Liturgia diária Pentecostes

Pentecostes – Ano Litúrgico C

15 de maio de 2016

ORAÇÃO DO DIA

Pai, que o teu Espírito Santo me recrie inteiramente, de modo a banir para longe de mim todo medo e toda insegurança que me impedem de dar testemunho do teu Reino.

PRIMEIRA LEITURA:  At 2,1-11

Leitura dos Atos dos Apóstolos – 1Quando chegou o dia de Pentecostes, os discípulos estavam todos reunidos no mesmo lugar.
2De repente, veio do céu um barulho como se fosse uma forte ventania, que encheu a casa onde eles se encontravam.
3Então apareceram línguas como de fogo que se repartiram e pousaram sobre cada um deles.
4Todos ficaram cheios do Espírito Santo e começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito os inspirava.
5Moravam em Jerusalém judeus devotos, de todas as nações do mundo.
6Quando ouviram o barulho, juntou-se a multidão, e todos ficaram confusos, pois cada um ouvia os discípulos falar em sua própria língua.
7Cheios de espanto e admiração, diziam: “Esses homens que estão falando não são todos galileus? 8Como é que nós os escutamos na nossa própria língua? 9Nós, que somos partos, medos e elamitas, habitantes da Mesopotâmia, da Judeia e da Capadócia, do Ponto e da Ásia, 10da Frígia e da Panfília, do Egito e da parte da Líbia próxima de Cirene, também romanos que aqui residem; 11judeus e prosélitos, cretenses e árabes, todos nós os escutamos anunciarem as maravilhas de Deus em nossa própria língua!” – Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

SALMO 103

— Enviai o vosso Espírito, Senhor,/ e da terra toda a face renovai!
— Enviai o vosso Espírito, Senhor,/ e da terra toda a face renovai!

— Bendize, ó minha alma, ao Senhor!/ Ó meu Deus e meu Senhor, como sois grande!/ Quão numerosas, ó Senhor, são vossas obras!/ Encheu-se a terra com as vossas criaturas!

— Se tirais o seu respiro, elas perecem/ e voltam para o pó de onde vieram./ Enviais o vosso espírito e renascem/ e da terra toda a face renovais.

— Que a glória do Senhor perdure sempre,/ e alegre-se o Senhor em suas obras!/ Hoje seja-lhe agradável o meu canto,/ pois o Senhor é a minha grande alegria!

SEGUNDA LEITURA: 1Cor 12,3b-7.12-13

Leitura da Primeira Carta de São Paulo aos Coríntios – Irmãos: 3bNinguém pode dizer: Jesus é o Senhor, a não ser no Espírito Santo.
4Há diversidade de dons, mas um mesmo é o Espírito.
5Há diversidade de ministérios, mas um mesmo é o Senhor.
6Há diferentes atividades, mas um mesmo Deus que realiza todas as coisas em todos.
7A cada um é dada a manifestação do Espírito em vista do bem comum.
12Como o corpo é um, embora tenha muitos membros, e como todos os membros do corpo, embora sejam muitos, formam um só corpo, assim também acontece com Cristo.
13De fato, todos nós, judeus ou gregos, escravos ou livres, fomos batizados num único Espírito, para formarmos um único corpo, e todos nós bebemos de um único Espírito – Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

EVANGELHO: Jo 20,19-23

– O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São João.
          – Glória a vós, Senhor.

19Ao anoitecer daquele dia, o primeiro da semana, estando fechadas, por medo dos judeus, as portas do lugar onde os discípulos se encontravam, Jesus entrou e, pondo-se no meio deles, disse: “A paz esteja convosco”.
20Depois dessas palavras, mostrou-lhes as mãos e o lado. Então os discípulos se alegraram por verem o Senhor.
21Novamente, Jesus disse: “A paz esteja convosco. Como o Pai me enviou, também eu vos envio”.
22E, depois de ter dito isso, soprou sobre eles e disse: “Recebei o Espírito Santo. 23A quem perdoardes os pecados, eles lhes serão perdoados; a quem não os perdoardes, eles lhes serão retidos”.

– Palavra da Salvação
– Glória a vós Senhor.

[apss_share]

Comentário do Evangelho

“Sem o Espírito Santo, Deus está distante; o Cristo permanece no passado; o evangelho é uma letra morta; a Igreja, uma simples organização; a autoridade, um poder; a missão, uma propaganda; o culto, um arcaísmo; a ação moral, uma ação de escravos. Mas, no Espírito Santo, o cosmos é enobrecido pela geração do Reino, o Cristo ressuscitado se faz presente, o evangelho se faz força do Reino, a Igreja realiza a comunhão trinitária, a autoridade se transforma em serviço, a liturgia é memorial e antecipação, a ação humana se deifica.” Assim dizia Atanágoras, já falecido, que foi Patriarca ecumênico de Constantinopla.
Mas, graças ao Pai e ao Filho, não estamos sem o Espírito. Cinquenta dias depois da ressurreição de Jesus, quando os judeus celebravam a festa das Semanas, o Espírito Santo se manifestou em forma de vento forte e línguas de fogo que pousaram sobre os apóstolos e os discípulos reunidos com Maria no Cenáculo de Jerusalém. Naquele dia, a Igreja do Cenáculo, impulsionada pelo Espírito, sai para a rua e proclama as maravilhas do Senhor. O Espírito Santo se manifesta como um vento que sopra. Na tarde da ressurreição, Jesus sopra sobre os discípulos reunidos. No dia de Pentecostes, um vento impetuoso passa por sobre a casa onde eles se encontravam. Conversando com Nicodemos, Jesus diz que o vento sopra onde quer, ouvimos o seu ruído mas não sabemos de onde ele vem nem para onde vai. E assim, diz Jesus, acontece com todo aquele que nasceu do vento.
O evangelista usa a palavra grega “pneuma”, que significa vento ou espírito. Por isso entendemos que Jesus está dizendo a Nicodemos que o Espírito sopra onde quer e que assim acontece com todos os que nascem do Espírito. Quando fomos batizados, nós nos tornamos homens e mulheres do Vento que sopra livre sobre o universo. Nós nos tornamos presença amiga e respeitosa sem que nada ou ninguém nos possa prender ou enquadrar. Jesus chama Nicodemos para a liberdade do Espírito que sopra onde quer e se solta no universo, qual brisa suave que se faz sentir como na montanha de Elias. Na vinda do Espírito caem as barreiras.
Os homens e as mulheres do Vento falam e todos entendem. Falam a linguagem do amor de Deus, derramado em nosso coração pelo Espírito Santo que nos foi dado e que torna a nossa linguagem compreensível. O dom das línguas é a linguagem do amor. Sem a expressão prática do amor, o Espírito se entristece ou se sufoca! Pentecostes continua na manifestação diária do Espírito que não deve ser sufocado, diz Paulo aos tessalonicenses, nem entristecido, diz ele aos efésios. O Espírito se manifesta pelo canal da sensibilidade, o qual, se bloqueado, sufoca e entristece o Espírito. A sensibilidade leva ao perdão. Recebam o Espírito e perdoem. É este o caminho para a renovação da face da terra.
Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2016’, Paulinas.

LEITURA ORANTE

Oração Inicial
Com a liturgia de hoje, na solenidade de Pentecostes, concluímos o tempo pascal. Cinquenta dias após a Páscoa, os discípulos, reunidos com Maria, recebem os dons do Espírito Santo.
Celebremos com fé este dia e peçamos também para nós e para a Igreja os dons da fortaleza, da sabedoria, da ciência, do conselho, do entendimento, da piedade e do temor de Deus.

Leitura (Verdade)
O que diz o texto? Faça uma leitura atenta e procure perceber os elementos presentes na narrativa. Leia também em sua Bíblia os textos: At 2,1-11 e 1Cor 12,3b-7.12-13 ou Gl 5,16-25. Quais elementos possuem em comum? Qual é a experiência vivida pelos discípulos?
No Evangelho, Jesus Ressuscitado aparece aos discípulos reunidos, em um contexto de medo, demonstrado pelas portas fechadas. É Jesus quem toma a iniciativa: “Jesus entrou e pôs-se no meio deles”. A sua presença torna-se comunicação de paz: “A paz esteja convosco”. O reconhecimento de sua presença desperta a alegria nos discípulos: “Os discípulos se alegraram por verem o Senhor”. Então, Jesus os envia – “Como o Pai me enviou, também eu vos envio” – e comunica-lhes o Espírito Santo – “Recebei o Espírito Santo”. É também pelo dom do Espírito Santo que os discípulos poderão realizar a missão a eles confiada por Jesus: “A quem perdoardes os pecados, serão perdoados; a quem os retiverdes, ficarão retidos”.

Meditação (Caminho)
“Consumada a obra que o Pai tinha confiado ao Filho sobre a terra (cf. Jo 17, 4), no dia do Pentecostes foi enviado o Espírito Santo para santificar continuamente a Igreja, e, assim, os que viessem a acreditar tivessem, mediante Cristo, acesso ao Pai num só Espírito (cf. Ef 2, 18). Este é o Espírito da vida, a fonte de água que jorra para a vida eterna (cf. Jo 4,14; 7,38-39); é Aquele por meio do qual o Pai dá novamente a vida aos homens, mortos pelo pecado, até que um dia ressuscite em Cristo os seus corpos mortais (cf. Rom 8,10-11).
É deste modo que o Concílio Vaticano II fala do nascimento da Igreja no dia de Pentecostes. Este acontecimento constitui a manifestação definitiva daquilo que já se tinha realizado no mesmo Cenáculo no Domingo da Páscoa. Cristo Ressuscitado veio e foi ‘portador’ do Espírito Santo para os Apóstolos. Deu-lho dizendo: ‘Recebei o Espírito Santo’. Isso que aconteceu então no interior do Cenáculo, ‘estando as portas fechadas’, mais tarde, no dia do Pentecostes, viria a manifestar-se publicamente diante dos homens. Abrem-se as portas do Cenáculo e os Apóstolos dirigem-se aos habitantes e peregrinos, que tinham vindo a Jerusalém por ocasião da festa, para dar testemunho de Cristo com o poder do Espírito Santo. E assim se realiza o anúncio de Jesus: ‘Ele dará testemunho de mim: e também vós dareis testemunho de mim, porque estivestes comigo desde o princípio’” (Dominum et Vivificantem, 25).

Oração (Vida)
Peçamos neste dia os dons do Espírito Santo para a Igreja, para os povos, para os doentes, para os desanimados e para as nossas necessidades pessoais.
“Vinde, Espírito Santo, e enviai-nos do alto do céu um raio da vossa luz. Vinde, Pai dos pobres, vinde, fonte de todos os dons, vinde, luz dos corações. Consolador magnífico. Doce hóspede da alma. Doce reconforto. Sois repouso para o nosso trabalho, força contra nossas paixões, conforto para as nossas lágrimas. Sem o vosso auxílio, nada pode o homem, nada produz de bom. Lavai as nossas manchas. Banhai nossa aridez. Curai nossas feridas. Dobrai a nossa dureza. Aquecei nossa frieza. Corrigi os nossos erros. Dai aos vossos fiéis, que em vós confiam, os sete dons sagrados. Dai-nos o mérito da virtude. Dai-nos o troféu da salvação, dai-nos a alegria eterna. Amém.”

Contemplação (Vida e Missão)
Com a Palavra de Deus na mente e no coração, qual atitude você se propõe a viver no dia de hoje?

Bênção
– O Deus que derramou em nossos corações o Espírito do seu Filho nos encha de alegria e consolação, agora e sempre.
– Amém.
– Louvado seja nosso Senhor Jesus Cristo.
– Para sempre seja louvado!
(Festa de Pentecostes, do “Ofício Divino das Comunidades”, Paulus Editora)

[apss_share]