Liturgia diária A tempestade acalmada - Mc 4,35-41

3ª Semana Comum – Ano Litúrgico A

28 de janeiro de 2017

ORAÇÃO DO DIA

Pai, concede-me uma fé profunda que permita manter-me sereno em meio às tribulações desta vida, certo de que está comigo o Senhor.

PRIMEIRA LEITURA: Hb 11,1-2.8-19

Leitura da Carta aos Hebreus – Irmãos, 1A fé é um modo de já possuir o que ainda se espera, a convicção acerca de realidades que não se vêem. 2Foi a fé que valeu aos antepassados um bom testemunho. 8Foi pela fé que Abraão obedeceu à ordem de partir para uma terra que devia receber como herança, e partiu, sem saber para onde ia. 9Foi pela fé que ele residiu como estrangeiro na terra prometida, morando em tendas com Isaac e Jacó, os co-herdeiros da mesma promessa. 10Pois esperava a cidade alicerçada que tem Deus mesmo por arquiteto e construtor. 11Foi pela fé também que Sara, embora estéril e já de idade avançada, se tornou capaz de ter filhos, porque considerou fidedigno o autor da promessa. 12É por isso também que de um só homem, já marcado pela morte, nasceu a multidão “comparável às estrelas do céu e inumerável como a areia das praias do mar”. 13Todos estes morreram na fé. Não receberam a realização da promessa, mas a puderam ver e saudar de longe e se declararam estrangeiros e migrantes nesta terra. 14Os que falam assim demonstram que estão buscando uma pátria, 15e se se lembrassem daquela que deixaram, até teriam tempo de voltar para lá. 16Mas agora, eles desejam uma pátria melhor, isto é, a pátria celeste. Por isto, Deus não se envergonha deles, ao ser chamado o seu Deus. Pois preparou mesmo uma cidade para eles. 17Foi pela fé que Abraão, posto à prova, ofereceu Isaac; ele, o depositário da promessa, sacrificava o seu filho único, 18do qual havia sido dito: “É em Isaac que uma descendência levará o teu nome”. 19Ele estava convencido de que Deus tem poder até de ressuscitar os mortos, e assim recuperou o filho — o que é também um símbolo.

– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

SALMO Sl 1,69-70.71-72.73-75

          — Bendito seja o Senhor Deus de Israel, porque a seu povo visitou e libertou!
— Bendito seja o Senhor Deus de Israel, porque a seu povo visitou e libertou!

— Fez surgir um poderoso Salvador na casa de Davi, seu servidor, como falara pela boca de seus santos, os profetas desde os tempos mais antigos

— para salvar-nos do poder dos inimigos e da mão de todos quantos nos odeiam. Assim mostrou misericórdia a nossos pais, recordando a sua santa Aliança

— e o juramento a Abraão, o nosso pai, de conceder-nos que, libertos do inimigo, a ele nós sirvamos sem temor em santidade e em justiça diante dele, enquanto perdurarem nossos dias.

EVANGELHO:  Mc 4,35-41

         – O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Marcos.
          – Glória a vós, Senhor.

         35Naquele dia, ao cair da tarde, Jesus disse a seus discípulos: “Vamos para a outra margem!” 36Eles despediram a multidão e levaram Jesus consigo, assim como estava na barca. Havia ainda outras barcas com ele. 37Começou a soprar uma ventania muito forte e as ondas se lançavam dentro da barca, de modo que a barca já começava a se encher. 38Jesus estava na parte de trás, dormindo sobre um travesseiro. Os discípulos o acordaram e disseram: “Mestre, estamos perecendo e tu não te importas?” 39Ele se levantou e ordenou ao vento e ao mar: “Silêncio! Cala-te!” O vento cessou e houve uma grande calmaria. 40Então Jesus perguntou aos discípulos: “Por que sois tão medrosos? Ainda não tendes fé?” 41Eles sentiram um grande medo e diziam uns aos outros: “Quem é este, a quem até o vento e o mar obedecem?”

– Palavra da Salvação
– Glória a vós Senhor.

[apss_share]

Comentário do Evangelho

Estamos perecendo e Jesus não se importa. A tempestade se abate sobre nós, a pequena embarcação da nossa vida se enche de água. Estamos para naufragar. Perigos da vida, perigos do mar. Disseram que o Senhor é o meu Pastor e que nada me faltará. Ele está dormindo sobre um travesseiro e está faltando tudo. Valeu a pena entrar no barco para estar com Jesus? “Tudo vale a pena se a alma não é pequena. Quem quer passar além do Bojador tem que passar além da dor. Deu ao mar o perigo e o abismo deu, mas nele é que espelhou o céu” – versos de Fernando Pessoa.
Por que somos tão medrosos? Ainda não temos fé? Santo Tomás de Aquino, que hoje celebramos, no estudo sobre Marcos transmite o comentário de São João Crisóstomo de que Jesus, dormindo, “deu tempo ao temor” dos discípulos. Se estivesse acordado, não teriam rogado como fizeram. Certamente lhes deu tempo para testar-lhes a fé. Ouviu Deus o grito de seu povo, e o libertou. Sabia que sofria, mas queria ouvir de sua boca o clamor.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2017’, Paulinas

LEITURA ORANTE

Oração Inicial
“Por que sois tão medrosos? Ainda não tendes fé?” O Evangelho nos convida a sair da margem do medo, da insegurança, e a ter fé em Jesus nos momentos de aflição.
Oremos: “Divino Espírito Santo, amor eterno do Pai e do Filho, fortalece minha fé para que ela seja maior do que minhas aflições. Amém.”

Leitura (Verdade)
O que diz o texto? Leia atentamente o Evangelho de hoje e observe a cena narrada. Qual é a atitude dos discípulos? Onde Jesus estava? Quais os sentimentos dos discípulos? Qual é a atitude de Jesus? Quais os questionamentos de Jesus para os discípulos? Qual é a reação dos discípulos diante da atitude de Jesus?
“Como podem os discípulos, testemunhas de todo o bem que Jesus tem feito pelas pessoas, através de uma pergunta – ‘Não te importas?’ –, emitir um juízo negativo sobre a atitude de Jesus? A travessia para a outra margem é figura da passagem que os discípulos devem fazer da incredulidade à confiança. A vida humana e tudo o que concerne à existência do homem interessam a Deus; nenhuma súplica cai no vazio. Do que, então, os discípulos têm medo? A verdade é que o medo e o apavoramento dos discípulos contrastam com a tranquilidade de Jesus, que dorme na parte de trás do barco. Acordado pelo desespero dos discípulos, Jesus repreende e domina a fúria dos ventos e do mar, com a mesma firmeza e determinação com que repreende os demônios para expulsá-los da vida do ser humano (cf. Mc 1,25). O evangelho de hoje é uma proclamação da divindade e da vitória de Cristo sobre o mal e a morte. Para toda a Igreja é feito um apelo: é preciso confiança no Senhor que venceu, por sua paixão, morte e ressurreição, o mal e a morte. Dessa vitória todos somos herdeiros, pela graça de Jesus Cristo” (Reflexão de Pe. Carlos Alberto Contieri, sj, em “A Bíblia dia a dia”, Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)
O que o texto diz a você hoje? O que provoca desespero e aflição em sua vida? Qual sua atitude diante das aflições? Em quais momentos você sente a ausência de Jesus? Você tem consciência da presença de Jesus conduzindo o barco da sua vida? Quem é Jesus para você?

Oração (Vida)
Invocações a Jesus Mestre
Jesus Mestre, santificai meus pensamentos e aumentai minha fé.
Jesus Mestre, libertai-me do desânimo e fortificai minha esperança.
Jesus, Mestre vivo na Igreja, ajudai-me a viver a solidariedade e o amor.
Jesus Mestre, caminho entre o Pai e nós, tudo vos ofereço e de Vós tudo espero.
Jesus, caminho da santidade, tornai-me vosso fiel seguidor.
Jesus Caminho, tornai-me perfeito como o Pai que está nos céus.
Jesus Vida, vivei em mim, para que eu viva em Vós.
Jesus Vida, fazei-me viver eternamente na alegria do vosso amor.
Jesus Verdade, que eu seja luz para o mundo.
Jesus Caminho, que eu seja vossa testemunha autêntica diante de todos.
Jesus Vida, fazei que minha presença comunique vosso amor e vossa alegria. Amém

Contemplação (Vida e Missão)
O que o Evangelho o(a) leva a viver? Quais situações Jesus pede que você viva com fé?

Bênção
– Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
– Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
– Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
– Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

[apss_share]