Oração diária E vós, “quem dizeis que eu sou?

São Pedro e São Paulo C

03 de julho de 2016

ORAÇÃO DO DIA

Pai, consolida minha fé, a exemplo do apóstolo Pedro que, em meio às provações, soube dar, com o seu martírio, testemunho consumado de adesão a Jesus.

PRIMEIRA LEITURA:  At 12,1-11

Leitura dos Atos dos Apóstolos:

Naqueles dias, o rei Herodes prendeu alguns membros da Igreja, para torturá-los. Mandou matar à espada Tiago, irmão de João. E, vendo que isso agradava aos judeus, mandou também prender a Pedro. Eram os dias dos Pães ázimos. “Depois de prender Pedro, Herodes colocou-o na prisão, guardado por quatro grupos de soldados, com quatro soldados cada um. Herodes tinha a intenção de apresentá-lo ao povo, depois da festa da Páscoa. Enquanto Pedro era mantido na prisão, a Igreja rezava continuamente a Deus por ele. Herodes estava para apresentá-lo. Naquela mesma noite, Pedro dormia entre dois soldados, preso com duas correntes; e os guardas vigiavam a porta da prisão. Eis que apareceu o anjo do Senhor e uma luz iluminou a cela. O anjo tocou o ombro de Pedro, acordou-o e disse: “Levanta-te depressa!” As correntes caíram-lhe das mãos. O anjo continuou: “Coloca o cinto e calça tuas sandálias!” Pedro obedeceu e o anjo lhe disse: “Põe tua capa e vem comigo!” Pedro acompanhou-o, e não sabia que era realidade o que estava acontecendo por meio do anjo, pois pensava que aquilo era uma visão. Depois de passarem pela primeira e segunda guarda, chegaram ao portão de ferro que dava para a cidade. O portão abriu-se sozinho. Eles saíram, caminharam por uma rua e logo depois o anjo o deixou. Então Pedro caiu em si e disse: “Agora sei, de fato, que o Senhor enviou o seu anjo para me libertar do poder de Herodes e de tudo o que o povo judeu esperava!”

– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

SALMO 33

— De todos os temores me livrou o Senhor Deus.
— De todos os temores me livrou o Senhor Deus.

— Bendirei o Senhor Deus em todo o tempo,/ seu louvor estará sempre em minha boca./ Minha alma se gloria no Senhor;/ que ouçam os humildes e se alegrem!

— Comigo engrandecei ao Senhor Deus,/ exaltemos todos juntos o seu nome!/ Todas as vezes que o busquei, ele me ouviu,/ e de todos os temores me livrou.

— Contemplai a sua face e alegrai-vos,/ e vosso rosto não se cubra de vergonha!/ Este infeliz gritou a Deus, e foi ouvido,/ e o Senhor o libertou de toda angústia.

— O anjo do Senhor vem acampar/ ao redor dos que o temem, e os salva./ Provai e vede quão suave é o Senhor!/ Feliz o homem que tem nele o seu refúgio!

SEGUNDA LEITURA: : 2Tm 4,6-8.17-18

Leitura da Segunda Carta de São Paulo a Timóteo:

Caríssimo, quanto a mim, eu já estou para ser derramado em sacrifício; aproxima-se o momento de minha partida. Combati o bom combate, completei a corrida, guardei a fé. Agora está reservada para mim a coroa da justiça, que o Senhor, justo juiz, me dará naquele dia; e não somente a mim, mas também a todos os que esperam com amor a sua manifestação gloriosa. Mas o Senhor esteve a meu lado e me deu forças, ele fez com que a mensagem fosse anunciada por mim integralmente, e ouvida por todas as nações; e eu fui libertado da boca do leão. O Senhor me libertará de todo mal e me salvará para o seu Reino celeste. A ele a glória, pelos séculos dos séculos! Amém.

– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

EVANGELHO: Mt 16,13-19

– O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Mateus.
          – Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, Jesus foi à região de Cesareia de Filipe e ali perguntou aos seus discípulos: “Quem dizem os homens ser o Filho do Homem?” Eles responderam: “Alguns dizem que é João Batista; outros que é Elias; outros ainda, que é Jeremias ou algum dos profetas”. Então Jesus lhes perguntou: “E vós, quem dizeis que eu sou?” Simão Pedro respondeu: “Tu és o Messias, o Filho do Deus vivo”. Respondendo, Jesus lhe disse: “Feliz és tu, Simão, filho de Jonas, porque não foi um ser humano que te revelou isso, mas o meu Pai que está no céu. Por isso eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra construirei a minha Igreja, e o poder do inferno nunca poderá vencê-la. Eu te darei as chaves do Reino dos Céus: tudo o que tu ligares na terra será ligado nos céus; tudo o que tu desligares na terra será desligado nos céus”.

– Palavra da Salvação
– Glória a vós Senhor.

[apss_share]

Comentário do Evangelho

Espera-se dos discípulos que tenham uma visão exata de Jesus, que as palavras para dizer quem é Jesus tenham um significado correto e retratem de verdade o Messias prometido. O evangelista amplia a resposta de Pedro num diálogo com Jesus, estabelecendo os fundamentos da Igreja nascente. Pedro afirma que Jesus é o Messias, o Filho do Deus vivo. De onde Pedro tirou tal afirmação? Ao dizer isso, não está ele equivocado? Não, porque foi o Pai que está no céu que revelou a Pedro quem é Jesus, para que ele o anuncie ao mundo com segurança. Pedro recebe de Deus a revelação. Ele terá as chaves do Reino para ligar e desligar, e com Pedro a Igreja de Jesus não será vencida pelo poder do inferno. Entendamos Pedro e pedra do jeito que quisermos. Jesus está falando de Pedro e da sua Igreja para aqueles dias e para todos os tempos. Pedro foi preso no dia dos pães ázimos, dia em que o povo saiu do Egito. A prisão foi o início do êxodo de Pedro. Soldados desempenharam importante papel na perseguição dos hebreus e soldados marcam presença na prisão de Pedro.
Quando a escuridão cobriu o Egito, as casas dos hebreus permaneceram iluminadas, como a cela de Pedro iluminada com a presença do Anjo. Um anjo precede o povo que sai do Egito e acompanha Pedro que sai da prisão. Tudo se faz às pressas. Cinto, sandálias são colocados. Assim Pedro, assim os hebreus na noite do Egito. Tudo aconteceu “naquela mesma noite”, a do êxodo. Pedro sai e vai para a casa da mãe de João Marcos e depois sai e vai para outro lugar, e não aparece mais. Vai para o lugar que Jesus lhe preparou. O demônio pediu licença a Deus para peneirar os apóstolos como se peneira o trigo, mas Jesus rezou por Pedro, para que a sua fé não falhasse, e uma vez convertido pudesse confirmar os seus irmãos. É assim que vemos o nosso Papa, sucessor de Pedro em nossos dias. Deus lhe dá a segurança da fé para que confirme a fé de todos os fiéis.
Ao falar de Pedro, pensamos em Paulo. São as duas oliveiras que adornam o candelabro. São as colunas da Igreja. Paulo correu o tempo todo até os confins da terra para anunciar o evangelho, e completou a corrida. Foi um bom combate que ele travou até o fim, e guardou a fé. A mensagem foi anunciada integralmente a todas as nações. Agora lhe resta receber a coroa. Chegou a hora da sua partida.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2016’, Paulinas.

LEITURA ORANTE

Oração Inicial
Neste domingo solene da memória dos apóstolos São Pedro e São Paulo, rezemos pela Igreja e pelo Papa. Que a Palavra fortaleça nosso testemunho de fé, a exemplo dos apóstolos que deram a vida por Cristo e pelo Evangelho.
Oremos: “Pai, consolida minha fé, a exemplo dos apóstolos Pedro e Paulo, que, em meio às provações, souberam dar, com o seu martírio, testemunho consumado de adesão a Jesus. Amém”.

Leitura (Verdade)
O que diz o texto? Qual é o questionamento que Jesus dirige aos discípulos? Quais são as afirmações a respeito de Jesus? Para Simão Pedro, quem é Jesus? Qual é a missão que Jesus confia a Pedro?
“Junto com a festa de S. Pedro e S. Paulo, celebramos a festa do que a Igreja é: Corpo de Cristo, testemunha de Jesus Cristo (At 1,8), testemunha da vitória de Cristo sobre o mal e todas as manifestações e sobre a morte. Ao celebrarmos num mesmo dia a festa desses dois mártires, tão diferentes entre si, mas unidos pelo mesmo amor à pessoa de Jesus, amor que os levou a entregar a própria vida, celebramos também a diversidade da Igreja e o desafio de construir a comunhão eclesial. Um e outro puderam experimentar uma profunda e radical transformação em suas vidas. Pedro foi encontrado pelo Senhor, às margens do mar da Galileia, enquanto, com seu irmão André, lavavam as redes, depois de uma noite de pesca. A partir desse primeiro encontro, teve início um longo caminho de transformação radical da sua vida, que o levou a essa magnífica expressão de sua adesão radical a Jesus: ‘… Senhor, tu sabes tudo; tu sabes que eu te amo’ (Jo 21,17). Paulo, perseguidor implacável da Igreja de Cristo, foi iluminado pelo Senhor no caminho de Damasco. Essa iluminação, num primeiro momento, o cegou para fazê-lo compreender que todo o passado dele sem Cristo era uma grande cegueira. A luz que surpreendeu Paulo o cegou para dar a ele uma nova luz, a luz do Cristo ressuscitado, a iluminação que é dada como fruto da fé no Senhor vencedor do mal e da morte” (Reflexão de Pe. Carlos Alberto Contieri, sj, em “A Bíblia dia a dia”, Paulinas).

Meditação (Caminho)
“A fé da Igreja está apoiada na rocha da fé de Pedro e no testemunho daqueles que com Pedro foram testemunhas oculares de tudo o que Jesus fez e ensinou. Pela fé a Igreja é revestida da luz do Cristo ressuscitado e, pela graça do mesmo Cristo, é herdeira de sua vitória (cf. Ap 12,1-6). Deles e de todos os que viveram o tesouro da fé, a ponto de darem suas vidas, se pode dizer que nada foi capaz de separá-los do amor de Cristo (Rm 8,35-37). Por razões diferentes, a Igreja de todos os tempos sempre foi perseguida e ameaçada. Sempre tivemos mártires. O nosso tempo, nesse aspecto, não faz exceção. Por trás do discurso de tolerância religiosa se esconde uma verdadeira rejeição aos valores verdadeiramente cristãos. Que Deus nos dê a graça e a força do Ressuscitado para que, apoiados na fé dos Apóstolos, possamos, não obstante o mundo que nos cerca, dar o verdadeiro testemunho de Cristo. E que, não obstante os momentos difíceis, as ameaças e os perigos, a Igreja continue o seu caminho. Que Deus nos conceda a graça de uma confiança inabalável nele e a graça da lealdade e da fidelidade à Igreja, construída sobre a rocha da fé de Pedro” (Reflexão de Pe. Carlos Alberto Contieri, sj, em “A Bíblia dia a dia”, Paulinas).

Oração (Vida)
Celebrando a memória dos apóstolos Pedro e Paulo, supliquemos ao Senhor pela missão da Igreja; rezemos pelas intenções do Papa, de modo especial para que acolhamos os seus ensinamentos de pastor; peçamos pelos cristãos perseguidos por causa da fé e pelos povos que vivem em regiões de conflitos e guerras. Lembremos ainda todas as iniciativas da Igreja para a evangelização dos povos.

Contemplação (Vida e Missão)
Qual apelo a Palavra de Deus despertou em seu coração? O que você se propõe a viver? Como pretende atingir esse propósito?

Bênção
– Abençoe-vos o Deus todo-poderoso, que vos deu por fundamento aquela fé proclamada pelo apóstolo Pedro e sobre a qual se edifica toda a Igreja.
– Ele, que vos instruiu pela incansável pregação de São Paulo, vos ensine a conquistar também novos irmãos para o Cristo.
– Que a autoridade de Pedro e a pregação de Paulo vos levem à pátria celeste, onde chegaram gloriosamente um pela cruz e outro pela espada.
– Abençoe-nos, Deus todo-poderoso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

[apss_share]