Liturgia diária Vai hoje trabalhar na vinha! - Mt 21,28-32

PRECISO MUITO TE AJUDA ! FAÇA UMA DOAÇÃO DE QUALQUER VALOR

O site acumula uma divida e diante a crise que todos estamos passando essa divida esta aumentando podendo até o site sair fora do ar.

Divida atual: R$ 2800,00
Valor arrecadado: R$ 849,00 (22/04/2021 - 07:30 - atualizaremos quando recebermos uma nova doação)

Peço se alguém puder ajudar com uma doação de qualquer valor, agradeço imensamente.

PIX CHAVE CELULAR: 19 987634283
RESPONSAVEL: Anderson Roberto Fuzatto

OU

PIX CHAVE EMAIL: doacao@catequizar.com.br
RESPONSAVEL: Anderson Roberto Fuzatto

Quem não tem pix e puder doar por boleto esse é meu numero de WhatsApp 19 987634283 me chama e como forma de agradecimento dou acesso ao site missa com crianças que tem historinhas para catequese. Quem nao puder ajudar, peço oraçoes ! Deus abençoe a todos. Anderson

Na liturgia diária de hoje lemos o Evangelho: Mt 21,28-32

Com a parábola dos dois filhos, hoje somos convidados a pensar na relação entre as nossas palavras e os nossos atos.

Façamos a oração do dia: Pai, quero ser para ti um filho que escuta a tua Palavra e se esforça para cumpri-la com sinceridade. Que a minha resposta a teu apelo não seja pura formalidade.

26º Domingo do Tempo Comum – Ano Litúrgico A

Liturgia do dia 27 de setembro de 2020

PRIMEIRA LEITURA:  Ez 18,25-28

Leitura da Profecia de Ezequiel – Assim diz o Senhor: 25“Vós andais dizendo: ‘A conduta do Senhor não é correta’. Ouvi, vós da casa de Israel: É a minha conduta que não é correta, ou antes é a vossa conduta que não é correta?
26Quando um justo se desvia da justiça, pratica o mal e morre, é por causa do mal praticado que ele morre.
27Quando um ímpio se arrepende da maldade que praticou e observa o direito e a justiça, conserva a própria vida. 28Arrependendo-se de todos os seus pecados, com certeza viverá, não morrerá”.

– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

SALMO 25(24) 

— Recordai, Senhor meu Deus, vossa ternura e compaixão.
— Recordai, Senhor meu Deus, vossa ternura e compaixão.

— Mostrai-me, ó Senhor, vossos caminhos,/

e fazei-me conhecer a vossa estrada!/ Vossa verdade me oriente e me conduza,/ porque sois o Deus da minha salvação;/ em vós espero, ó Senhor, todos os dias!

— Recordai, Senhor meu Deus, vossa ternura/ e a vossa compaixão que são eternas!/ Não recordeis os meus pecados quando jovem,/ nem vos lembreis de minhas faltas e delitos!/ De mim lembrai-vos, porque sois misericórdia/ e sois bondade sem limites, ó Senhor!!

— O Senhor é piedade e retidão,/ e reconduz ao bom caminho os pecadores./ Ele dirige os humildes na justiça,/ e aos pobres ele ensina seu caminho.

SEGUNDA LEITURA:  Fl 2,1-11

Leitura da Carta de São Paulo aos Filipenses – Irmãos: 1Se existe consolação na vida em Cristo, se existe alento no mútuo amor, se existe comunhão no Espírito, se existe ternura e compaixão, 2tornai então completa a minha alegria: aspirai à mesma coisa, unidos no mesmo amor; vivei em harmonia, procurando a unidade.

3Nada façais por competição ou vanglória, mas, com humildade, cada um julgue que o outro é mais importante, 4e não cuide somente do que é seu, mas também do que é do outro.

5Tende em vós

o mesmo sentimento que existe em Cristo Jesus.

6Jesus Cristo, existindo em condição divina, não fez do ser igual a Deus uma usurpação, 7mas esvaziou-se a si mesmo, assumindo a condição de escravo e tornando-se igual aos homens. Encontrado com aspecto humano, 8humilhou-se a si mesmo, fazendo-se obediente até à morte, e morte de cruz.

9Por isso, Deus o exaltou acima de tudo e lhe deu o Nome que está acima de todo nome.

10Assim, ao nome de Jesus, todo joelho se dobre no céu, na terra e abaixo da terra, 11e toda língua proclame: “Jesus Cristo é o Senhor!” — para a glória de Deus Pai.

– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

EVANGELHO:  Mt 21,28-32

– O Senhor esteja convosco.
– Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Mateus.
– Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, Jesus disse aos sacerdotes e anciãos do povo:
28“Que vos parece? Um homem tinha dois filhos. Dirigindo-se ao primeiro, ele disse: ‘Filho, vai trabalhar hoje na vinha!’ 29O

filho respondeu: ‘Não quero’. Mas depois mudou de opinião e foi.

30O pai dirigiu-se ao outro filho e disse a mesma coisa. Este respondeu: ‘Sim, senhor, eu vou’. Mas não foi.
31Qual dos dois fez a vontade do Pai?”

Os sumos sacerdotes e os anciãos do povo responderam: “O primeiro”.

Então Jesus lhes disse: “Em verdade eu vos digo que os cobradores de impostos e as prostitutas vos precedem no Reino de Deus. 32Porque João veio até vós, num caminho de justiça, e vós não acreditastes nele. Ao contrário, os cobradores de impostos e as prostitutas creram nele. Vós, porém, mesmo vendo isso, não vos arrependestes para crer nele”.

– Palavra da Salvação
– Glória a vós Senhor.

COMENTÁRIO DO EVANGELHO

Mateus nos conta a história dos dois filhos. Um diz sim e não faz o que diz; o outro diz não, e faz. O melhor seria dizer “sim” e fazer, mas fiquemos com o que disse “não” e fez. O que se fala e o que se faz devem corresponder ao que se pensa e às decisões tomadas interiormente. No entanto, como somos seres com capacidade de conversão, podemos voltar atrás, rever o que dissemos e fazer o contrário.

Quem diz “a decisão já está tomada, não é possível modificá-la”, mesmo sendo autoridade religiosa, não é parecido com Deus, que tem a capacidade de se arrepender e voltar atrás. Estamos encerrando o mês da Bíblia, e na Bíblia está escrito que Deus se arrependeu do mal que disse que ia fazer.

No episódio do bezerro de ouro, no livro do Gênesis, está escrito que “arrependeu-se o Senhor do mal que disse fazer a seu povo”. O mesmo escreve Jeremias por três vezes. Deus promete arrepender-se, se o povo ouvir suas palavras e se converter: “Eu me arrependerei do mal que pensava fazer-lhes por causa da perversidade de seus atos”; “O Senhor se arrependerá do mal que anunciou contra vós”; “O Senhor se arrependeu do mal que tinha anunciado contra eles”.

E no Livro de Jonas, está escrito: “Deus viu as suas obras, que eles se converteram de seu caminho perverso, e Deus arrependeu-se do mal que ameaçara fazer-lhes e não fez”. Se Deus se arrepende, quanto mais nós temos que nos arrepender para alcançar misericórdia. O exemplo positivo pode vir de onde menos esperamos. Prostitutas e publicanos creram em João Batista, enquanto os que se consideravam justos não aceitaram a sua pregação e não se converteram.

Olhemos para nós mesmos, ouvindo as palavras de Paulo aos filipenses. Ele os exorta a se deixarem guiar pelos mesmos propósitos e pelo mesmo amor, buscando em harmonia a unidade. Por que essa exortação? Porque ele sabe que agimos por ambição e vanglória, queremos ser superiores aos outros e cuidamos só do que é nosso. Não temos os sentimentos de Cristo Jesus e não somos parecidos com ele, mas podemos mudar.

A conversão está aberta a todos. O Sínodo de 2010, sobre a Palavra de Deus na vida e na missão da Igreja, afirmou que precisamos da Palavra de Deus para termos uma visão realista da vida. A Palavra de Deus nos leva a mudar nosso conceito de realismo. Realista é aquele que vê no Verbo de Deus o fundamento de todas as coisas.

Muitas coisas com as quais contávamos para construir a nossa vida revelaram-se passageiras. Diz o Sínodo: “Mais cedo ou mais tarde, o ter, o prazer e o poder manifestam-se incapazes de realizar as aspirações mais profundas do coração do homem”. “Para edificar a própria vida, temos necessidade de alicerces sólidos, que permaneçam mesmo quando falham as certezas humanas.

Na realidade, já que ‘para sempre, Senhor, como os céus, subsiste a vossa palavra’ e a fidelidade do Senhor ‘atravessa as gerações’, quem constrói sobre esta palavra, edifica a casa da própria vida sobre a rocha”. Continuemos ouvindo e lendo a Bíblia Sagrada. Todo dia é dia da Bíblia.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2020’, Paulinas

LEITURA ORANTE

Oração Inicial

Liturgia do 26º domingo do Tempo Comum. No Evangelho, veremos que as parábolas eram um recurso muito utilizado por Jesus para ensinar e falar dos mistérios do Reino de Deus. Com a parábola dos dois filhos, hoje somos convidados a pensar na relação entre as nossas palavras e os nossos atos.

Oremos: Senhor, nosso Deus, que pela luz do Espírito Santo instruístes o coração dos vossos fiéis, fazei-nos dóceis ao mesmo Espírito, para apreciarmos o que é justo e nos alegrarmos sempre com a sua presença. Por Cristo, nosso Senhor. Amém.”

Leitura (Verdade)

Leia mais uma vez o Evangelho de hoje. A quem Jesus está instruindo? Qual é o ensinamento da parábola? Qual dos filhos fez a vontade do Pai?

“Esta parábola é direcionada aos sumos sacerdotes e anciãos do povo. Eles não podiam ignorar as palavras de Jesus e sua aceitação pelo povo. Por isso, questionam de onde Jesus recebia a autoridade. Jesus não responde, pois conhecia muito bem a dureza do coração deles, mas os desafia com a parábola dos dois filhos.

Agora é Jesus quem questiona a autoridade dos seus adversários e os coloca no lugar deles. Eles são suplantados no Reino pelas prostitutas e pelos detestados publicanos, pecadores públicos. Foram eles e elas que, com alegria, souberam perceber a Boa-Nova, perceber um Reino onde eles estavam incluídos. São as ovelhas perdidas e encontradas, são os doentes acolhidos pelo médico, é o filho rebelde que retorna ao lar.”

Meditação (Caminho)

A Palavra de Deus, rezada e meditada, renova em mim a fé, a esperança, a confiança no Senhor?

“Cada um dos nossos dias seja plasmado pelo encontro renovado com Cristo, Verbo do Pai feito carne: Ele está no início e no fim de tudo, e n’Ele todas as coisas subsistem (cf. Cl 1,17). Façamos silêncio para ouvir a Palavra do Senhor e meditá-la, a fim de que a mesma, através da ação eficaz do Espírito Santo, continue a habitar e a viver em nós e a falar-nos ao longo de todos os dias da nossa vida” (Bento XVI, Verbum Domini, n. 124).

Oração (Vida)

Agradeça tudo o que a Palavra lhe permitiu compreender e vivenciar do mistério de Cristo. Apresente ainda ao Senhor a oração que brotou em seu coração durante a leitura orante. Una-se à comunidade eclesial e ore para que o testemunho dos cristãos seja sempre mais autêntico.

Pai nosso….

Contemplação (Vida e Missão)

Sintetize em poucas palavras o apelo que você sentiu em seu coração, para colocá-lo em prática durante o dia. O que você se propõe a viver? Como pretende atingir esse propósito?

Bênção

  • O Senhor Deus nosso Pai esteja sempre conosco.
  • Ele está no meio nós.

Oremos: “Senhor nosso Deus, Que enviastes Vosso Filho ao mundo Para curar as nossas enfermidades, Levar sobre Si as nossas dores, Redimir nossos pecados e Nos dar a Vida Eterna que vem de Vós, Tendes Piedade de nós!

Deus Misericordioso, Que cuida de todas as Vossas Criaturas, Atendei as nossas suplicas, e Segundo a Vossa Vontade, Protegei o Vosso Povo, Oprimido por essa doença terrível. Guardai e mantenhais a saúde daqueles Que não contraíram essa doença e Dai Senhor, aos que a contraíram, Paciência fortalecida, fé renovada e A cura desse mal, Para que todos nós desfrutemos De plena e duradoura saúde! Por Jesus Cristo nosso Senhor.” Amém.

Todo o Louvor, toda a Honra, toda a Gratidão, Toda a Fé, toda a Confiança, Toda a Adoração e toda a Glória Sejam dadas aos Senhor nosso Deus, Agora e para sempre! Em Nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo! Amém.

Confira a Homilia dominical.Clique aqui