Liturgia diária, O semeador saiu para semear... - Mt 13,1-23

AJUDE A MANTER O SITE NO AR !

Nosso site tem uma divida mensal e a cada dia está mais difícil manter o site no ar. Doe qualquer valor e você ira muito ajudar na manutenção e permanência do site no ar ! O seu gesto de amor ajudara muitos catequistas que visitam nosso site

FAÇA UMA DOAÇÃO DE QUALQUER VALOR

PIX CHAVE CPF: 16800472808
RESPONSAVEL: Anderson Roberto Fuzatto

ou

PIX CHAVE EMAIL: [email protected]
RESPONSAVEL: Anderson Roberto Fuzatto

Deus te abençoe !

15º Domingo do Tempo Comum – Ano Litúrgico A

16 de julho de 2017

ORAÇÃO DO DIA

Pai, que a tua Palavra, semeada no meu coração, encontre solo propício onde possa produzir frutos de conversão. Não permitas que tua semente venha a se perder!

PRIMEIRA LEITURA: Is 55,10-11

Leitura do Livro do Profeta Isaías

Isto diz o Senhor: 10“Assim como a chuva e a neve descem do céu e para lá não voltam mais, mas vêm irrigar e fecundar a terra, e fazê-la germinar e dar semente, para o plantio e para a alimentação, 11assim a palavra que sair de minha boca: não voltará para mim vazia; antes, realizará tudo que for de minha vontade e produzirá os efeitos que pretendi, ao enviá-la”.

– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

SALMO 65

          — A semente caiu em terra boa e deu fruto.
— A semente caiu em terra boa e deu fruto.

— Visitais a nossa terra com as chuvas,/ e transborda de fartura./ Rios de Deus que vêm do céu derramam águas,/ e preparais o nosso trigo.

— É assim que preparais a nossa terra:/ vós a regais e aplainais,/ os seus sulcos com a chuva amoleceis/ e abençoais as sementeiras.

— O ano todo

coroais com vossos dons,/ os vossos passos são fecundos;/ transborda a fartura onde passais,/ brotam pastos no deserto.

— As colinas se enfeitam de alegria,/ e os campos, de rebanhos;/ nossos vales se revestem de trigais:/ tudo canta de alegria!

SEGUNDA LEITURA: Rm 8,18-23

Leitura da Carta de São Paulo aos Romanos

Irmãos: 18Eu entendo que os sofrimentos do tempo presente nem merecem ser comparados com a glória que deve ser revelada em nós.
19De fato, toda a criação está esperando ansiosamente o momento de se revelarem os filhos de Deus. 20Pois a criação ficou sujeita à vaidade, não por sua livre vontade, mas por sua dependência daquele que a sujeitou; 21também ela espera ser libertada da escravidão da corrupção e, assim, participar da liberdade e da glória dos filhos de Deus.
22Com efeito, sabemos que toda a criação, até o tempo presente, está gemendo como que em dores de parto. 23E não somente ela, mas nós também, que temos os primeiros frutos do Espírito, estamos interiormente gemendo, aguardando a adoção filial e a libertação para o nosso corpo.

– Palavra do Senhor.

/> – Graças a Deus.

EVANGELHO: Mt 13,1-23

– O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Mateus.
          – Glória a vós, Senhor.

1Naquele dia, Jesus saiu de casa e foi sentar-se às margens do mar da Galiléia.
2Uma grande multidão reuniu-se em volta dele. Por isso, Jesus entrou numa barca e sentou-se, enquanto a multidão ficava de pé, na praia.
3E disse-lhes muitas coisas em parábolas: “O semeador saiu para semear. 4Enquanto semeava, algumas sementes caíram à beira do caminho, e os pássaros vieram e as comeram.
5Outras sementes caíram em terreno pedregoso, onde não havia muita terra. As sementes logo brotaram, porque a terra não era profunda. 6Mas, quando o sol apareceu, as plantas ficaram queimadas e secaram, porque não tinham raiz.
7Outras sementes caíram no meio dos espinhos. Os espinhos cresceram e sufocaram as plantas.
8Outras sementes, porém, caíram em terra boa, e produziram à base de

cem, de sessenta e de trinta frutos por semente. 9Quem tem ouvidos, ouça!”
10Os discípulos aproximaram-se e disseram a Jesus: “Por que falas ao povo em parábolas?”
11Jesus respondeu: “Porque a vós foi dado o conhecimento dos mistérios do Reino dos Céus, mas a eles não é dado. 12Pois à pessoa que tem será dado ainda mais, e terá em abundância; mas à pessoa que não tem será tirado até o pouco que tem.
13É por isso que eu lhes falo em parábolas: porque olhando, eles não vêem, e ouvindo, eles não escutam nem compreendem. 14Desse modo se cumpre neles a profecia de Isaías: ‘Havereis de ouvir, sem nada entender. Havereis de olhar, sem nada ver. 15Porque o coração deste povo se tornou insensível. Eles ouviram com má vontade e fecharam seus olhos, para não ver com os olhos, nem ouvir com os ouvidos, nem compreender com o coração, de modo que se convertam e eu os cure’.
16Felizes sois vós, porque vossos olhos vêem e vossos ouvidos ouvem. 17Em verdade vos digo, muitos profetas e justos desejaram ver o que vedes, e não viram, desejaram ouvir o que ouvis, e não ouviram.
18Ouvi, portanto, a parábola do semeador: 19Todo aquele que ouve a palavra do Reino e não a compreende, vem o Maligno e rouba o que foi semeado em seu coração. Este é o que foi semeado à beira do caminho.
20A semente que caiu em terreno pedregoso é aquele que ouve a palavra e logo a recebe com alegria; 21mas ele não tem raiz em si mesmo, é de momento; quando chega o sofrimento ou a perseguição, por causa da palavra, ele desiste logo.
22A semente que caiu no meio dos espinhos é aquele que ouve a palavra, mas as preocupações do mundo e a ilusão da riqueza sufocam a palavra, e ele não dá fruto.
23A semente que caiu em terra boa é aquele que ouve a palavra e a compreende. Esse produz fruto. Um dá cem, outro sessenta e outro trinta”

– Palavra da Salvação
– Glória a vós Senhor.

[apss_share]

Comentário do Evangelho

São Mateus concentra no capítulo treze sete parábolas de Jesus sobre o Reino dos Céus. É o terceiro Sermão de Jesus em Mateus, que será lido hoje e nos dois domingos seguintes e em alguns dias da semana. A primeira parábola é a do semeador que vai andando e lançando sementes sobre a terra. Algumas caem na beira do caminho, outras em terreno pedregoso, outras ainda em meio de espinhos, mas há sempre algumas que caem em terra boa e produzem frutos. Jesus conta esta parábola para dizer que a Palavra de Deus está ao alcance de todos em qualquer lugar deste mundo. Ela é parecida com a semente, que é boa, mas precisa também de terra boa para produzir. Semente boa em terra boa, se não houver um acidente de percurso, o resultado será bons frutos. A terra são as pessoas que ouvem a Palavra e a acolhem de maneira diversificada.
Há gente que não entende a palavra do Reino, não percebe o seu alcance, não sabe o que fazer com ela. Falta-lhe percepção do mundo em que se encontra por falta de desenvolvimento pessoal. Manter o povo na ignorância é um pecado contra a Palavra do Reino, porque a graça de Deus supõe a natureza.
Tem gente também que é superficial, não aprofunda nada, logo se cansa quando tem que pensar. Às vezes se entusiasma, mas com um entusiasmo que dura pouco. Qualquer problema, qualquer dificuldade é o suficiente para que a pessoa desista, abandone o caminho começado, não queira continuar. Acolhe a Palavra e dela se esquece.
Em outros, a Palavra do Reino é sufocada pelas preocupações deste mundo e pela ilusão da riqueza. Neles não há espaço para a Palavra. Ela cai num mundo estranho, que olha para ela com estranheza. Comunidade, solidariedade, interesse pelos outros, vida de oração, humildade, simplicidade, tudo isso torna a Palavra tão estranha em certos mundos que se pode dizer que ela é sufocada. Mas a Palavra também encontra terra boa e então produz fruto. Jesus fala em parábolas não para facilitar a compreensão, mas porque seu conteúdo é crítico e atinge pessoas que ouvem e não gostam do que estão ouvindo.
Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2017’, Paulinas

LEITURA ORANTE

Oração Inicial
Neste 15º domingo do Tempo Comum, acolhamos os ensinamentos de Jesus: “Quem ouve a palavra e a entende é como a semente que cai em terra boa e produz fruto.” Que a Palavra de Deus encontre um solo fecundo em nossa vida e que possamos produzir muitos frutos. Peçamos esta graça ao Espírito Santo.

Leitura (Verdade)
O que diz o texto bíblico? Leia-o atentamente e procure recontar a narrativa, relembrando todos os elementos do Evangelho. Qual é a missão do semeador? Qual é o significado da semente caída à beira do caminho? E do terreno pedregoso?
“Esta parábola do semeador que semeia em terrenos diversos inicia uma série de sete parábolas de Jesus. Mateus reuniu-as na forma de um discurso de Jesus, esclarecedor do mistério do Reino dos Céus. A parábola, pela simplicidade das imagens a que recorre, é um recurso literário eficiente para a compreensão das palavras de Jesus. […] Na parábola, relacionam-se o semeador, a semente e os diferentes tipos de terreno. Facilmente se compreende que os tipos de terreno correspondem às diversas maneiras como a semente (a palavra de Jesus) é recebida. Depois da narrativa da parábola, Mateus revela o porquê de Jesus falar em parábolas. Diante da simplicidade da parábola e de sua compreensão, a explicação causa certa perplexidade. Mateus apresenta um rígido e discriminatório texto atribuído ao profeta Isaías. É considerado desígnio divino que uns acolham a palavra de Jesus e outros não. O recurso ao juízo divino excludente e condenatório é uma característica comum no Primeiro Testamento e não se assemelha à índole de Jesus. Tal entendimento reflete a tradição do evangelista, e não o sentimento de Jesus. Em seguida, é feita a explicação em detalhes do significado da parábola. Os terrenos em que as sementes caíram podem indicar tanto as várias disposições com que cada um recebe a palavra como os vários comportamentos assumidos pelos membros da comunidade. Dar frutos significa acolher a palavra com interesse e carinho e colocá-la em prática; e, como as aranhas fazem com os fios de suas teias, tecer laços humanos de fraternidade, de amor e misericórdia, de partilha e solidariedade, construindo a Paz do Reino neste mundo, como antecipação das promessas de um mundo futuro”

Meditação (Caminho)
O que o texto diz a você? Qual terreno a Palavra de Deus encontrou hoje em sua vida? Com quais cuidados e esforços você procura cultivar a Palavra de Deus semeada em seu coração? Ela produz frutos de vida? Em silêncio, permita que a meditação lhe revele outros questionamentos.

Oração (Vida)
Apresente ao Senhor a sua oração. Recorde as luzes e os apelos que a Palavra despertou em seu coração e peça a graça de vivê-los concretamente em seu dia. Conclua rezando: “Senhor Jesus, concede-me crer firmemente no amor que tu me revelaste e que doaste no teu Evangelho. Faze que eu ouça cada dia a tua voz que me chama a seguir-te para sentir sempre em mim os benefícios da tua redenção. Amém.”

Contemplação (Vida e Missão)
Qual apelo a Palavra de Deus despertou em seu coração? O que você se propõe a viver? Como pretende atingir esse propósito?

Bênção
– Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
– Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
– Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
– Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

[apss_share]