Liturgia diária, Pois muitos são chamados, mas poucos são escolhidos - Mt 22,1-14

PRECISO MUITO TE AJUDA !
Divida desse mês é de R$ 514,00 (referente a mensalidade do servidor do site) Data para acertar o pagamento: 17/06
Valor arrecadado: R$ 104,89
FAÇA UMA DOAÇÃO DE QUALQUER VALOR
PIX CHAVE EMAIL: doacao@catequizar.com.br
RESPONSAVEL: Anderson Roberto Fuzatto

28º Domingo do Tempo Comum – Ano Litúrgico A

15 de outubro de 2017

ORAÇÃO DO DIA

Pai, tendo respondido ao teu convite para ser discípulo do Reino, desejo conformar toda a minha vida ao teu querer sendo fiel a ti.

PRIMEIRA LEITURA: Is 25,6-10a

Leitura do Livro do profeta Isaías – 6O Senhor dos exércitos dará neste monte, para todos os povos, um banquete de ricas iguarias, regado com vinho puro, servido de pratos deliciosos e dos mais finos vinhos.
7Ele removerá, neste monte, a ponta da cadeia que ligava todos os povos, a teia em que tinha envolvido todas as nações.
8 O Senhor Deus eliminará para sempre a morte e enxugará as lágrimas de todas as faces e acabará com a desonra do seu povo em toda a terra; o Senhor o disse.
9Naquele dia, se dirá: “Este é o nosso Deus, esperamos nele, até que nos salvou; este é o Senhor, nele temos confiado; vamos alegrar-nos e exultar por nos ter salvo”.
10aE a mão do Senhor repousará sobre este monte.

– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

SALMO 22

— Na casa do Senhor habitarei, eternamente.
— Na casa do Senhor habitarei, eternamente.

— O Senhor é o pastor que me

conduz;/ não me falta coisa alguma./ Pelos prados e campinas verdejantes/ ele me leva a descansar./ Para as águas repousantes me encaminha,/ e restaura as minhas forças.

— Ele me guia no caminho mais seguro,/ pela honra do seu nome./ Mesmo que eu passe pelo vale tenebroso,/ nenhum mal eu temerei; estais comigo com bastão e com cajado;/ eles me dão a segurança!

— Preparais à minha frente uma mesa,/ bem à vista do inimigo,/ e com óleo vós ungis minha cabeça;/ o meu cálice transborda.

— Felicidade e todo bem hão de seguir-me/ por toda a minha vida;/ e na casa do Senhor habitarei/ pelos tempos infinitos.

SEGUNDA LEITURA: Fl 4,12-14.19-20

Leitura da Carta de São Paulo aos Filipenses – Irmãos: 12Sei viver na miséria e sei viver na abundância. Eu aprendi o segredo de viver em toda e qualquer situação, estando farto ou passando fome, tendo de sobra ou passando necessidade. 13Tudo posso naquele que me dá força. 14No entanto, fizestes bem em compartilhar as minhas dificuldades.
19O meu Deus proverá esplendidamente com sua riqueza a todas as vossas necessidades, em Cristo Jesus.

20Ao nosso Deus e Pai a glória pelos séculos dos séculos. Amém.

– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

EVANGELHO: Mt 22,1-14

– O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Mateus.
          – Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 1Jesus voltou a falar em parábolas aos sumos sacerdotes e aos anciãos do povo, dizendo: 2“O Reino dos Céus é como a história do rei que preparou a festa de casamento do seu filho.
3E mandou os seus empregados para chamar os convidados para a festa, mas estes não quiseram ir.
4O rei mandou outros empregados, dizendo: ‘Dizei aos convidados: já preparei o banquete, os bois e os animais cevados já foram abatidos e tudo está pronto. Vinde para a festa!’
5Mas os convidados não deram a menor atenção: um foi para o seu campo, outro para os seus negócios, 6outros agarraram os empregados, bateram neles e os mataram.

/> 7O rei ficou indignado e mandou suas tropas para matar aqueles assassinos e incendiar a cidade deles.
8Em seguida, o rei disse aos empregados: ‘A festa de casamento está pronta, mas os convidados não foram dignos dela. 9Portanto, ide até às encruzilhadas dos caminhos e convidai para a festa todos os que encontrardes’.
10Então os empregados saíram pelos caminhos e reuniram todos os que encontraram, maus e bons. E a sala da festa ficou cheia de convidados.
11Quando o rei entrou para ver os convidados, observou aí um homem que não estava usando traje de festa 12e perguntou-lhe: ‘Amigo, como entraste aqui sem o traje de festa?’ Mas o homem nada respondeu.
13Então o rei disse aos que serviam: ‘Amarrai os pés e as mãos desse homem e jogai-o fora, na escuridão! Aí haverá choro e ranger de dentes’.
14Porque muitos são chamados, e poucos são escolhidos”

– Palavra da Salvação
– Glória a vós Senhor.

[apss_share]

Comentário do Evangelho

Nossa Igreja é missionária. Isto significa que ela está profundamente enraizada em nosso mundo, a serviço da humanidade. Ela não vive para dentro. Ela vive para fora, por isso é missionária. Ela presta um bom serviço porque sabe, por revelação, que há uma festa preparada para todos, e sabe que alguns podem perder a festa. O trabalho é desafiador porque alguns não dão importância à participação na festa. Ou são ignorantes e não sabem o quanto ela vale, ou são arrogantes e pensam que sem eles não haverá festa. Jesus conta então a parábola do rei que preparou a festa do casamento do seu filho e os convidados não quiseram vir, “não deram a menor atenção”, diz o texto. O rei reage e manda seus empregados saírem pelos caminhos e chamarem quem eles encontrarem, maus e bons, e a festa acontece. Se os convidados pensaram que não haveria festa sem eles, enganaram-se. Eles não eram os donos da festa. Aí está o missionário, chamando para a festa, trabalhando para que ela aconteça, e que ninguém deixe de participar por ignorância ou arrogância. É um grande banquete para gente livre, alegre e feliz. Será para Israel e todos os povos no monte de Jerusalém. O profeta Isaías nos faz saber que Deus preparou, em Jerusalém, um banquete para todos os povos. Sendo missionários, vamos anunciar o que está para acontecer: um banquete para todos. Vamos levar o convite a todos, porque, com o banquete, Deus abrirá as correntes que prendem os povos, destruirá a morte e acabará com o pranto. Israel, em particular, vai recuperar a sua honra. O que sabemos pela boca do profeta não guardamos somente para nós. Anunciamos aos quatro ventos. A tarefa do missionário não é fácil, mas ele “tudo pode naquele que lhe dá força”. Faz o seu trabalho em qualquer situação porque aprendeu a viver na penúria e na abundância. Ele é absolutamente livre e dedica-se a uma causa: anunciar a toda a humanidade que o banquete está preparado, levando todos a querer participar da festa. A parábola do traje da festa mostra mais uma dimensão da ação missionária: que todos participem da festa devidamente vestidos. O Apocalipse fala de gente vestida de túnica branca, lavada no sangue do Cordeiro. Estaremos bem vestidos se guardarmos as nossas convicções de fé. Mateus junta duas parábolas: a do banquete e a da veste apropriada para a festa. A parábola da veste diminui o impacto da parábola inicial. Isto é próprio de Mateus. A parábola do banquete diz simplesmente que, apesar da recusa de alguns, a festa aconteceu com quem nunca se imaginou numa festa assim, independentemente de ser bom ou mau. Afinal, Deus é perfeitamente livre em suas decisões.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2017’, Paulinas.

LEITURA ORANTE

Oração Inicial
Neste 28º domingo do Tempo Comum de nossa liturgia, celebramos também Santa Teresa de Ávila. Hoje, com a parábola do rei que preparou uma festa de casamento, Jesus nos lembra de que todos são convidados a participar do Reino, porém, é necessário decidir-se plenamente por ele, vestindo o traje nupcial. Abramos o nosso coração para acolhermos os ensinamentos de Jesus para o nosso dia.
Rezemos: “Vem, Espírito Santo! Faze-nos amar as Escrituras, para reconhecermos a voz viva de Jesus. Torna-nos humildes e simples, a fim de compreendermos os mistérios do Reino de Deus. Amém.”

Leitura (Verdade)
O que diz o texto? Qual comparação Jesus utiliza para falar do Reino dos Céus? Por que a recusa em aceitar participar da festa de casamento? Quem foi convidado para a festa? O que os convidados representam? O que significa comparecer ao casamento com a veste digna?
“Nesta narrativa parabólica, percebe-se o estilo e a criação literária de Mateus pela presença da violência e da crueldade, que também aparecem em outras de suas parábolas. Isso não acontece no texto de Lucas, paralelo a este (Lc 14,15-24). A cidade incendiada pelas tropas do rei parece ser Jerusalém, queimada pelos romanos no ano 70, e Mateus interpreta isso como castigo pela morte de Jesus. A parábola é dirigida aos chefes dos judeus, que se julgavam o povo eleito e que, rejeitando Jesus, perderam seu espaço para os gentios que creram e aderiram a ele” (Reflexão de José Raimundo Oliva, em “A Bíblia dia a dia”, da Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)
O que o texto diz a você hoje? Qual palavra chamou mais a sua atenção? Em que sentido o texto fortalece a sua caminhada de fé? Como você acolhe as palavras e os ensinamentos de Jesus em sua vida? Quais são os gestos que Jesus o(a) convida a viver?

Oração (Vida)
Agradeça tudo o que a Palavra lhe permitiu compreender e vivenciar do mistério de Cristo e apresente ao Senhor a oração que brotou em seu coração durante a leitura orante.
Conclua com a oração ao Espírito Santo, do papa Paulo VI: “Ó Espírito Santo! Dai-me um coração grande, aberto à vossa silenciosa e forte palavra inspiradora; fechado a todas as ambições mesquinhas, alheio a qualquer desprezível competição humana, compenetrado do sentido da Santa Igreja! Um coração grande, desejoso de se tornar semelhante ao Coração do Senhor Jesus. Um coração grande e forte, para amar a todos, para servir a todos, para sofrer por todos. Um coração grande e forte, para superar todas as provações, todo tédio, todo cansaço, toda ofensa, toda desilusão. Um coração grande e forte e constante até o sacrifício, quando for necessário. Um coração cuja felicidade é palpitar com o coração de Cristo e cumprir humilde e fielmente a vontade do Pai. Amém.”

Contemplação (Vida e Missão)
Com a Palavra de Deus na mente e no coração, qual atitude você se propõe a viver hoje?

Bênção
– Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
– Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
– Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
– Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

[apss_share]