Liturgia diária O noivo está chegando. Ide ao seu encontro. - Mt 25,1-13

Na liturgia diária de hoje lemos o Evangelho: Mt 25,1-13

O Senhor nos pede que permaneçamos vigilantes e com as lâmpadas acesas aguardando a sua vinda.

Façamos a oração do dia: Pai, mantenha acesa em mim a chama do zelo pelas coisas do Reino, de modo que eu esteja sempre preparado para o encontro com o teu Filho Jesus.

32º Domingo do Tempo Comum – Ano Litúrgico A

Liturgia do dia 08 de novembro de 2020

PRIMEIRA LEITURA: Sb 6,12-16

Leitura do Livro da Sabedoria:

12A Sabedoria é resplandecente e sempre viçosa. Ela é facilmente contemplada por aqueles que a amam, e é encontrada por aqueles que a procuram. 13Ela até se antecipa, dando-se a conhecer aos que a desejam. 14Quem por ela madruga não se cansará, pois a encontrará sentada à sua porta. 

15Meditar sobre ela é a perfeição da prudência; e quem ficar acordado por causa dela, em breve há de viver despreocupado. 16Pois ela mesma sai à procura dos que a merecem, cheia de bondade, aparece-lhes nas estradas e vai ao seu encontro em todos os seus projetos

– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

SALMO 63(62)

— A minh’alma tem sede de vós e vos deseja, ó Senhor!

— A minh’alma tem sede de vós e vos deseja, ó Senhor!

— Sois vós, ó Senhor, o

meu Deus! Desde a aurora ansioso vos busco! A minh’alma tem sede de vós, minha carne também vos deseja, como terra sedenta e sem água!

— Venho, assim, contemplar-vos no templo, para ver vossa glória e poder. Vosso amor vale mais do que a vida: e por isso meus lábios vos louvam.

— Quero, pois, vos louvar pela vida, e elevar para vós minhas mãos! A minh’alma será saciada, como em grande banquete de festa; cantará a alegria em meus lábios.

— Penso em vós no meu leito, de noite, nas vigílias suspiro por vós! Para mim fostes sempre um socorro; de vossas asas à sombra eu exulto!

SEGUNDA LEITURA: 1Ts 4,13-18 

14Se Jesus morreu e ressuscitou — e esta é nossa fé — de modo semelhante Deus trará de volta, com Cristo, os que através dele entraram no sono da morte. 15Isto vos declaramos, segundo a palavra do Senhor: nós, que formos deixados com vida para a vinda do Senhor, não levaremos vantagem em relação aos que morreram. 

16Pois o Senhor mesmo, quando for dada a ordem, à voz do arcanjo e ao som da trombeta, descerá do céu, e

os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro. 17Em seguida, nós, que formos deixados com vida, seremos arrebatados com eles nas nuvens, para o encontro com o Senhor, nos ares. E assim estaremos sempre com o Senhor. 18Exortai-vos, pois, uns aos outros, com essas palavras.

– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

EVANGELHO:  Mt 25,1-13

– O Senhor esteja convosco.
– Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Mateus.
– Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos esta parábola: 1“O Reino dos Céus é como a história das dez jovens que pegaram suas lâmpadas de óleo e saíram ao encontro do noivo. 2Cinco delas eram imprevidentes, e as outras cinco eram previdentes. 3As imprevidentes pegaram as suas lâmpadas, mas não levaram óleo consigo. 

4As previdentes, porém, levaram vasilhas com óleo junto com as lâmpadas. 5O noivo estava demorando, e todas elas acabaram cochilando e dormindo. 6No meio da noite, ouviu-se um grito: ‘O noivo está chegando. Ide ao seu encontro!’ 7Então as dez jovens

se levantaram e prepararam as lâmpadas. 8As imprevidentes disseram às previdentes: ‘Dai-nos um pouco de óleo, porque nossas lâmpadas estão se apagando’. 

9As previdentes responderam: ‘De modo nenhum, porque o óleo pode ser insuficiente para nós e para vós. É melhor irdes comprar dos vendedores’. 10Enquanto elas foram comprar óleo, o noivo chegou, e as que estavam preparadas entraram com ele para a festa de casamento. E a porta se fechou. 11Por fim, chegaram também as outras jovens e disseram: ‘Senhor! Senhor! Abre-nos a porta!’ 12Ele, porém, respondeu: ‘Em verdade eu vos digo: Não vos conheço!’ 13Portanto, ficai vigiando, pois não sabeis qual será o dia nem a hora”.

– Palavra da Salvação
– Glória a vós Senhor.

COMENTÁRIO DO EVANGELHO

Como é importante a porta pela qual se entra! Ela se abre e nos leva para dentro. Sim, mas para onde exatamente? Para onde nos levou o dom da sabedoria. Sabedoria, saber, saborear. Saborear, sentir o gosto e, logo depois, saber do que se trata. As portas se abriram e cinco moças entraram.

As portas se fecharam e cinco outras ficaram de fora. Estamos no fim do ano litúrgico e do ano civil. Portas se abrem, portas se fecham, temos que atravessar o tempo e entrar na eternidade. Cessa o pecado deste tempo presente e abre-se a porta da divina misericórdia. Sejamos previdentes e estejamos preparados, com as lâmpadas acesas, com reserva de óleo. Acesa está nossa fé e cheias de obras de bondade, as nossas lâmpadas.

Que Deus nos conceda tempo para uma verdadeira conversão! Ele nos dá o tempo desejado. Temos ainda duas semanas antes que o Rei bondoso e justo se sente na cátedra do julgamento. Certamente podemos começar a ser sábios agora. Ame a sabedoria e procure-a. Madrugue por ela e a encontrará sentada à porta, e a porta se abrirá. Para tudo na vida o que importa é ter bom senso. Quem tem bom senso medita e reflete sobre os caminhos da sabedoria.

Ela é luminosa e nunca murcha. Está sempre ao nosso dispor. Com ela tomaremos decisões acertadas. Decisão acertada foi a das moças que providenciaram óleo suficiente para terem suas lâmpadas acesas, quando o noivo chegasse. Fim de ano, fim dos tempos e fim desta vida.

Chega a morte. Morte, juízo, inferno e paraíso. Deus nos livre do inferno e nos leve ao paraíso! Não ficamos tristes diante da morte porque temos esperança. Jesus morreu e ressuscitou, nós também ressuscitaremos por sua graça. Seremos arrebatados nas nuvens ao encontro do Senhor, nos ares, e assim estaremos sempre com ele, escreve Paulo para o consolo dos irmãos de Tessalônica.

Não ficamos tristes e não temos medo porque, não sabendo nem o dia nem a hora, permanecemos vigilantes, conforme a recomendação do Senhor. Temos consciência de termos sido pecadores, mas tomamos a decisão de não mais ofender a Deus em nossos irmãos e irmãs. E se ainda fizermos alguma coisa má, em seguida faremos duas que sejam boas, porque o amor cobre a multidão dos pecados. O sábio é sincero e humilde diante de Deus e diante de qualquer pessoa.

Prudentes e imprudentes, dormimos todos enquanto esperamos. As moças cuidadosas não puderam partilhar o óleo, mas procuraram ajudar orientando as descuidadas para que fossem comprá-lo. Não deu certo. Nem tudo dá certo, nem tudo está certo. O que não pode acontecer é que nos digam: “Não vos conheço”. Precisamos ser conhecidos desde já por aquele que é a Sabedoria encarnada, nosso Senhor Jesus.

LEITURA ORANTE

Oração Inicial

Na liturgia de hoje, somos convidados a refletir sobre a parábola das cinco virgens previdentes e das cinco imprevidentes. O Senhor nos pede que permaneçamos vigilantes e com as lâmpadas acesas aguardando a sua vinda.

Peçamos as luzes do Espírito Santo para compreendermos os ensinamentos de Jesus por meio de sua Palavra: “Senhor Jesus, dá-me um coração simples para compreender a riqueza de ensinamentos escondida em tua Palavra. Envia teu Espírito Santo para que eu não tenha medo de escutá-la e vivê-la conforme a tua vontade. Que a Palavra transforme o meu coração através da fé e confiança que eu deposito em ti. Amém.”

Leitura (Verdade)

O que diz o texto? Qual é a temática desenvolvida pela parábola? Quem é o noivo? O que representam as jovens previdentes e as imprevidentes? A quem Jesus está instruindo por meio da parábola? Qual é o seu ensinamento? Por que o Senhor nos pede a vigilância?

“Preparando o Advento, as leituras assinalam o fim dos tempos, a Parúsia. Na realidade, não se trata do fim, mas de um novo começo. A parábola fala de um casamento e as damas de honra, certamente, sabiam com antecedência a data e a hora. Mesmo assim, cinco delas deixaram-se surpreender.

A lâmpada representa a fé e o óleo, as boas obras. Aquela que seria uma grande noite transformou-se em frustração e uma sentença definitiva: a porta foi fechada e “não vos conheço”. Jesus – figurado pelo noivo – passa muitas vezes pela nossa vida. Não basta crer nele, é necessário o óleo das boas obras. Como a questão é importante, o Evangelho alerta: “Vigiai, pois não sabemos nem o dia nem a hora”. O tempo de Deus é hoje.

Meditação (Caminho)

“O Esposo é o Senhor, e o tempo de espera da sua chegada é o tempo que Ele nos concede, a todos nós, com misericórdia e paciência, antes da sua vinda derradeira; é um tempo de vigilância; tempo em que devemos manter acesas as lâmpadas da fé, da esperança e da caridade e conservar aberto o coração para o bem, a beleza e a verdade; tempo para viver segundo Deus, pois não conhecemos nem o dia nem a hora da vinda de Cristo.

É-nos pedido que estejamos preparados para o encontro — preparados para um encontro, um encontro bonito, o encontro com Jesus —, que significa saber ver os sinais da sua presença, manter viva a nossa fé com a oração e com os Sacramentos, ser vigilantes para não adormecer, para não nos esquecermos de Deus. A vida dos cristãos adormecidos é triste, não é uma vida feliz. O cristão deve ser feliz, a alegria de Jesus. Não adormeçamos!” (Papa Francisco).

Oração (Vida)

Reze com a canção “Vigília”, de composição de M. Luiza Ricciardi e Emmanuel.

Como aquele empregado que vigia sem parar, pois não sabe a hora certa que o senhor vai retornar. Como um guarda vigilante esperando a madrugada, e o viajante que anseia pela hora da chegada.

Com as lâmpadas acesas, te esperamos, ó Senhor.

Como a mãe espera o filho que de longe vai chegar. Como alguém espera atento seu amor que vai voltar. Como quem resiste e luta trabalhando na mudança do que é velho no que é novo com a força da esperança.

Com as lâmpadas acesas, te esperamos, ó Senhor.

Como um povo generoso, que constrói, em mutirão, uma casa onde todos tenham terra, paz e pão. Como o sol ao despontar traz de volta a luz do dia, como a noite que se acaba numa aurora de alegria.

Com as lâmpadas acesas, te esperamos, ó Senhor.

Permaneça por alguns instantes em silêncio e reflita sobre sua vida à luz da Palavra de Deus que foi meditada. Com fé e confiança, eleve ao Senhor a sua oração, recordando suas palavras: “Pedi e recebereis, procurai e encontrareis, batei e vos será aberto…”.

Contemplação (Vida e Missão)

Qual é a aplicação da Palavra em sua vida? O que você se propõe a viver hoje? Como pretende atingir esse propósito?

Bênção

Concedei, ó Deus, a vossos filhos a benção desejada, para que nutridos por vosso amor produzam frutos de paz e de justiça. Amém.

  • O Senhor Deus nosso Pai esteja sempre conosco.
  • Ele está no meio nós.

Oremos: “Senhor nosso Deus, Que enviastes Vosso Filho ao mundo Para curar as nossas enfermidades, Levar sobre Si as nossas dores, Redimir nossos pecados e Nos dar a Vida Eterna que vem de Vós, Tendes Piedade de nós!

Deus Misericordioso, Que cuida de todas as Vossas Criaturas, Atendei as nossas suplicas, e Segundo a Vossa Vontade, Protegei o Vosso Povo, Oprimido por essa doença terrível. Guardai e mantenhais a saúde daqueles Que não contraíram essa doença e Dai Senhor, aos que a contraíram, Paciência fortalecida, fé renovada e A cura desse mal, Para que todos nós desfrutemos De plena e duradoura saúde! Por Jesus Cristo nosso Senhor.” Amém.

Todo o Louvor, toda a Honra, toda a Gratidão, Toda a Fé, toda a Confiança, Toda a Adoração e toda a Glória Sejam dadas aos Senhor nosso Deus, Agora e para sempre! Em Nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo! Amém.

Confira a Homilia dominical.Clique aqui