Liturgia diária, Tome sua cruz e me siga - Mt 16,21-27

PRECISO MUITO TE AJUDA !
Divida desse mês é de R$ 514,00 (referente a mensalidade do servidor do site) Data para acertar o pagamento: 17/06
Valor arrecadado: R$ 104,89
FAÇA UMA DOAÇÃO DE QUALQUER VALOR
PIX CHAVE EMAIL: doacao@catequizar.com.br
RESPONSAVEL: Anderson Roberto Fuzatto

22º Domingo do Tempo Comum – Ano Litúrgico A

03 de setembro de 2017

ORAÇÃO DO DIA

Pai, coloca-me em sintonia com teu Filho Jesus, cuja morte resultou da fidelidade a ti, sem temer seguir o caminho que traçaras para ele.

PRIMEIRA LEITURA: Jr 20,7-9

Leitura do Livro do Profeta Jeremias

7Seduziste-me, Senhor, e deixei-me seduzir; foste mais forte, tiveste mais poder. Tornei-me alvo de irrisão o dia inteiro, todos zombam de mim.
8Todas as vezes que falo, levanto a voz, clamando contra a maldade e invocando calamidades; a palavra do Senhor tornou-se para mim fonte de vergonha e de chacota o dia inteiro.
9Disse comigo: “Não quero mais lembrar-me disso nem falar mais em nome dele”. Senti, então, dentro de mim um fogo ardente a penetrar-me o corpo todo; desfaleci, sem forças para suportar.

– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

SALMO 63

          — A minh’alma tem sede de vós/ como a terra sedenta, ó meu Deus!
— A minh’alma tem sede de vós/ como a terra sedenta, ó meu Deus!

— Sois vós, ó Senhor, o meu Deus!/ Desde a aurora ansioso vos busco!/ A minh’alma tem sede de vós,/ minha carne também vos deseja,/ como terra sedenta e sem água!

— Venho,

assim, contemplar-vos no templo,/ para ver vossa glória e poder./ Vosso amor vale mais do que a vida;/ e por isso meus lábios vos louvam.

— Quero, pois, vos louvar pela vida,/ e elevar para vós minhas mãos!/ A minh’alma será saciada,/ como em grande banquete de festa;/ cantará a alegria em meus lábios,/ ao cantar para vós meu louvor!

— Para mim fostes sempre um socorro;/ de vossas asas à sombra eu exulto!/ Minha alma se agarra em vós;/ com poder vossa mão me sustenta.

SEGUNDA LEITURA:  Rm 12,1-2

Leitura da Carta de São Paulo aos Romanos

1Pela misericórdia de Deus, eu vos exorto, irmãos, a vos oferecerdes em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus: este é o vosso culto espiritual.
2Não vos conformeis com o mundo, mas transformai-vos, renovando vossa maneira de pensar e de julgar, para que possais distinguir o que é da vontade de Deus, isto é, o que é bom, o que lhe agrada, o que é perfeito

– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

EVANGELHO:  Mt 16,21-27

– O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio

de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Mateus.
          – Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 21Jesus começou a mostrar a seus discípulos que devia ir a Jerusalém e sofrer muito da parte dos anciãos, dos sumos sacerdotes e dos mestres da Lei, e que devia ser morto e ressuscitar no terceiro dia.
22Então Pedro tomou Jesus à parte e começou a repreendê-lo, dizendo: “Deus não permita tal coisa, Senhor! Que isso nunca te aconteça!”
23Jesus, porém, voltou-se para Pedro e disse: “Vai para longe, Satanás! Tu és para mim uma pedra de tropeço, porque não pensas as coisas de Deus, mas sim as coisas dos homens!”
24Então Jesus disse aos discípulos: “Se alguém quer me seguir, renuncie a si mesmo, tome a sua cruz e me siga. 25Pois, quem quiser salvar a sua vida vai perdê-la; e quem perder a sua vida por causa de mim, vai encontrá-la.
26De fato, que adianta ao homem ganhar o

mundo inteiro, mas perder a sua vida? O que poderá alguém dar em troca de sua vida? 27Porque o Filho do Homem virá na glória do seu Pai, com os seus anjos, e então retribuirá a cada um de acordo com sua conduta”.

– Palavra da Salvação
– Glória a vós Senhor.

[apss_share]

Comentário do Evangelho

Pedro recebeu o primado, isto é, ele é o primeiro dos Apóstolos e deve pastorear o rebanho de Cristo, que é a sua Igreja. A ele foram dadas as chaves do Reino dos Céus. O evangelista nos fez participar deste alegre acontecimento na semana passada. Hoje, dando continuidade a seu relato, ouvimos Jesus fazer o primeiro anúncio de sua Paixão e Morte. Vemos a reação de Pedro, presenciamos a reação de Jesus e aprendemos que os seguidores de Jesus renunciam a si mesmos e carregam a cruz. Jesus anuncia sua Paixão, Morte e Ressurreição. Isso deve acontecer em Jerusalém. Pedro reage: “Deus o livre disso, que isso não lhe aconteça”. Amor por Jesus, sem dúvida alguma, mas também reflexo de uma visão equivocada do Messias. Pedro tinha dito que Jesus é o Messias. O que significava isso para Pedro? Certamente Pedro não pensava num Messias sofredor, rejeitado, cuspido, crucificado. O mesmo Jesus que antes chamara Pedro de pedra sobre a qual a Igreja estava sendo edificada, chama-o agora de “satanás”.
Pedro não está pensando as coisas de Deus, e sim as coisas dos homens. O pensamento de Pedro é mundano. Ele tem que aprender a renunciar a si mesmo, tomar a cruz e seguir Jesus como discípulo. Jesus manda Pedro ir para trás dele, que é o lugar de quem segue o Mestre. Na frente, ele se torna pedra de tropeço para o próprio Jesus. Jeremias parece refletir os sentimentos de Pedro. “Seduziste-me, Senhor”, diz o profeta. “Eu me encantei com o Senhor, decidi segui-lo, esperei tanta coisa – O que? Poder deste mundo? – e o Senhor me oferece a cruz e a permanente situação de discípulo, de aluno? Acho que fui seduzido, fui enganado.” A vida de Jeremias é feita de desentendimentos e de sofrimentos por causa da Palavra de Deus que ele deve anunciar.
A tentação do desânimo é muito grande. Ele sente, porém, a Palavra de Deus como um fogo que o queima por dentro. Tenta se desfazer dessa Palavra e não consegue. Ela é mais forte do que ele. Humildemente ele confessa que não está sendo capaz de aguentar. No seguimento de Jesus Cristo, numa comunidade real, visível, feita de gente que se relaciona, há muitas funções. Todos, porém, são discípulos e são sempre discípulos, alunos, que estão aprendendo a vida toda, não importa a função que tenham. Todos são seguidores de Jesus morto, crucificado e ressuscitado. O último lugar é o lugar de Jesus e do discípulo.
A função não dá automaticamente o pensamento de Deus. Pedro ainda pensava como os homens. Paulo nos adverte de não assumir o esquema do mundo, e sim o de Deus. Estamos no mundo, aquele que Deus criou, e no mundo que é a sociedade organizada por nós, homens e mulheres. Os valores desta sociedade nem sempre são os valores de Deus. Ela se organiza em sistemas que caracterizamos com nomes como capitalista, neoliberal, socialista, comunista, democrático. Tais sistemas propõem seus valores, que, às vezes, contêm veneno. A consciência crítica do cristão procura discernir entre o que é pensamento de Deus e pensamento dos homens. Para isso somos também convidados a uma transformação, renovando nossa maneira de pensar e de julgar, o que será uma ação constante na nossa vida. Busquemos Deus e nos agarremos a ele porque, com poder, sua mão nos sustenta. Apesar das dificuldades, sabemos que seremos saciados como num banquete de festa.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2017’, Paulinas

LEITURA ORANTE

Oração Inicial
Celebramos hoje o 22º domingo do Tempo Comum. O discípulo de Jesus, a exemplo de seu Mestre, é convidado a tomar a sua cruz todos os dias e a ser promotor da paz e testemunha do amor.
Oremos: “Divino Espírito Santo, necessitamos muito de vossa ajuda para conhecer o caminho que devemos seguir. Temos necessidade de Vós, para que o nosso coração, inundado pela vossa consolação, se abra e que, muito além das palavras e dos conceitos, possamos perceber a vossa presença. Iluminai a nossa mente, movei o nosso coração, para que esta meditação produza em nós frutos de vida. Amém.”

Leitura (Verdade)
Faça uma leitura atenta do Evangelho. O que diz o texto? Destaque as instruções que Jesus dá aos discípulos. Qual é o convite central do texto? A quem é dirigido? Retome as expressões que chamaram sua atenção.
“Jesus e os discípulos iniciam a caminhada com destino a Jerusalém, onde ele pressente o confronto fatal com as autoridades do Templo; por isso, é repreendido por Pedro. Após censurar, Jesus reforça a instrução quanto ao despojamento e à disponibilidade que eles devem assumir. ‘Renunciar a si mesmo’ é abandonar as propostas sedutoras de sucesso e segurança oferecidas pelos poderosos deste mundo, particularmente pelos meios de comunicação, as quais escravizam os ‘incluídos’ e arrasam os excluídos. Encontrar a vida é assumir a bem-aventurança dos pobres e colocar-se a serviço dos irmãos. ‘Carregar a sua cruz’ significa enfrentar as dificuldades e sofrimentos impostos por um sistema capitalista perverso a quem nele não se insere, vivendo a liberdade dos filhos de Deus. É a bem-aventurança dos perseguidos por sua adesão à causa da justiça. O dito final (v. 28) é independente e aparece nos três sinóticos. Exprime a tardia compreensão dos discípulos da atualidade do Reino, após a morte de Jesus” (Reflexão de José Raimundo Oliva, em “A Bíblia dia a dia”, da Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)
O que o texto diz a você, hoje? O que significa “tomar a cruz” no seguimento de Jesus? E o que significa “perder a vida” por causa de Jesus? O que o Senhor pede a você neste dia? Quais são as suas disposições para o seguimento de Jesus?
Todo cristão é convidado ao seguimento de Jesus nas suas diversas expressões. O seguimento é um processo de chamado, adesão e resposta. É, ao mesmo tempo, um caminho de identificação com o Mestre, e, para isso, é preciso assumir algumas exigências próprias do seguimento: deixar pai e mãe, tomar a sua cruz, perder a vida… Ou seja, é preciso fazer opções e orientar toda a vida ao projeto de Jesus. É o próprio Senhor quem nos diz: “Quem não renunciar a seus bens não pode ser meu discípulo” (Lc 14,33). Ele também nos pede que confiemos na força que vem de Deus e na sua presença: “Eu estarei convosco sempre, até o fim do mundo” (Mt 28,20).

Oração (Vida)
“Ó Espírito Santo, dai-me um coração grande, aberto à vossa silenciosa e forte palavra inspiradora, fechado a todas as ambições mesquinhas, alheio a qualquer desprezível competição humana, compenetrado no sentido da santa Igreja. Um coração grande, desejoso de se tornar semelhante ao coração do Senhor Jesus. Um coração grande e forte para amar todos, para servir a todos, para sofrer por todos. Um coração grande e forte para superar todas as provações, todo tédio, todo cansaço, toda desilusão, toda ofensa. Um coração grande e forte, constante até o sacrifício, quando for necessário. Um coração cuja felicidade é palpitar com o coração de Cristo e cumprir, humilde e fielmente, a vontade do Pai. Amém” (Paulo VI).

Contemplação (Vida e Missão)
Qual novo olhar nasceu em você a partir da Palavra?

Bênção
– Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
– Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
– Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
– Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

Leitura orante: Equipe de Redação Paulinas Internet.

[apss_share]