Oração diária O Reino dos Céus é como uma rede lançada ao mar.

17ª Semana Comum – Ano Litúrgico C

28 de julho de 2016

ORAÇÃO DO DIA

Pai, concede-me suficiente realismo para perceber que teu Reino se constrói em meio a perdas e ganhos, e que só tu podes garantir o sucesso final.

PRIMEIRA LEITURA:  Jr 18,1-6

Leitura do Livro do Profeta Jeremias – 1Palavra dirigida a Jeremias, da parte do Senhor: 2“Levanta-te e vai à casa do oleiro, e ali te farei ouvir minhas palavras”. 3Fui à casa do oleiro, e eis que ele estava trabalhando ao torno; 4quando o vaso que moldava em barro se avariava em suas mãos, ei-lo de novo a fazer com esse material um outro vaso, conforme melhor lhe parecesse aos olhos.
5Fez-se em mim a palavra do Senhor: 6“Acaso não posso fazer convosco como este oleiro, casa de Israel? diz o Senhor. Como é o barro na mão do oleiro, assim sois vós em minha mão, casa de Israel”. – Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

SALMO 145

          — Feliz quem se apoia no Deus de Jacó!
— Feliz quem se apoia no Deus de Jacó!

— Bendize, minh’alma, ao Senhor! Bendirei ao Senhor toda a vida, cantarei ao meu Deus sem cessar!

— Não ponhais vossa fé nos que mandam, não há homem que possa salvar. Ao faltar-lhe o respiro ele volta para a terra de onde saiu; nesse dia seus planos perecem.

— É feliz todo homem que busca seu auxílio no Deus de Jacó, e que põe no Senhor a esperança. O Senhor fez o céu e a terra, fez o mar e o que neles existe.

EVANGELHO: Mt 13,47-53

         – O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Mateus.
          – Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus à multidão: 47“O Reino dos Céus é ainda como uma rede lançada ao mar e que apanha peixes de todo tipo. 48Quando está cheia, os pescadores puxam a rede para a praia, sentam-se e recolhem os peixes bons em cestos e jogam fora os que não prestam. 49Assim acontecerá no fim dos tempos: os anjos virão para separar os homens maus dos que são justos, 50e lançarão os maus na fornalha de fogo. E aí, haverá choro e ranger de dentes. 51Compreendestes tudo isso?” Eles responderam: “Sim”. 52Então Jesus acrescentou: “Assim, pois, todo mestre da Lei, que se torna discípulo do Reino dos Céus, é como um pai de família que tira do seu tesouro coisas novas e velhas”. 53Quando Jesus terminou de contar essas parábolas, partiu dali.

– Palavra da Salvação
– Glória a vós Senhor.

[apss_share]

Comentário do Evangelho

Com a parábola da rede, o evangelista São Mateus conclui o Sermão das Parábolas. O Reino dos Céus é como uma rede de pesca cheia de peixe que são selecionados. Os que se aproveitam são postos num cesto, os que não se aproveitam são jogados fora. No fim dos tempos os justos serão separados dos maus.
Nesse momento se revelará a verdadeira comunidade dos filhos de Deus, a comunidade dos justos. Os que não foram justos irão para a fornalha de fogo. Não duvidemos da existência de tal fornalha, uma vez que dela se fala com tanta clareza. Peçamos a Deus, isto sim, que ninguém seja de tal forma considerado injusto por culpa própria que deva ir para lá. Antes de ser realidade, o inferno é uma noção-limite, que adverte.
Quem é o justo, que floresce como a palmeira e cresce como o cedro do Líbano? Para Mateus, os justos são os solidários com os necessitados. Mateus é o escriba que se tornou discípulo do Reino dos Céus e soube juntar a Nova Aliança à Primeira, que ele já conhecia, fazendo de ambas um todo, como quem tira do seu tesouro coisas novas e velhas.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2016’, Paulinas

LEITURA ORANTE

Oração Inicial
Jesus costumava ensinar o povo por meio de parábolas. E nós tivemos contato com muitas delas nos últimos dias. Também hoje a liturgia nos traz uma parábola sobre o Reino dos Céus, agora comparado a uma rede que foi lançada ao mar e pegou peixes de todos os tipos.

Peçamos ao Espírito Santo que nos oriente para bem compreendermos os ensinamentos de Jesus. Rezemos: “Senhor Jesus Cristo, envia sobre nós, como prometeste, teu Espírito Santo. Que ele nos conceda a vida e nos ensine a plenitude da verdade. Que nele encontremos a salvação, a felicidade e a plenitude de amor. Amém.”

Leitura (Verdade)
O que diz o texto? A que imagens Jesus compara o Reino dos Céus? O que representa a separação feita entre os peixes bons e os que não prestavam, entre maus e justos, entre coisas novas e velhas tiradas do baú? Em que momento se dará essa separação?

“A parábola da rede é a última das parábolas do Reino dos Céus do capítulo 13. A paciência instruída pelo discernimento é a atitude exigida dos discípulos. Há um tempo para a pesca e um tempo para a triagem da pesca realizada. Isso significa que, enquanto se é peregrino neste mundo, se impõe uma dupla atitude: suportar que, no Reino, mal e bem estão mesclados e confiar que Deus no tempo oportuno fará a triagem, separando os bons dos maus. Essa mesma ideia está presente na parábola do joio e do trigo e no discurso escatológico de 25,31-46. A parábola não deixa nenhuma margem ao equívoco: a triagem acontecerá no fim do mundo. Os versículos 51 e 52 são a conclusão de todo o discurso de Jesus em parábolas. À pergunta de Jesus sobre a compreensão os discípulos respondem afirmativamente. Isso significa que eles compreenderam a natureza do Reino dos Céus e a sua situação neste mundo, o seu desenvolvimento e as exigências que ele impõe. A resposta positiva dos discípulos à pergunta de Jesus mostra que eles reconhecem que Jesus é quem revela o mistério de Deus” (Reflexão de Pe. Carlos Alberto Contieri, sj, em “A Bíblia dia a dia”, Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)
O que o texto diz a você hoje? Quem são os justos, segundo o texto? Quem são os maus, conforme a narrativa? O que você compreende por coisas novas e coisas velhas tiradas do baú pelo pai de família? Quais perguntas o Evangelho despertou em você?

Oração (Vida)
O Senhor Deus é justo, clemente e misericordioso. Agradeçamos seu amor, que nos concede a vida renovada. Agradeçamos sua Palavra deste dia e seus ensinamentos.

Contemplação (Vida e Missão)
Sintetize, em poucas palavras, o apelo que a Palavra despertou em seu coração, para colocá-lo em prática durante o dia. O que você se propõe a viver? Como pretende atingir esse propósito?

Bênção
– Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.

– Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.

– Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.

– Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

[apss_share]