Liturgia e evangelho, Transfiguração do Senhor - Mt 17,1-9

Transfiguração do Senhor – Ano Litúrgico C

06 de agosto de 2017

ORAÇÃO DO DIA

Espírito de glorificação, ajuda-me a compreender a paixão de Jesus sob o prisma da transfiguração, pois foi o Filho predileto do Pai quem se tornou vítima da maldade humana.

PRIMEIRA LEITURA: Dn 7,9-10.13-14

Leitura da Profecia de Daniel – 9Eu continuava olhando até que foram colocados uns tronos, e um Ancião de muitos dias aí tomou lugar. Sua veste era branca como neve e os cabelos da cabeça, como lã pura; seu trono eram chamas de fogo, e as rodas do trono, como fogo em brasa. 10Derramava-se aí um rio de fogo que nascia diante dele; serviam-no milhares de milhares, e milhões de milhões assistiam-no ao trono; foi instalado o tribunal e os livros foram abertos.
13Continuei insistindo na visão noturna, e eis que, entre as nuvens do céu, vinha um como filho do homem, aproximando-se do Ancião de muitos dias, e foi conduzido à sua presença. 14Foram-lhe dados poder, glória e realeza, e todos os povos, nações e línguas o serviam: seu poder é um poder eterno que não lhe será tirado, e seu reino, um reino que não se dissolverá.

— Palavra do Senhor.
— Graças a Deus!

Segunda Leitura (2Pd 1,16-19)

Leitura

da Segunda Carta de São Pedro – Caríssimos, 16não foi seguindo fábulas habilmente inventadas que vos demos a conhecer o poder e a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo, mas sim, por termos sido testemunhas oculares da sua majestade. 17Efetivamente, ele recebeu honra e glória da parte de Deus Pai, quando do seio da esplêndida glória se fez ouvir aquela voz que dizia: “Este é o meu Filho bem-amado, no qual ponho o meu bem-querer”. 18Esta voz, nós a ouvimos, vinda do céu, quando estávamos com ele no monte Santo. 19E assim se nos tornou ainda mais firme a palavra da profecia, que fazeis bem em ter diante dos olhos, como lâmpada que brilha em lugar escuro, até clarear o dia e levantar-se a estrela da manhã em vossos corações.

– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

SALMO 96

       — Deus é Rei, é o Altíssimo, muito acima do universo.
— Deus é Rei, é o Altíssimo, muito acima do universo.

— Deus é Rei! Exulte a terra de alegria, e as ilhas numerosas rejubilem! Treva e nuvem o rodeiam no seu trono, que se apóia na justiça e no direito.

As montanhas se derretem como cera ante a face do Senhor de toda a terra; e assim proclama o céu sua justiça, todos os povos podem ver a sua glória.

— Porque vós sois o altíssimo, Senhor, muito acima do universo que criastes, e de muito superais todos os deuses

EVANGELHO: Mt 17,1-9

         – O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Mateus.
          – Glória a vós, Senhor.

          Naquele tempo, 1Jesus tomou consigo Pedro, Tiago e João, seu irmão, e os levou a um lugar à parte, sobre uma alta montanha. 2E foi transfigurado diante deles; o seu rosto brilhou como o sol e as suas roupas ficaram brancas como a luz. 3Nisto apareceram-lhe Moisés e Elias, conversando com Jesus.
4Então Pedro tomou a palavra e disse: “Senhor, é bom ficarmos aqui. Se queres, vou fazer aqui três tendas: uma para ti, outra para Moisés e outra para Elias”. 5Pedro

ainda estava falando, quando uma nuvem luminosa os cobriu com sua sombra. E da nuvem uma voz dizia: “Este é o meu Filho amado, no qual eu pus todo o meu agrado. Escutai-o!”
6Quando ouviram isto, os discípulos ficaram muito assustados e caíram com o rosto em terra. 7Jesus se aproximou, tocou neles e disse: “Levantai-vos e não tenhais medo”.
8Os discípulos ergueram os olhos e não viram mais ninguém, a não ser somente Jesus. 9Quando desciam da montanha, Jesus ordenou-lhes: “Não conteis a ninguém esta visão até que o Filho do Homem tenha ressuscitado dos mortos”.

– Palavra da Salvação
– Glória a vós Senhor.

Comentário do Evangelho

Os evangelistas contam que Jesus se transfigurou no alto de um monte diante de Pedro, Tiago e João. O calendário litúrgico celebra esse acontecimento no dia seis de agosto. Se o dia seis de agosto cair num domingo, os textos da missa não são os do domingo, e sim os da festa da Transfiguração, como neste ano. O Evangelho da Transfiguração é lido também, todos os anos, no segundo domingo da Quaresma. Por que fazemos da Transfiguração uma festa? Porque esse acontecimento da vida de Jesus revela quem ele é, quem somos nós e o que nos espera no dia em que o veremos face a face. Na segunda carta de Pedro temos o relato de uma testemunha ocular que estava no monte e garante não estar transmitindo fábulas. São Paulo, por sua vez, ergue os olhos dos filipenses para o céu, de onde virá o Salvador Jesus Cristo que vai transfigurar o nosso corpo humilhado, conformando-o ao seu corpo glorioso. O mesmo Paulo convida os romanos a oferecerem este corpo que vai ser transfigurado como hóstia viva e agradável a Deus, não assimilando a forma do mundo. A forma que almejamos é a do corpo glorioso do Senhor. Paulo usa a raiz verbal “esquema” para propor a forma ou conformidade com o corpo do Senhor, e não conformidade com o mundo. “Não se deixem esquematizar por este mundo.”
No alto do mundo, enquanto rezava, o aspecto do rosto de Jesus se alterou e suas roupas começaram a brilhar. Quando Moisés falava com Deus, os filhos de Israel viam seu rosto resplandecer. A proximidade da luz ilumina mais intensamente, mas também ofusca a vista. Por enquanto somos chamados a brilhar como astros no meio de uma geração corrompida. Um dia, porém, vamos resplandecer transfigurados na luz de Deus. Tudo acontece no alto de um monte porque, num monte, tanto Moisés quanto Elias experimentaram a presença de Deus. Hoje, o Cristo transfigurado assimila e sintetiza a Lei e os Profetas representados por Moisés e Elias. Tudo o que está escrito nas Escrituras se realiza em Jesus Cristo. Começamos a sentir a transformação do nosso corpo miserável que se conforma ao corpo glorioso do Cristo que vem. O profeta Daniel vê alguém com aparência humana que vem entre as nuvens dos céus. Este alguém é “filho de homem”, o que significa que é um ser humano. Ele se aproxima de um Ancião que está sentado num trono e recebe um poder e um reino eternos. É o Messias que vai até Deus e recebe poder, glória e realeza sobre todos os povos.
A liturgia oriental, que celebra com destaque esta festa, canta no Ofício Divino: “Luz imutável da luz do Pai, o Verbo, na tua brilhante luz; nós hoje vimos no Tabor a luz que é o Pai e a luz que é o Espírito, luz que ilumina toda a criatura”. O ambiente da Transfiguração é todo de luz.
Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2017’, Paulinas.

LEITURA ORANTE

Oração (Vida)

Agradeça tudo o que a Palavra lhe permitiu compreender e vivenciar do mistério de Cristo. Apresente ainda ao Senhor a oração que brotou em seu coração durante a leitura orante.
“Jesus, divino Mestre, nós vos adoramos, Filho unigênito de Deus, vindo ao mundo para dar às pessoas a vida em plenitude. Nós vos louvamos e agradecemos, porque morrestes na cruz para obter-nos a vida divina que nos comunicais no batismo e alimentais com a Eucaristia e os outros sacramentos. Vivei em nós, Jesus, pelo vosso Espírito, para que vos amemos com todo o nosso ser e amemos o próximo como a nós mesmos no vosso amor. Fazei crescer em nós esse amor, para que um dia, ressuscitados, partilhemos convosco a alegria do Reino dos céus. Amém.”

Leitura (Verdade)

O que diz o texto? Quais personagens estão presentes na narrativa? Qual é a mensagem central do texto?
“O relato da transfiguração de Jesus é uma prolepse da sua glorificação escatológica. A montanha é o lugar do encontro com Deus, lugar da revelação de Deus. É na comunhão com Deus que o rosto de Jesus é transfigurado e que o Pai revela o Filho. A nuvem é símbolo da presença de Deus. Dela sai a voz que interpreta a visão. A voz da transfiguração é idêntica à do Batismo; ela evoca tanto o Messias como o servo de Deus. A intervenção de Pedro cai no vazio, pois precipitada. A nuvem luminosa que os envolve é o que os faz entrar na intimidade divina para conhecer os mistérios de Jesus a quem eles seguem. Esconderam o rosto e foram tomados de ‘medo’, pois eles sabiam estar na presença de Deus; sabiam que ver Deus é morrer. Agora, Pedro e os outros dois podem compreender que a verdadeira tenda, isto é, o lugar da habitação de Deus, é Jesus, a quem eles são convidados a escutar, isto é, a aderir incondicionalmente”

Contemplação (Vida e Missão)

De que forma você deseja colocar em prática os apelos que a Palavra de Deus lhe revelou?

Bênção

– Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
– Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
– Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
– Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.
Leitura orante: Equipe de Redação Paulinas Internet.

[apss_share]

AJUDE A MANTER O SITE NO AR !

Nosso site tem uma divida mensal e a cada dia está mais difícil manter o site no ar. Doe qualquer valor e você ira muito ajudar na manutenção e permanência do site no ar ! O seu gesto de amor ajudara muitos catequistas que visitam nosso site

FAÇA UMA DOAÇÃO DE QUALQUER VALOR

PIX CHAVE CPF: 16800472808
RESPONSAVEL: Anderson Roberto Fuzatto

ou

PIX CHAVE EMAIL: [email protected]
RESPONSAVEL: Anderson Roberto Fuzatto

Deus te abençoe !