Liturgia diária Solenidade da Santa Mãe de Deus

Solenidade da Santa Mãe de Deus – Ano Litúrgico A

01 de janeiro de 2017

ORAÇÃO DO DIA

Pai, dá-me a luz do teu Espírito, para que, como Maria, eu possa compreender o desígnio de amor que tens para mim, e ser-lhe fiel.

PRIMEIRA LEITURA: Nm 6,22-27

Leitura do Livro dos Números – 22O Senhor falou a Moisés, dizendo: 23“Fala a Aarão e a seus filhos: Ao abençoar os filhos de Israel, dizei-lhes: 24‘O Senhor te abençoe e te guarde! 25O Senhor faça brilhar sobre ti a sua face, e se compadeça de ti! 26O Senhor volte para ti o seu rosto e te dê a paz!’
27Assim invocarão o meu nome sobre os filhos de Israel, e eu os abençoarei”.

– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

SALMO 66

— Que Deus nos dê a sua graça e sua bênção.
— Que Deus nos dê a sua graça e sua bênção.

— Que Deus nos dê a sua graça e sua bênção,/ e sua face resplandeça sobre nós!/ Que na terra se conheça o seu caminho/ e a sua salvação por entre os povos.

— Exulte de alegria a terra inteira,/ pois julgais o universo com justiça;/ os povos governais com retidão,/ e guiais, em toda a terra, as nações.

— Que as nações vos glorifiquem, ó Senhor,/ que todas as nações vos glorifiquem!/ Que o Senhor e nosso Deus nos abençoe,/ e o respeitem os confins de toda a terra!

SEGUNDA LEITURA: Gl 4,4-7

Leitura da Carta de São Paulo aos Gálatas – Irmãos: 4Quando se completou o tempo previsto, Deus enviou o seu Filho, nascido de uma mulher, nascido sujeito à Lei, 5a fim de resgatar os que eram sujeitos à Lei e para que todos recebêssemos a filiação adotiva.
6E, porque sois filhos, Deus enviou aos nossos corações o Espírito do seu Filho, que clama: Abá — ó Pai!
7Assim, já não és escravo, mas filho; e, se és filho, és também herdeiro: tudo isso por graça de Deus.

– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

EVANGELHO: Lc 2,16-21

– O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Lucas.
          – Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 16os pastores foram às pressas a Belém e encontraram Maria e José, e o recém-nascido deitado na manjedoura.
17Tendo-o visto, contaram o que lhes fora dito sobre o menino. 18E todos os que ouviram os pastores ficaram maravilhados com aquilo que contavam.
19Quanto a Maria, guardava todos esses fatos e meditava sobre eles em seu coração.
20Os pastores voltaram, glorificando e louvando a Deus por tudo que tinham visto e ouvido, conforme lhes tinha sido dito. 21Quando se completaram os oito dias para a circuncisão do menino, deram-lhe o nome de Jesus, como fora chamado pelo anjo antes de ser concebido.

– Palavra da Salvação
– Glória a vós Senhor.

[apss_share]

Comentário do Evangelho

Abençoados com a bênção de Aarão, começamos o ano sob a proteção da Mãe, aquela que é Mãe de Deus porque seu Filho Jesus é Deus, aquela que guardava em seu coração e meditava tudo o que dizia respeito a seu Filho. No calendário civil iniciamos o Ano-Novo; no calendário litúrgico, continuamos no Tempo do Natal. Este Tempo é um tempo de festas. Já celebramos duas: o Nascimento de Jesus e a Sagrada Família. Restam ainda três: a festa de hoje, Maria Mãe de Deus, a Epifania e o Batismo.
No ano 428, em Constantinopla, capital do império bizantino, um padre chamado Anastácio, pregando diante do Patriarca Nestório, disse: “Que ninguém chame Maria de Mãe de Deus, porque Maria pertencia à raça humana, e é impossível que de uma criatura humana tenha podido nascer um Deus”. O povo ficou espantado e pediu ao Patriarca uma explicação. Nestório confirmou a pregação do padre e disse que era coisa de pagão dar mãe aos deuses. Dizia Nestório que “Deus, puro espírito, não pode ter sido gerado por uma mulher; a criatura não pôde gerar o Criador. Não, Maria não gerou o Deus por quem veio a redenção dos homens; ela deu à luz o homem no qual o Verbo se encarnou, pois o Verbo tomou carne num homem mortal”. Mais tarde, no ano 431, São Cirilo, Patriarca de Alexandria no Egito, escreveu a Nestório, que “da Santa Virgem Maria não nasceu primeiro um homem qualquer e depois o Verbo divino desceu sobre este homem, e sim que o Verbo nasceu segundo a carne da Virgem Maria. A natureza divina do Verbo não teve origem em Maria, mas dela nasceu o santo corpo, dotado de alma racional, ao qual o Verbo se uniu desde o momento da concepção”. Por isso, escreve São Cirilo, “os santos padres não acharam inconveniente chamar a santa Virgem de Mãe de Deus”.
O Concílio de Éfeso afirmou que Jesus Cristo é uma só pessoa, e que Maria é a mãe dessa pessoa. Esta pessoa é o Filho de Deus, que é Deus como o Pai e o Espírito Santo. Não temos, pois, dificuldade em chamar Maria de Mãe de Deus porque, no momento em que ela aceitou a palavra do anjo Gabriel, o Verbo Divino começou a ser verdadeiro homem, assumindo, numa mesma pessoa, a natureza humana da carne virginal de Maria.
Hoje, com São Cirilo, saudamos “Maria, Mãe de Deus, por cuja causa é chamado bendito, nos santos Evangelhos, aquele que vem em nome do Senhor […] O mundo todo está alegre. Que nos seja concedido venerar e adorar a unidade, venerar e honrar a indivisível Trindade, cantando os louvores de Maria sempre Virgem, isto é, do santo Templo, e as de seu Filho e de seu Esposo imaculado, pois a ele pertence a glória pelos séculos dos séculos. Amém”.
Da manjedoura ao berço de ouro, todos têm agora a possibilidade de chamar a Deus de Pai, Maria de Mãe e o Menino de irmão. Pela graça de Deus somos todos filhos e herdeiros da mesma herança. Jesus podia ter nascido num berço de ouro, e então teria sido difícil incluir na herança os que nascem na manjedoura. Por isso nasceu na manjedoura para incluir a todos, até mesmo os que nascem em berço de ouro.
Que as famílias guardem em seu coração tudo o que diz respeito ao Salvador. Sejamos todos construtores de relacionamentos pacíficos e cordiais. Reconheçam as mães a beleza de sua vocação. Não deteriorem o corpo que gera filhos, concebidos no amor. No dia internacional da paz, fruto da justiça, que a Mãe Maria inspire todas as mães a serem construtoras de um mundo no qual seus filhos possam brincar em paz.
Os pastores encontraram em Belém José, o Menino Jesus e Maria, que meditava em seu coração tudo o que diziam sobre seu filho. No oitavo dia, o da circuncisão, o menino recebeu o nome de Jesus, como fora chamado pelo anjo “antes de ser concebido no ventre da mãe”. Ele foi concebido no ventre de Maria, por isso nós a chamamos com todo o direito de Mãe de Deus.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2017’, Paulinas

LEITURA ORANTE

Oração Inicial
Neste primeiro dia do ano, celebramos a Solenidade da Santa Mãe de Deus, Maria, a mulher da escuta, da meditação e do “sim” ao projeto de Deus. Com ela, desejamos acolher o novo ano que se inicia e, a cada dia, o seu Filho vindo ao mundo.
Rezemos: “Vem, Espírito Santo! Faze-nos amar as Escrituras, para reconhecermos a voz viva de Jesus. Torna-nos humildes e simples, a fim de compreendermos os mistérios do Reino de Deus. Amém.”

Leitura (Verdade)
O que diz o texto? Faça uma leitura atenta e destaque as palavras que chamaram a sua atenção durante a leitura. Retome essas palavras e procure compreender o seu sentido no contexto da narrativa. Detenha-se na figura de Maria, de José, do Menino e dos pastores.
“Nossa história, marcada por luzes e sombras, é o lugar em que se manifesta a bênção de Deus, a saber, Nosso Senhor Jesus Cristo. É essa bênção que encheu o coração dos pastores de Belém de intensa alegria e os fez correr até a gruta onde se encontrava o menino Jesus, deitado na manjedoura, amparado por Maria e José, mulher e homem totalmente entregues à vontade de Deus. A ‘grande alegria’ experimentada pelos pastores sinaliza o dom oferecido a todo ser humano, pois ninguém, como afirma o Papa Francisco em sua Exortação Apostólica Evangelii Gaudium, está excluído da alegria da salvação trazida pelo Senhor (cf. EG, 3)” (Reflexão de Pe. Carlos Alberto Contieri, sj, em “A Bíblia dia a dia”, Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)
“Começar um novo ano civil é uma grande graça; é a oportunidade de, com o olhar fixo no Senhor, nascido para a nossa Salvação, podermos ser iluminados por sua gloriosa ressurreição. É preciso manter viva a certeza de que o Senhor está sempre próximo, presente no meio de nós, mesmo quando não o sentimos sensivelmente. Por isso, para nós, cristãos, o tempo e a história humana são espaços de buscar e encontrar Deus, espaço do nosso testemunho de fé” (Reflexão de Pe. Carlos Alberto Contieri, sj, em “A Bíblia dia a dia”, Paulinas Editora).

Oração (Vida)
Com Maria, elevamos a Deus o nosso Cântico, agradecendo as maravilhas que Ele realiza em nossa história, em nossa vida.
“O Senhor fez em mim maravilhas. Santo é o seu nome. Minha alma glorifica o Senhor; exulta meu espírito em Deus, meu salvador: ele voltou os olhos para a humildade de sua serva; doravante todas as gerações me chamarão bem-aventurada. O Poderoso fez em mim maravilhas, Santo é seu nome! Sua misericórdia se estende de geração em geração sobre aqueles que o temem; manifestou o poder de seu braço, dispersou os soberbos. Depôs do trono os poderosos e exaltou os humildes; saciou de bens os que têm fome e aos ricos despediu de mãos vazias. Veio em socorro de Israel, seu servo, recordando-se de sua misericórdia, assim como prometera a nossos pais, a Abraão e a seus filhos, para sempre” (Lc 1,47-55).

Contemplação (Vida e Missão)
Com quais propósitos você deseja iniciar este novo ano?

Bênção
– Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
– Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
– Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
– Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

[apss_share]