Oração diária Seguir Jesus

13º Domingo Comum – Ano Litúrgico C

26 de junho de 2016

ORAÇÃO DO DIA

Pai, só tu podes revelar-me a identidade de teu Filho Jesus. Que eu a conheça de forma verdadeira para poder conformar com ela a minha vida

PRIMEIRA LEITURA: 1Rs 19,16b.19-21 

Leitura do Primeiro Livro dos Reis:

Naqueles dias, disse o Senhor a Elias: 16bvai e unge a Eliseu, filho de Safat, de Abel-Meula, como profeta em teu lugar. 19Elias partiu dali e encontrou Eliseu, filho de Safat, lavrando a terra com doze juntas de bois; e ele mesmo conduzia a última. Elias, ao passar perto de Eliseu, lançou sobre ele o seu manto. 20Então Eliseu deixou os bois e correu atrás de Elias, dizendo: “Deixa-me primeiro ir beijar meu pai e minha mãe, depois te seguirei”. Elias respondeu: “Vai e volta! Pois o que te fiz eu?” 21Ele retirou-se, tomou a junta de bois e os imolou. Com a madeira do arado e da canga assou a carne e deu de comer à sua gente. Depois levantou-se, seguiu Elias e pôs-se ao seu serviço.

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

SALMO 15

— Ó Senhor, sois minha herança para sempre!

— Ó Senhor, sois minha herança para sempre!

— Guardai-me, ó Deus, porque em vós me refugio!/ Digo ao Senhor: “Somente vós sois meu Senhor:/ nenhum bem eu posso achar fora de vós!”/ Ó Senhor, sois minha herança e minha taça,/ meu destino está seguro em vossas mãos!

— Eu bendigo o Senhor, que me aconselha,/ e até de noite me adverte o coração./ Tenho sempre o Senhor ante meus olhos,/ pois se o tenho a meu lado não vacilo.

— Eis por que meu coração está em festa,/ minha alma rejubila de alegria,/ e até meu corpo no repouso está tranquilo;/ pois não haveis de me deixar entregue à morte,/ nem vosso amigo conhecer a corrupção.

— Vós me ensinais vosso caminho para a vida;/ junto a vós, felicidade sem limites,/ delícia eterna e alegria ao vosso lado!

SEGUNDA LEITURA: Gl 5,1.13-18 

Leitura da Carta de São Paulo aos Gálatas:

Irmãos: 1É para a liberdade que Cristo nos libertou. Ficai pois firmes e não vos deixeis amarrar de novo ao jugo da escravidão. 13Sim, irmãos, fostes chamados para a liberdade. Porém, não façais dessa liberdade um pretexto para servirdes à carne. Pelo contrário, fazei-vos escravos uns dos outros, pela caridade. 14Com efeito, toda a Lei se resume neste único mandamento: “Amarás o teu próximo como a ti mesmo”. 15Mas, se vos mordeis e vos devorais uns aos outros, cuidado para não serdes consumidos uns pelos outros. 16Eu vos ordeno: Procedei segundo o Espírito. Assim, não satisfareis aos desejos da carne. 17Pois a carne tem desejos contra o espírito, e o espírito tem desejos contra a carne. Há uma oposição entre carne e espírito, de modo que nem sempre fazeis o que gostaríeis de fazer. 18Se, porém, sois conduzidos pelo Espírito, então não estais sob o jugo da Lei.

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

EVANGELHO: Lc 9,51-62

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós!

— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.

— Glória a vós, Senhor!

51Estava chegando o tempo de Jesus ser levado para o céu. Então ele tomou a firme decisão de partir para Jerusalém 52e enviou mensageiros à sua frente. Estes puseram-se a caminho e entraram num povoado de samaritanos, para preparar hospedagem para Jesus. 53Mas os samaritanos não o receberam, pois Jesus dava a impressão de que ia a Jerusalém. 54Vendo isso, os discípulos Tiago e João disseram: “Senhor, queres que mandemos descer fogo do céu para destruí-los?” 55Jesus, porém, voltou-se e repreendeu-os. 56E partiram para outro povoado. 57Enquanto estavam caminhando, alguém na estrada disse a Jesus: “Eu te seguirei para onde quer que fores”. 58Jesus lhe respondeu: “As raposas têm tocas e os pássaros têm ninhos; mas o Filho do Homem não tem onde repousar a cabeça”. 59Jesus disse a outro: “Segue-me”. Este respondeu: “Deixa-me primeiro ir enterrar meu pai”. 60Jesus respondeu: “Deixa que os mortos enterrem os seus mortos; mas tu, vai anunciar o Reino de Deus”. 61Um outro ainda lhe disse: “Eu te seguirei, Senhor, mas deixa-me primeiro despedir-me dos meus familiares”. 62Jesus, porém, respondeu-lhe: “Quem põe a mão no arado e olha para trás não está apto para o Reino de Deus”

– Palavra da Salvação
– Glória a vós Senhor.

[apss_share]

Comentário do Evangelho

Oração Inicial
Celebramos o 13º domingo do Tempo Comum. Agradeçamos a Palavra de Deus, que é luz em nossa vida, e, no silêncio da oração, peçamos que ela habite em nós, para que a vivamos ao longo do dia. Oremos: “Pai, só tu podes revelar-me a identidade de teu Filho Jesus. Que eu a conheça de forma verdadeira para poder conformar com ela a minha vida. Amém.”

Leitura (Verdade)
O que diz o texto bíblico? Quem Jesus está instruindo? Com que disposição os personagens da narrativa se colocam no seguimento de Jesus? Quais são as orientações de Jesus?
“A subida para Jerusalém pode ser caracterizada como lições que Jesus dá aos seus discípulos, enquanto ele caminha para o Pai. No início dessa subida, apresentam-se três casos que, dado o anonimato das pessoas, devem ser tidos como casos típicos. No primeiro e no terceiro casos, são as pessoas que tomam a iniciativa de seguir Jesus; no segundo caso, é Jesus quem chama a pessoa. Nos três há o desejo sincero de seguir Jesus. É preciso que todos saibam as condições para se tornar discípulos e considerem se têm força e ânimo para fazê-lo. Àquele que se apresenta desejoso de segui-lo, Jesus adverte que a vocação do discípulo é itinerante e, por isso, exige desapego e renúncia do conforto dos bens terrenos. Aos outros dois, Jesus observa que não pode haver nada que anteceda ou possa retardar o seguimento; a disponibilidade não pode estar subordinada a apegos afetivos nem a bens. Ninguém é excluído do seguimento de Jesus. No entanto, ninguém pode impor ao Senhor condições para segui-lo. O que é dito em separado a cada um vale, no seu conjunto, para todos. O que é dito aos discípulos como exigência do seguimento, nós o vemos realizado na vida mesma de Jesus” (Reflexão de Pe. Carlos Alberto Contieri, sj, em “A Bíblia dia a dia”, Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)
Qual palavra encontrou sintonia em sua vida? O que o texto diz a você hoje? O convite que Jesus faz aos discípulos é também direcionado a você? Olhando para sua vida, em que área você percebe a necessidade de uma abertura maior para poder seguir o Senhor sem lhe impor condições? Retome o texto mais uma vez, atentamente. Permita-se ficar em silêncio por alguns instantes, para que o Senhor fale ao seu coração.

Oração (Vida)
Este é o momento de dialogar com Deus, em resposta ao que Ele revelou por meio de sua Palavra. Silencie o coração e faça a sua prece.
Conclua-a com esta oração: “Jesus, divino Mestre, nós vos adoramos, Filho muito amado do Pai, caminho único para chegarmos a Ele. Nós vos louvamos e agradecemos, porque sois o exemplo que devemos seguir. Com simplicidade, queremos aprender de vós o modo de ver, julgar e agir. Queremos ser atraídos por vós, para que, caminhando nas vossas pegadas, possamos viver dia a dia a liberdade dos filhos de Deus, renunciando a nós mesmos, para buscar em tudo a vontade do Pai. Aumentai nossa esperança, impulsionando plenamente o nosso ser e o nosso agir. Ajudai-nos a retratar em nossa vida a vossa imagem, para que assim vos possamos possuir eternamente no céu. Amém.”

Contemplação (Vida e Missão)
Qual é a aplicação da Palavra em sua vida? O que você se propõe a viver? Como pretende atingir esse propósito?

Bênção
– Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
– Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
– Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
– Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

LEITURA ORANTE

Jesus tomou a firme decisão de partir para Jerusalém. Decisão forte porque a subida vai terminar no alto da cruz. Para este ato final, a decisão precisava ser firme. Já no início da viagem aparece um obstáculo. Jesus envia mensageiros para prepararem sua chegada a uma aldeia de samaritanos, que não quiseram recebê-lo, porque sabiam que ele se dirigia a Jerusalém. Os samaritanos não se davam com os judeus. Tiago e João reagem e querem destruir aquela aldeia com fogo do céu. Houve um problema e problema se resolve com poder, pensam os dois discípulos iniciantes. Não é esse, porém, o pensamento de Jesus. Não é com poder que seus discípulos irão resolver os problemas que irão encontrando pela frente.
Os discípulos de Jesus não serão homens poderosos, que eliminam os obstáculos aniquilando as oposições. Jesus então ensina que quem quiser ser verdadeiramente seu discípulo deve saber que ele, o mestre, não tem nada, nem mesmo onde repousar a cabeça. Raposas e pássaros têm tocas e ninhos. Nem isso Jesus tem para oferecer aos que o seguem. Seus seguidores devem passar por uma conversão que se expressa em rupturas radicais. Nada de meias medidas, e sim entrega total ao Cristo e à sua causa, que é o Reino de Deus. Para exemplificar o caráter de tal ruptura, Jesus afirma que não haverá despedidas, nem do pai que morreu, nem do que está vivo em casa. Certamente não se trata de um preceito, mas de um exemplo elucidador. Elias permitiu a Eliseu que se despedisse de seus pais.
O evangelho mostra as dimensões do seguimento, até onde ele pode e deve chegar. Somos, porém, limitados e imperfeitos. Em nossas mãos, um copo transparente pode se tornar embaçado. Até mesmo as convicções e a firmeza na decisão tomada podem ser distorcidas por nós. Foi para sermos livres que Cristo nos libertou, ensina São Paulo, mas nossa liberdade deve ser vivida de forma radical. Nada nos pode prender, condicionar ou constranger, nem mesmo nossos pais ou um travesseiro para repousar a cabeça. Somos absolutamente livres. No entanto, até a radicalidade da nossa vida leva a marca da imperfeição humana. Liberdade pode se converter em libertinagem. A radicalidade pode nos tornar intransigentes e fazer de nós gente que se morde e se entredevora, assim como o elogio da simplicidade e da pobreza acariciam o nosso eu. Por nós mesmos não podemos muito, mas entregamo-nos ao Espírito, que nos conduz. Por nós mesmos podemos pouco, mas tudo será possível naquele que nos fortalece.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2016’, Paulinas

[apss_share]