mim fostes sempre um socorro;/ de vossas asas à sombra eu exulto!/ Minha alma se agarra em vós;/ com poder vossa mão me sustenta.

SEGUNDA LEITURA: Rm 12,1-2

Leitura da Carta de São Paulo aos Romanos

1Pela misericórdia de Deus, eu vos exorto, irmãos, a vos oferecerdes em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus: este é o vosso culto espiritual.

2Não vos conformeis com o mundo, mas transformai-vos, renovando vossa maneira de pensar e de julgar, para que possais distinguir o que é da vontade de Deus, isto é, o que é bom, o que lhe agrada, o que é perfeito.

Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

EVANGELHO:  Mt 16,21-27

– O Senhor esteja convosco.
– Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Mateus.
– Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 21Jesus começou a mostrar a seus discípulos que devia ir a Jerusalém e sofrer muito da parte dos anciãos, dos sumos sacerdotes e dos mestres da Lei, e que devia ser morto e ressuscitar no terceiro dia.

22Então Pedro tomou Jesus à parte e começou a repreendê-lo, dizendo: “Deus não permita tal coisa, Senhor! Que isso nunca te aconteça!”

23Jesus, porém, voltou-se para Pedro e disse: “Vai para longe, Satanás! Tu és para mim uma pedra de tropeço, porque não pensas as coisas de Deus, mas sim as coisas dos homens!”

24Então Jesus disse aos discípulos: “Se alguém quer me seguir, renuncie a si mesmo, tome a sua cruz e me siga. 25Pois, quem quiser salvar a sua vida vai perdê-la; e quem perder a sua vida por causa de mim, vai encontrá-la.

26De

fato, que adianta ao homem ganhar o mundo inteiro, mas perder a sua vida? O que poderá alguém dar em troca de sua vida? 27Porque o Filho do Homem virá na glória do seu Pai, com os seus anjos, e então retribuirá a cada um de acordo com sua conduta”.

– Palavra da Salvação
– Glória a vós Senhor.

COMENTÁRIO DO EVANGELHO

Jeremias se encantou com seu Deus. Deixou tudo para servi-lo e anunciar de forma profética a Palavra de Deus. Deus o seduziu e ele se deixou seduzir. O resultado foi uma grande decepção. Zombaram de Jeremias e o perseguiram. O sofrimento do profeta foi tão grande que ele quis desistir, mas, no meio do desânimo, sentiu um fogo ardente penetrar seu corpo. Não foi o fogo da dor e do desânimo. Foi a presença do amor de Deus dando-lhe coragem e impulsionando-o a continuar, apesar do sofrimento e das contradições.

Ninguém entendeu ou quis entender o que Jesus estava dizendo, quando anunciou que ia sofrer e morrer em Jerusalém. No entanto, ouvindo o que ele disse, queremos renunciar a nós mesmos, segui-lo e estar com ele onde ele estiver aqui na terra, para estarmos com ele lá no céu. Para isso decidimos também tomar a cruz e carregá-la com coragem.

Nossas decisões, porém, sofrem a marca da limitação humana. Necessitamos ter diante dos olhos o exemplo do Senhor que vai à nossa frente, que está sempre se entregando por nós na cruz e continua ressuscitando. Não podemos parar no caminho nem desanimar. Voltar sempre ao Evangelho é condição para que Cristo viva em nós, senão o esquema do mundo nos engana e nos domina com facilidade. Mary Ann Rademacher, escritora e artista, escreveu que “a coragem nem sempre ruge.

Muitas vezes a coragem é a voz silenciosa no fim do dia, que diz: ‘Vou tentar de novo amanhã’”. Dizer isso não é resultado da nossa força de vontade. É resultado do impulso do Espírito, do fogo que se reacende dentro de nós. Nosso trabalho consiste em manter vivas as motivações, renovar as utopias, sonhar com o impossível. É bom reexaminar os valores que povoam nossa mente e renová-los, como ensina Paulo aos romanos, a fim de podermos “discernir qual é a vontade de Deus, o que é bom, agradável e perfeito”.

No Evangelho da semana passada, Jesus disse a Pedro: “Feliz és tu, Simão, filho de Jonas […] Tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja […] Eu te darei as chaves do Reino dos Céus”; e hoje, continuando a leitura da semana passada, Jesus se volta para Pedro e lhe diz com veemência: “Vai para trás de mim, satanás! Tu estás sendo para mim uma pedra de tropeço, pois não tens em mente as coisas de Deus, e sim, as dos homens!”. Iluminado por Deus, Pedro tinha feito uma profissão de fé verdadeira: “Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo”.

Agora, movido pelo medo do sofrimento e pelo desejo natural de honra e glória, Pedro não quer ouvir que Jesus vai a Jerusalém para sofrer e morrer na cruz. Mais tarde Pedro compreenderá o que Jesus queria dizer, quando for sua vez de dar testemunho e morrer também ele crucificado. Com Pedro somos todos eternos discípulos, sempre aprendendo que é preciso renunciar a si mesmo, tomar a cruz e seguir Jesus com paciente perseverança.

Nossa conduta, nosso modo de ser, nossas obras mostrarão os valores que povoam nossa mente, se caminhamos atrás da cruz de Cristo ou atrás de ilusões passageiras. O julgamento será feiro, o juiz será Jesus que, na sua bondade, já nos diz agora: “Perca sua vida por causa de mim para encontrá-la”. Se, como ele, nos tornarmos prestadores de serviço longe do poder e da glória deste mundo, parecerá que nossa vida foi perdida, quando, na realidade, ela foi encontrada e salva para sempre.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2020’, Paulinas

LEITURA ORANTE

Oração Inicial

Celebramos hoje o 22º domingo do Tempo Comum. O discípulo de Jesus, a exemplo de seu Mestre, é convidado a tomar a sua cruz todos os dias e a ser promotor da paz e testemunha do amor.

Oremos: “Divino Espírito Santo, necessitamos muito de vossa ajuda para conhecer o caminho que devemos seguir. Temos necessidade de Vós, para que o nosso coração, inundado pela vossa consolação, se abra e que, muito além das palavras e dos conceitos, possamos perceber a vossa presença. Iluminai a nossa mente, movei o nosso coração, para que esta meditação produza em nós frutos de vida. Amém.”

Leitura (Verdade)

Faça uma leitura atenta do Evangelho. Destaque as instruções que Jesus dá aos discípulos. Qual é o convite central do texto? A quem é dirigido? Retome as expressões que chamaram sua atenção.

“Pedro tem muita fé, mas não aceita a prática que dela deriva. Em outra oportunidade, Pedro proclamara sua fé no Messias, o Filho de Deus, mas defende um messianismo triunfal, que não passe pelo sofrimento e pela morte. Ao confessar a divindade de Jesus, Pedro é chamado de bem-aventurado; ao não aceitar a ideia do sofrimento e da morte, recebe o nome de Satanás. Fazer a vontade do Pai foi o grande objetivo de Jesus.

O pecado é não fazer a vontade do Pai. Pedro cedeu à tentação da ótica do comodismo e da fuga do sacrifício. O caminho que leve à ressurreição passa necessariamente pela crucificação. Querendo ficar com o Cristo sem a cruz, podemos acabar ficando com a cruz sem o Cristo. Crer é fazer a Vontade do Pai.” (Viver a Palavra – 2020. Frei Aldo Colombo – Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)

O que o texto diz para mim, hoje? O que significa “tomar a cruz” no seguimento de Jesus? E o que significa “perder a vida” por causa de Jesus? O que o Senhor pede a você neste dia? Quais são as suas disposições para o seguimento de Jesus?

Todo cristão é convidado ao seguimento de Jesus nas suas diversas expressões. O seguimento é um processo de chamado, adesão e resposta. É, ao mesmo tempo, um caminho de identificação com o Mestre, e, para isso, é preciso assumir algumas exigências próprias do seguimento: deixar pai e mãe, tomar a sua cruz, perder a vida…

Ou seja, é preciso fazer opções e orientar toda a vida ao projeto de Jesus. É o próprio Senhor quem nos diz: “Quem não renunciar a seus bens não pode ser meu discípulo” (Lc 14,33). Ele também nos pede que confiemos na força que vem de Deus e na sua presença: “Eu estarei convosco sempre, até o fim do mundo” (Mt 28,20).

Oração (Vida)

“Ó Espírito Santo, dai-me um coração grande, aberto à vossa silenciosa e forte palavra inspiradora, fechado a todas as ambições mesquinhas, alheio a qualquer desprezível competição humana, compenetrado no sentido da santa Igreja. Um coração grande, desejoso de se tornar semelhante ao coração do Senhor Jesus.

Um coração grande e forte para amar todos, para servir a todos, para sofrer por todos. Um coração grande e forte para superar todas as provações, todo tédio, todo cansaço, toda desilusão, toda ofensa. Um coração grande e forte, constante até o sacrifício, quando for necessário. Um coração cuja felicidade é palpitar com o coração de Cristo e cumprir, humilde e fielmente, a vontade do Pai. Amém” (Paulo VI).

Contemplação (Vida e Missão)

Sugestão de proposta para o dia: A cruz que precisamos carregar é o amor aos irmãos

Bênção

  • O Senhor Deus nosso Pai esteja sempre conosco.
  • Ele está no meio nós.

Oremos: “Senhor nosso Deus, Que enviastes Vosso Filho ao mundo Para curar as nossas enfermidades, Levar sobre Si as nossas dores, Redimir nossos pecados e Nos dar a Vida Eterna que vem de Vós, Tendes Piedade de nós!

Deus Misericordioso, Que cuida de todas as Vossas Criaturas, Atendei as nossas suplicas, e Segundo a Vossa Vontade, Protegei o Vosso Povo, Oprimido por essa doença terrível. Guardai e mantenhais a saúde daqueles Que não contraíram essa doença e Dai Senhor, aos que a contraíram, Paciência fortalecida, fé renovada e A cura desse mal, Para que todos nós desfrutemos De plena e duradoura saúde! Por Jesus Cristo nosso Senhor.” Amém.

Todo o Louvor, toda a Honra, toda a Gratidão, Toda a Fé, toda a Confiança, Toda a Adoração e toda a Glória Sejam dadas aos Senhor nosso Deus, Agora e para sempre! Em Nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo! Amém.

Confira a Homilia dominical.Clique aqui

AJUDE A MANTER O SITE NO AR !

Nosso site tem uma divida mensal e a cada dia está mais difícil manter o site no ar. Doe qualquer valor e você ira muito ajudar na manutenção e permanência do site no ar ! O seu gesto de amor ajudara muitos catequistas que visitam nosso site

FAÇA UMA DOAÇÃO DE QUALQUER VALOR

PIX CHAVE CPF: 16800472808
RESPONSAVEL: Anderson Roberto Fuzatto

ou

PIX CHAVE EMAIL: [email protected]
RESPONSAVEL: Anderson Roberto Fuzatto

Deus te abençoe !