Liturgia diária Cátedra de São Pedro Apóstolo Mt 16,13-19

Na liturgia diária de hoje lemos o Evangelho: Mt 16,13-19

A cátedra é um símbolo. O Papa é para os católicos sempre o sucessor de Pedro, quer sentado num trono, quer sentado no chão.

Façamos a oração do dia: Senhor Jesus, cria no meu coração o mesmo amor por ti e por tua Igreja, que puseste no coração de Pedro e de Paulo.

Cátedra de São Pedro, Apóstolo – Ano Litúrgico B

Liturgia do dia 22 de fevereiro de 2021

PRIMEIRA LEITURA: 1Pd 5,1-4

Leitura da Primeira Carta de São Pedro.

Caríssimos, 1exorto aos presbíteros que estão entre vós, eu, presbítero como eles, testemunha dos sofrimentos de Cristo e participante da glória que será revelada: 2Sede pastores do rebanho de Deus, confiado a vós; cuidai dele, não por coação, mas de coração generoso; não por torpe ganância, mas livremente; 3não como dominadores daqueles que vos foram confiados, mas antes, como modelos do rebanho. 4Assim, quando aparecer o pastor supremo, recebereis a coroa permanente da glória.

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

SALMO 23(22)

— O Senhor é o pastor que me conduz, não me falta coisa alguma.

— O Senhor é o pastor que me conduz, não me falta coisa alguma.

— O Senhor é o pastor que me conduz; não me falta coisa

alguma. Pelos prados e campinas verdejantes ele me leva a descansar. Para as águas repousantes me encaminha, e restaura as minhas forças.

— Ele me guia no caminho mais seguro, pela honra do seu nome. Mesmo que eu passe pelo vale tenebroso, nenhum mal eu temerei. Estais comigo com bastão e com cajado, eles me dão a segurança!

— Preparais à minha frente uma mesa, bem à vista do inimigo; com óleo vós ungis minha cabeça, e o meu cálice transborda.

— Felicidade e todo bem hão de seguir-me, por toda a minha vida; e, na casa do Senhor, habitarei pelos tempos infinitos.

EVANGELHO: Mt 16,13-19 

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 13Jesus foi à região de Cesaréia de Filipe e ali perguntou aos seus discípulos: “Quem dizem os homens ser o Filho do Homem?” 14Eles responderam: “Alguns dizem que é João Batista; outros que é Elias; outros ainda, que é Jeremias ou algum dos profetas”. 15Então Jesus lhes perguntou: “E vós, quem dizeis que eu sou?” 16Simão Pedro respondeu: “Tu

és o Messias, o Filho do Deus vivo”.

17Respondendo, Jesus lhe disse: “Feliz és tu, Simão, filho de Jonas, porque não foi um ser humano que te revelou isso, mas o meu Pai que está no céu. 18Por isso eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra construirei a minha Igreja, e o poder do inferno nunca poderá vencê-la. 19Eu te darei as chaves do Reino dos Céus: tudo o que tu ligares na terra será ligado nos céus; tudo o que tu desligares na terra será desligado nos céus”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

COMENTÁRIO DO EVANGELHO

A cadeira não é importante. Importante é quem nela se senta. Dada, pois, a importância de quem a ocupa, a cadeira pode ser mais, ou menos, solene. A de Pedro, que preside a comunidade dos discípulos de Jesus Crucificado, pode ser de ouro, de prata ou de lata. Nunca, porém, um trono de dominação. “Entre vós não será assim, disse Jesus”.

No

Evangelho, Pedro ocupa um lugar de proeminência entre os apóstolos e recebeu de Jesus a missão de pastorear toda a Igreja. É esta “autoridade petrina” de que falamos ao celebrar a sua cátedra. Aceitamos a pessoa de Pedro e sua função, nele e em seus sucessores, e como o amamos como pai e pastor gostamos de oferecer-lhe uma bela cátedra para que dela presida a oração da Igreja. A cátedra é um símbolo. O Papa é para os católicos sempre o sucessor de Pedro, quer sentado num trono, quer sentado no chão. No antigo Missal, no dia 18 de janeiro era celebrada a Cátedra de Pedro em Roma, e no dia 22 de fevereiro a Cátedra em Antioquia. As festas foram unificadas.

LEITURA ORANTE

Oração Inicial

Ofício festivo da Cátedra de São Pedro. Que a Palavra nos fortaleça no testemunho de nossa fé, e, a exemplo do apóstolo Pedro, possamos proclamar: “Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo”.

“Ó Cristo, nosso único medianeiro.

Tu és necessário: para entrarmos em comunhão com Deus Pai; para nos tornarmos conTigo, que és Filho único e Senhor nosso, seus filhos adoptivos; para sermos regenerados no Espírito Santo.

Tu és necessário, ó único verdadeiro mestre das verdades ocultas e indispensáveis da vida, para conhecermos o nosso ser e o nosso destino, o caminho para o conseguirmos.

Tu és necessário, ó Redentor nosso, para descobrirmos a nossa miséria e para a curarmos; para termos o conceito do bem e do mal e a esperança da santidade; para deplorarmos os nossos pecados e para obtermos o seu perdão.

Tu és necessário, ó irmão primogénito do género humano, para encontrarmos as razões verdadeiras da fraternidade entre os homens, os fundamentos da justiça, os tesouros da caridade, o sumo bem da paz.

Tu és necessário, ó grande paciente das nossas dores, para conhecermos o sentido do sofrimento e para lhe darmos um valor de expiação e de redenção.

Tu és necessário, ó vencedor da morte, para nos libertarmos do desespero e da negação e para termos certezas que nunca desiludem.

Tu és necessário, ó Cristo, ó Senhor, ó Deus connosco, para aprendermos o amor verdadeiro e para caminharmos na alegria e na força da tua caridade, ao longo do caminho da nossa vida fatigosa, até ao encontro definitivo conTigo amado, esperado, bendito nos séculos.” (Oração ao Cristo –Paulo VI)

Leitura (Verdade)

Que questionamento Jesus dirige aos discípulos? Quais são as afirmações a respeito de Jesus? Para Simão Pedro, quem é Jesus? Que missão Jesus confia a Pedro?

“Há algum tempo, os discípulos estão na escola de Jesus, mas ainda não têm uma noção clara da sua identidade. A primeira série de respostas coloca Jesus na linha da tradição profética. Disseram por ouvir dizer; assumiram o que o povo dizia. A segunda pergunta exige uma definição. E Simão Pedro proclama: “Tu és o Cristo, o Filho de Deus”. É uma posição nova, que não brotou da experiência, mas que surge do alto. O título de Filho de Deus é central na apresentação que Mateus faz de Jesus, e acrescenta vivente; aquele que possui a vida e a comunica. Na liturgia nós proclamamos: Cristo, Ontem, Hoje e Sempre. Começa a ser delineada a missão de Pedro, que será a de confirmar seus irmãos na fé, e com ele está o poder das chaves.”

Meditação (Caminho)

O que o texto diz a para mim? Até que ponto a escola de Jesus modifica minha vida?
Faça a sua meditação, mantendo em mente o caminho que Jesus lhe indica. Deixe-se conduzir pela Palavra de Deus, escutando o que Ele quer lhe dizer.

Oração (Vida)

O que o texto o(a) leva a dizer a Deus? Jesus é o Mestre de nossa vida, o Filho muito amado do Pai, caminho único para chegarmos a Ele. Neste momento de oração, louve o Senhor e agradeça-lhe sua presença de amor.

Contemplação (Vida e Missão)

Contemple no silêncio de seu coração a voz de Deus e faça sua profissão de fé. Defina: Quem é Jesus para você?

Bênção

– Deus Pai de misericórdia, conceda a todos nós, como concedeu ao filho prodigo a alegria de receber o abraço do Pai.
– O Senhor Jesus Cristo, modelo de oração e de vida, nos guie nesta caminhada quaresmal a uma verdadeira conversão.
– O Espírito de sabedoria e fortaleza nos sustente na luta contra o mal, para podermos com Cristo, celebrar a vitória da Páscoa.
– Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

Confira a Homilia dominical.Clique aqui