Oração diária O Reino dos Céus é como uma rede lançada ao mar.

Na liturgia diária de hoje lemos o Evangelho: Mt 13,47-53

Jesus mais uma vez ensina através de parábola e diz que o Reino dos Céus é ainda como uma rede lançada ao mar e que pegou peixes de todo tipo. Façamos a oração do dia: Pai, concede-me suficiente realismo para perceber que teu Reino se constrói em meio a perdas e ganhos, e que só tu podes garantir o sucesso final.

17ª Semana do Tempo Comum – Ano Litúrgico A

Liturgia do dia 30 de julho de 2020

PRIMEIRA LEITURA: Jr 18,1-6

Leitura do Livro do Profeta Jeremias – 1Palavra dirigida a Jeremias, da parte do Senhor: 2“Levanta-te e vai à casa do oleiro, e ali te farei ouvir minhas palavras”. 3Fui à casa do oleiro, e eis que ele estava trabalhando ao torno; 4quando o vaso que moldava em barro se avariava em suas mãos, ei-lo de novo a fazer com esse material um outro vaso, conforme melhor lhe parecesse aos olhos.

5Fez-se em mim a palavra do Senhor: 6“Acaso não posso fazer convosco como este oleiro, casa de Israel? diz o Senhor. Como é o barro na mão do oleiro, assim sois vós em minha mão, casa de Israel”.

– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

SALMO 145

— Feliz quem se apoia no Deus de Jacó!
— Feliz quem se apoia no Deus de Jacó!

— Bendize, minh’alma, ao Senhor! Bendirei ao Senhor toda a vida, cantarei ao meu Deus sem cessar!

— Não ponhais vossa fé nos que mandam, não há homem que possa salvar. Ao faltar-lhe o respiro ele volta para a terra de onde saiu; nesse dia seus planos perecem.

— É feliz todo homem que busca seu auxílio no Deus de Jacó, e que põe no Senhor a esperança. O Senhor fez o céu e a terra, fez o mar e o que neles existe.

EVANGELHO: Mt 13,47-53

– O Senhor esteja convosco.
– Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Mateus.
– Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus à multidão: 47“O Reino dos Céus é ainda como uma rede lançada ao mar e que apanha peixes de todo tipo. 48Quando está cheia, os pescadores puxam a rede para a praia, sentam-se e recolhem os peixes bons em cestos e jogam fora os que não prestam. 49Assim acontecerá no fim dos tempos: os anjos virão para separar os homens maus dos que são justos, 50e lançarão os maus na fornalha de fogo. E aí, haverá choro e ranger de dentes. 

51Compreendestes tudo isso?” Eles responderam: “Sim”. 52Então Jesus acrescentou: “Assim, pois, todo mestre da Lei, que se torna discípulo do Reino dos Céus, é como um pai de família que tira do seu tesouro coisas novas e velhas”. 53Quando Jesus terminou de contar essas parábolas, partiu dali.

– Palavra da Salvação
– Glória a vós Senhor.

COMENTÁRIO DO EVANGELHO

Jesus termina o sermão das parábolas contando que o Reino dos Céus se parece com a rede de pesca que pega todo tipo de peixe. Depois é feita a separação. Os peixes bons são recolhidos, os que não prestam são jogados fora.

No juízo final vai acontecer a mesma coisa, os maus serão separados dos justos e lançados na fornalha de fogo, onde haverá choro e ranger de dentes. Vem, em seguida, uma consideração sobre o “escriba que se torna discípulo do Reino”. Ele é parecido com o pai de família que tira do seu tesouro coisas novas e velhas. O escriba, mestre e intérprete da lei mosaica, se torna aluno do Reino dos Céus.

Passou da primeira Aliança para a Aliança definitiva, sem abandonar o que se tornou velho por ter abraçado o novo. Certamente Mateus está falando de si mesmo. Na aplicação da parábola ao juízo final, o evangelista usa as imagens de uma fornalha de fogo, de choro e de dentes que rangem para colocar o leitor diante de uma situação-limite. Assim acontecerá com os maus deste mundo. Que o leitor cristão não seja mau e, se for, que se converta enquanto há tempo!

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2020’, Paulinas

LEITURA ORANTE

Oração Inicial

Jesus costumava ensinar o povo por meio de parábolas, e nós tivemos contato com muitas delas ao longo da semana. Também hoje a liturgia nos traz uma parábola sobre o Reino dos Céus. O Reino agora é comparado a uma rede que foi lançada ao mar e pegou peixes de todos os tipos.

Peçamos ao Espírito Santo que nos oriente para bem compreendermos os ensinamentos de Jesus. Rezemos: “Senhor Jesus Cristo, envia sobre nós, como prometeste, teu Espírito Santo. Que Ele nos conceda a vida e nos ensine a plenitude da verdade. Que nele encontremos a salvação, felicidade e plenitude de amor. Amém.”

Leitura (Verdade)

O que diz o texto? Com que imagens Jesus compara o Reino dos Céus? O que representa a separação dos peixes bons e dos que não prestavam, dos maus e dos justos, das coisas novas e das velhas tiradas do baú? Em que momento se dará essa separação?

“Nem tudo o que é novo é bom, nem tudo o que é velho é condenável. O juízo de valor nos ensina a distinguir o tesouro das coisas novas e velhas. Nossa fé se alimenta de certezas, e estas não mudam. Acostumados a conviver com verdades eternas, por vezes, temos dificuldades de abrir mão de costumes que envelhecem.

Para os israelitas, o lago da Galileia era o mar. E no mar de proporções infinitas, uma grande rede recolhe peixes de todo tipo. A comunidade cristã é santa e pecadora. É uma comunidade a caminho e não compete a nós excluir ninguém. Nem mesmo temos a missão de julgar os demais, mesmo porque não possuímos o conhecimento do íntimo da pessoa e da misericórdia do Pai.”

Meditação (Caminho)

“Precisamos sempre de contemplar o mistério da misericórdia. É fonte de alegria, serenidade e paz. É condição da nossa salvação.

Misericórdia é:

  • A palavra que revela o mistério da Santíssima Trindade.
  • O ato último e supremo pelo qual Deus vem ao nosso encontro.
  • A lei fundamental que mora no coração de cada pessoa, quando vê com olhos sinceros o irmão que encontra no caminho da vida.
  • O caminho que une Deus e o homem, porque nos abre o coração à esperança de sermos amados para sempre, apesar da limitação do nosso pecado”

Oração (Vida)

O Senhor Deus é justo, clemente e misericordioso. Agradeçamos seu amor, que nos concede a vida renovada. Agradeçamos a Palavra deste dia e seus ensinamentos.
Rezemos em comunhão com todos cristãos: “Pai nosso que estais no céu. …”

Contemplação (Vida e Missão)

Sintetize, em poucas palavras, o apelo que você sentiu, para colocá-lo em prática durante o dia. O que você se propõe a viver? Como pretende atingir esse propósito?

Bênção

  • O Senhor Deus nosso Pai esteja sempre conosco.
  • Ele está no meio nós.

Oremos: “Senhor nosso Deus, Que enviastes Vosso Filho ao mundo Para curar as nossas enfermidades, Levar sobre Si as nossas dores, Redimir nossos pecados e Nos dar a Vida Eterna que vem de Vós, Tendes Piedade de nós!

Deus Misericordioso, Que cuida de todas as Vossas Criaturas, Atendei as nossas suplicas, e Segundo a Vossa Vontade, Protegei o Vosso Povo, Oprimido por essa doença terrível. Guardai e mantenhais a saúde daqueles Que não contraíram essa doença e Dai Senhor, aos que a contraíram, Paciência fortalecida, fé renovada e A cura desse mal, Para que todos nós desfrutemos De plena e duradoura saúde! Por Jesus Cristo nosso Senhor.” Amém.

Todo o Louvor, toda a Honra, toda a Gratidão, Toda a Fé, toda a Confiança, Toda a Adoração e toda a Glória Sejam dadas aos Senhor nosso Deus, Agora e para sempre! Em Nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo! Amém.

Confira a Homilia dominical.Clique aqui