Oração diária O maior no Reino dos Céus

Na liturgia diária de hoje lemos o Evangelho: Mt 18,1-5.10.12-14

A liturgia nos ensina que: A criança, em sua fragilidade, é colocada como cliente privilegiada do Reino. E para ingressar neste Reino, os adultos precisam assumir o espírito de criança.
Façamos a oração do dia: Pai, poupa-me de cair na tentação de querer fazer-me grande aos olhos do mundo, pois a verdadeira grandeza consiste em fazer-me amigo e servidor do meu próximo.

19ª Semana do Tempo Comum – Ano Litúrgico A

Liturgia do dia 10 de agosto de 2020

PRIMEIRA LEITURA: Ez 2,8 – 3,4

Leitura da Profecia de Ezequiel – Assim fala o Senhor: 2,8“Quanto a ti, Filho do homem, escuta o que eu te digo: Não sejas rebelde como esse bando de rebeldes. Abre a boca e come o que eu te vou dar”. 9Eu olhei e vi uma mão estendida para mim e, na mão, um livro enrolado. Desenrolou-o diante de mim; estava escrito na frente e no verso e nele havia cantos fúnebres, lamentações e ais.
3,1Ele me disse: “Filho do homem, come o que tens diante de ti! Come este rolo e vai falar aos filhos de Israel”. 2Eu abri a boca, e ele fez-me comer o rolo. 3Depois disse-me: “Filho do homem, alimenta teu ventre e sacia as entranhas com este rolo que eu te dou”. Eu o comi, e era doce como mel em minha boca. 4Ele disse-me então: “Filho do homem, vai! Dirigi-te à casa de Israel e fala-lhes com as minhas palavras”. – Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

SALMO 118

— Como é doce ao paladar vossa palavra, ó Senhor!
— Como é doce ao paladar vossa palavra, ó Senhor!

— Seguindo vossa lei me rejubilo muito mais do que em todas as riquezas.

— Minha alegria é a vossa Aliança, meus conselheiros são os vossos mandamentos.

— A lei de vossa boca, para mim, vale mais do que milhões em ouro e prata.

— Como é doce ao paladar vossa palavra, muito mais doce do que mel na minha boca!

— Vossa palavra é minha herança para sempre, porque ela é que me alegra o coração!

— Abro a boca e aspiro largamente, pois estou ávido de vossos mandamentos.

EVANGELHO:  Mt 18,1-5.10.12-14

– O Senhor esteja convosco.
– Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Mateus.
– Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 1os discípulos aproximaram-se de Jesus e perguntaram: “Quem é o maior no Reino dos Céus?” 2Jesus chamou uma criança, colocou-a no meio deles 3e disse: “Em verdade vos digo, se não vos converterdes, e não vos tornardes como crianças, não entrareis no Reino dos Céus. 4Quem se faz pequeno como esta criança, este é o maior do Reino dos Céus. 5E quem recebe em meu nome uma criança como esta é a mim que recebe.
10Não desprezeis nenhum desses pequeninos, pois eu vos digo que os seus anjos nos céus veem sem cessar a face do meu Pai que está nos céus. 12Que vos parece? Se um homem tem cem ovelhas, e uma delas se perde, não deixa ele as noventa e nove nas montanhas, para procurar aquela que se perdeu? 13Em verdade vos digo, se ele a encontrar, ficará mais feliz com ela, do que com as noventa e nove que não se perderam. 14Do mesmo modo, o Pai que está nos céus não deseja que se perca nenhum desses pequeninos”.

– Palavra da Salvação
– Glória a vós Senhor.

COMENTÁRIO DO EVANGELHO

O quarto discurso de Jesus no Evangelho de São Mateus é o Sermão comunitário. Como se relacionam os cristãos entre si e com os outros? Se houver entre eles a preocupação em saber quem é o maior, a resposta não pode vir dos critérios do mundo. A resposta está na criança. Entra no Reino dos Céus quem se faz semelhante a uma criança, que tudo recebe como um dom. Hoje a criança é sujeito de direitos, com legislação que a protege. Na antiguidade era em tudo dependente, sem direitos específicos. Entrar no Reino como uma criança é entrar de graça, não por acúmulo de méritos nem por posição social. No rebanho, a ovelha extraviada ocupa toda a atenção do pastor. Pequeno é o irmão extraviado que precisa de cuidados. Atenção às inversões da história. Podem ser 99 as ovelhas extraviadas.Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2020’, Paulinas

LEITURA ORANTE

Oração Inicial

Iniciemos nossa leitura orante, pedindo ao Espírito Santo a graça de compreender o mistério da vida de Cristo que a Palavra hoje nos apresenta.

“Senhor Jesus, dá-me um coração simples para compreender a riqueza de ensinamentos escondida em tua Palavra. Envia teu Espírito Santo para que eu não tenha medo de escutá-la e vivê-la conforme a tua vontade. Que a Palavra transforme o meu coração através da fé e confiança que eu deposito em ti. Amém.”

Leitura (Verdade)

O que diz o texto bíblico? Quais são as palavras ou gestos de Jesus? Qual tema perpassa a discussão dos personagens? Por que a necessidade de se fazer pequeno como uma criança para ser o maior no Reino dos Céus?

“Na mentalidade dos conterrâneos de Jesus, as crianças não mereciam atenção. Nem sequer figuravam nas estatísticas. No texto, Jesus alude à idade das crianças – até 12 anos –, mas também se refere aos que tinham uma situação social inferior. Pode-se traduzir por criado ou servidor. Os apóstolos estavam preocupados com a hierarquia, a posição social, sobretudo no Reino de Jesus. A resposta é desconcertante. A criança, em sua fragilidade, é colocada como cliente privilegiada do Reino. E para ingressar neste Reino, os adultos precisam assumir o espírito de criança. Isto significa saber chamar a Deus de Pai. Na prática, Jesus pede para cuidar das crianças para seu crescimento integral. Temos obrigação de revelar Deus à criança.”

Meditação (Caminho)

O que o texto diz para mim? Que aspectos do mistério de Deus esta passagem permite conhecer? Qual palavra mais encontrou sintonia com a realidade que estou vivendo? Sobre o que a atitude do pastor, que sai à procura da ovelha perdida, me leva a refletir?

Oração (Vida)

Apresente ao Senhor o apelo que brotou em seu coração e peça a graça de vivê-lo durante o dia. Faça sua prece de agradecimento ou pedido.

Reze com o salmo da liturgia de hoje:

— Como é doce ao paladar vossa palavra, ó Senhor!
— Seguindo vossa lei me rejubilo muito mais do que em todas as riquezas.
— Minha alegria é a vossa Aliança, meus conselheiros são os vossos mandamentos.
— A lei de vossa boca, para mim, vale mais do que milhões em ouro e prata.
— Como é doce ao paladar vossa palavra, muito mais doce do que mel na minha boca!
— Vossa palavra é minha herança para sempre, porque ela é que me alegra o coração!
— Abro a boca e aspiro largamente, pois estou ávido de vossos mandamentos.
— Como são doces ao meu paladar tuas palavras! Sl 119(118)

Contemplação (Vida e Missão)

Depois de contemplar a os cuidados que Deus com seus filhos, especialmente os pequenos e frágeis, peço que Ele me ajude a ser segundo seu desejo: Ó Pai, ajudai-me a ser simples como uma criança!

Bênção

  • O Senhor Deus nosso Pai esteja sempre conosco.
  • Ele está no meio nós.

Oremos: “Senhor nosso Deus, Que enviastes Vosso Filho ao mundo Para curar as nossas enfermidades, Levar sobre Si as nossas dores, Redimir nossos pecados e Nos dar a Vida Eterna que vem de Vós, Tendes Piedade de nós!

Deus Misericordioso, Que cuida de todas as Vossas Criaturas, Atendei as nossas suplicas, e Segundo a Vossa Vontade, Protegei o Vosso Povo, Oprimido por essa doença terrível. Guardai e mantenhais a saúde daqueles Que não contraíram essa doença e Dai Senhor, aos que a contraíram, Paciência fortalecida, fé renovada e A cura desse mal, Para que todos nós desfrutemos De plena e duradoura saúde! Por Jesus Cristo nosso Senhor.” Amém.

Todo o Louvor, toda a Honra, toda a Gratidão, Toda a Fé, toda a Confiança, Toda a Adoração e toda a Glória Sejam dadas aos Senhor nosso Deus, Agora e para sempre! Em Nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo! Amém.

Confira a Homilia dominical.Clique aqui