Liturgia diária, A gratuidade nos aproxima de Deus - Lc 14,12-14

31ª Semana do Tempo Comum – Ano Litúrgico C

04 de novembro de 2019

ORAÇÃO DO DIA

Pai, coloca no meu coração um amor desinteressado e gratuito, que saiba ser generoso sem esperar outra recompensa a não ser a que vem de ti.

PRIMEIRA LEITURA: Rm 11,29-36

Leitura da Carta de São Paulo aos Romanos

Irmãos, 29os dons e a vocação de Deus são irrevogáveis. 30Outrora, vós fostes desobedientes a Deus, mas agora alcançastes misericórdia, em consequência da desobediência deles. 31Assim são eles agora os desobedientes, para que, em consequência da misericórdia usada convosco, alcancem finalmente misericórdia. 32Com efeito, Deus encerrou todos os homens na desobediência, a fim de exercer misericórdia para com todos. 33A profundidade da riqueza, da sabedoria e da ciência de Deus! Como são inescrutáveis os seus juízos e impenetráveis os seus caminhos! 34De fato, quem conheceu o pensamento do Senhor? Ou quem foi seu conselheiro? 35Ou quem se antecipou em dar-lhe alguma coisa, de maneira a ter direito a uma retribuição? 36Na verdade, tudo é dele, por ele, e para ele. A ele, a glória para sempre. Amém!

  • Palavra do Senhor.
    – Graças a Deus.

SALMO 68(69)

          — Respondei-me, ó Senhor, pelo vosso imenso amor!
— Respondei-me, ó Senhor, pelo vosso imenso amor!

— Pobre de mim, sou infeliz e sofredor! Que vosso auxílio me levante, Senhor Deus! Cantando eu louvarei o vosso nome e agradecido exultarei de alegria!

— Humildes, vede isto e alegrai-vos: o vosso coração reviverá, se procurardes o Senhor continuamente! Pois nosso Deus atende à prece dos seus pobres, e não despreza o clamor de seus cativos.

— Sim, Deus virá e salvará Jerusalém, reconstruindo as cidades de Judá, onde os pobres morarão, sendo seus donos. A descendência de seus servos há de herdá-las, e os que amam o santo nome do Senhor dentro delas fixarão sua morada!

EVANGELHO: Lc 14,12-14

          – O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Lucas.
          – Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 12dizia Jesus ao chefe dos fariseus que o tinha convidado: “Quando deres um almoço ou um jantar, não convides teus amigos nem teus irmãos nem teus parentes nem teus vizinhos ricos. Pois estes poderiam também convidar-te e isto já seria a tua recompensa. 13Pelo contrário, quando deres uma festa, convida os pobres, os aleijados, os coxos, os cegos. 14Então serás feliz! Porque eles não te podem retribuir. Tu receberás a recompensa na ressurreição dos justos”

  • Palavra da Salvação
    – Glória a vós Senhor.

[apss_share]

Comentário do Evangelho

Um preceito deve ser observado por todas as pessoas, do mesmo jeito, em qualquer lugar. Jesus não dá preceitos. Ele dá o Espírito Santo, que é o Amor na Trindade, com o qual discernimos o que convém ser feito. Jesus dá exemplo de atitudes que aos olhos do Pai serão boas, agradáveis e perfeitas. Quando nos diz para não convidar amigos e parentes para um jantar, e sim os pobres e rejeitados deste mundo, ele não está dando um preceito que deve ser realizado literalmente. É um exemplo de como agir desinteressadamente e como não sofrer decepção esperando um convite que não vem. No entanto, quem é sábio e quer aprender com Jesus procura realizar o que ele dá como exemplo. Organize uma bela refeição para quem não é valorizado, vive no esquecimento, nunca se senta para comer, nunca tem o suficiente para se alimentar. Não é solução para nenhum problema social, mas é ocasião de um momento de alegria, sem busca de retribuição. Pode acontecer que convidemos gente de posse para sermos também convidados. Há algum interesse da nossa parte. Jesus nos orienta a agir gratuitamente, sem interesses pessoais. É também verdade que, não esperando retribuições nem recompensas, você não terá decepções. Estará mais tranquilo. Fazer o bem para quem não pode retribuir garante uma retribuição no céu.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2019’, Paulinas

LEITURA ORANTE

Oração Inicial
O Evangelho de hoje é de fácil compreensão, mas muito difícil de ser praticado. Exige despojamento de toda a vaidade e abertura de coração para aprendermos o dom da gratuidade com a prática de Jesus e de alguns de seus seguidores.
Para nos aproximarmos desta prática evangélica, rezemos: “Pai querido, concede-me a graça de manifestar meu amor, sem ostentação e sem expectativa de recompensa, sobretudo com os mais carentes e necessitados. Conduz-me, Pai, pelo verdadeiro caminho da salvação, que passa pelo serviço gratuito aos que, humanamente, são menos amáveis”.

Leitura (Verdade)
“Toda refeição funciona como termômetro das relações sociais. O convite se baseia nas normas de honra e reciprocidade. Convidamos para agradecer ou para semear novas possibilidades. Convidar os pobres, os últimos da sociedade, humanamente, é tempo perdido. Quando convidamos por interesse, ali está nossa miserável recompensa. Porém, quando a gratuidade está na raiz do convite, a recompensa virá do alto. A gratuidade é o grande dom de Deus, o único capaz de retribuir além da expectativa. A sabedoria divina nos diz: ‘Recebeste de graça, de graça dai também vós’. É a gratuidade da semente e da flor, que um dia, no futuro, produzirá frutos. É a gratuidade divina do amor.” (Frei Mário Sérgio Souza, em “Viver a Palavra”, da Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)
É humano desejar ser amado (a); receber gratificação pelos nossos esforços ou gestos; sermos reconhecidos pelos nossos feitos, sobretudo, ter nossa autoria reconhecida quando as atitudes têm méritos, recebem louvor. Mas é divino sermos gratuitos, altruístas, sem expectativas de retribuição. O que o texto diz a você hoje? Em que direção segue seu agir? Como está sua gratuidade? Algumas de suas atitudes se assemelham ao relato deste Evangelho?

Oração (Vida)
Faça desta oração de São Francisco um programa de vida. Senhor, fazei de mim um instrumento da Vossa paz. Onde houver ódio, que eu leve o amor. Onde houver ofensa, que eu leve o perdão. Onde houver discórdia, que eu leve a união. Onde houver dúvidas, que eu leve a fé. Onde houver erro, que eu leve a verdade. Onde houver desespero, que eu leve a esperança. Onde houver tristeza, que eu leve a alegria. Onde houver trevas, que eu leve a luz. Ó Mestre, fazei que eu procure mais: consolar, que ser consolado; compreender, que ser compreendido; amar, que ser amado. Pois é dando que se recebe. É perdoando que se é perdoado. E é morrendo que se vive para a vida eterna.

Contemplação (Vida e Missão)
Que sentimentos este texto despertou em você? O que você deseja colocar em prática hoje? Neste momento, você é convidado (a) a identificar os seus sentimentos, o que está em seu coração, os apelos despertados pela Palavra, para transformá-los em atitudes a serem tomadas durante o dia.

Bênção

  • Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
  • Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
  • Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
  • Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

Paulinas

[apss_share]