Liturgia diária, O joio e o trigo - Mt 13,24-43

Na liturgia diária de hoje lemos o Evangelho Mt 12,38-42: O Reino dos Céus é como um homem que semeou boa semente no seu campo e ali nasceu o joio e o trigo. Façamos a oração do dia: Pai, enche de misericórdia o meu coração para que, como Jesus, eu me solidarize com os pecadores, e procure atraí-los para ti.

16º Domingo do Tempo Comum – Ano Litúrgico A

19 de julho de 2020

PRIMEIRA LEITURA:  Sb 12,13.16-19

Leitura do Livro da Sabedoria – 13Não há, além de ti, outro Deus que cuide de todas as coisas e a quem devas mostrar que teu julgamento não foi injusto.
16A tua força é o princípio da tua justiça, e o teu domínio sobre todos te faz para com todos indulgente.
17Mostras a tua força a quem não crê na perfeição do teu poder; e, nos que te conhecem, castigas o seu atrevimento.
18No entanto, dominando tua própria força, julgas com clemência e nos governas com grande consideração; pois, quando quiseres, está ao teu alcance fazer uso do teu poder.
19Assim procedendo, ensinaste ao teu povo que o justo deve ser humano; e a teus filhos deste a confortadora esperança de que concedes o perdão aos pecadores

– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

SALMO 85

— Ó Senhor, vós sois bom, sois clemente e fiel!
— Ó Senhor, vós sois bom, sois clemente e fiel!

— Ó Senhor, vós sois bom e clemente,/ sois perdão para quem vos invoca./ Escutai, ó Senhor, minha prece,/ o lamento da minha oração.

— As nações que criastes virão/ adorar e louvar vosso nome./ Sois tão grande e fazeis maravilhas;/ vós somente sois Deus e Senhor!

— Vós, porém, sois clemente e fiel,/ sois amor, paciência e perdão./ Tende pena e olhai para mim!/ Confirmai com vigor vosso servo.

SEGUNDA LEITURA: Rm 8,26-27

Leitura da Carta de São Paulo aos Romanos – Irmãos: 26O Espírito vem em socorro da nossa fraqueza. Pois nós não sabemos o que pedir, nem como pedir; é o próprio Espírito que intercede em nosso favor, com gemidos inefáveis.
27E aquele que penetra o íntimo dos corações sabe qual é a intenção do Espírito. Pois é sempre segundo Deus que o Espírito intercede em favor dos santos.

– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

EVANGELHO:  Mt 13,24-43

– O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Mateus.
          – Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo: 24Jesus contou outra parábola à multidão: “O Reino dos Céus é como um homem que semeou boa semente no seu campo. 25Enquanto todos dormiam, veio seu inimigo, semeou joio no meio do trigo, e foi embora. 26Quando o trigo cresceu e as espigas começaram a se formar, apareceu também o joio. 27Os empregados foram procurar o dono e lhe disseram: ‘Senhor, não semeaste boa semente no teu campo? Donde veio então o joio?’ 28O dono respondeu: ‘Foi algum inimigo que fez isso’. Os empregados lhe perguntaram: ‘Queres que vamos arrancar o joio?’ 29O dono respondeu: ‘Não! Pode acontecer que, arrancando o joio, arranqueis também o trigo. 30Deixai crescer um e outro até a colheita! E, no tempo da colheita, direi aos que cortam o trigo: arrancai primeiro o joio e amarrai-o em feixes para ser queimado. Recolhei, porém, o trigo no meu celeiro!”
31Jesus contou-lhes outra parábola: “O Reino dos Céus é como uma semente de mostarda que um homem pega e semeia no seu campo. 32Embora ela seja a menor de todas as sementes, quando cresce, fica maior do que as outras plantas. E torna-se uma árvore, de modo que os pássaros vêm e fazem ninhos em seus ramos”.
33Jesus contou-lhes ainda outra parábola: “O Reino dos Céus é como o fermento que uma mulher pega e mistura com três porções de farinha, até que tudo fique fermentado”.
34Tudo isso Jesus falava em parábolas às multidões. Nada lhes falava sem usar parábolas, 35para se cumprir o que foi dito pelo profeta: “Abrirei a boca para falar em parábolas; vou proclamar coisas escondidas desde a criação do mundo”.
36Então Jesus deixou as multidões e foi para casa. Seus discípulos aproximaram-se dele e disseram: “Explica-nos a parábola do joio!” 37Jesus respondeu: “Aquele que semeia a boa semente é o Filho do Homem. 38O campo é o mundo. A boa semente são os que pertencem ao Reino. O joio são os que pertencem ao Maligno. 39O inimigo que semeou o joio é o diabo. A colheita é o fim dos tempos. Os ceifeiros são os anjos. 40Como o joio é recolhido e queimado ao fogo, assim também acontecerá no fim dos tempos: 41o Filho do Homem enviará seus anjos, e eles retirarão do seu Reino todos os que fazem outros pecar e os que praticam o mal; 42e depois os lançarão na fornalha de fogo. Aí haverá choro e ranger de dentes. 43Então os justos brilharão como o sol no Reino de seu Pai. Quem tem ouvidos, ouça”.

  • Palavra da Salvação
    – Glória a vós Senhor.

[apss_share]

Comentário do Evangelho

Para brilhar, o justo deve ser “humano”, lemos no Livro da Sabedoria. É humano aquele que ama o seu próximo, que também é humano. No Evangelho de hoje, o proprietário do campo e seus funcionários têm força e poder para arrancar a erva daninha, mas não o fazem. Poderão arrancá-la a qualquer momento, mas pacientam, dão tempo ao tempo, pois o tempo não poupa o que se faz sem ele. Assim também aos agentes do poder demoníaco se concede tempo para uma verdadeira conversão, até que o tempo se esgote. A concessão, porém, não é inerte, pois o “Espírito vem em socorro da nossa fraqueza” e nos desperta. O joio foi semeado enquanto dormiam. O Espírito nos desperta e nos torna vigilantes. Não protegemos o trigo isolando-o. Estamos, porém, atentos para que a proximidade do joio não o corrompa. O fermento não vai sozinho à massa, mas conta com nossas mãos que sabem que o Reino cresce como a semente de mostarda. Jesus fala em parábolas, pequenas histórias que ajudam a perceber o que é o Reino dos Céus, das quais você tira conclusões. Muitas vezes a parábola contém uma crítica que o bom entendedor entende. Ele sabe que o que está sendo dito é para ele ou para o seu grupo de pensamento e comportamento. A parábola contém um chapéu que cabe na cabeça de alguém. Ao bom entendedor, meia palavra basta. Em que cabeça entra o chapéu? A crítica está feita e se refere aos agentes do diabo, que favorecem os escândalos e a desintegração da sociedade. No fim dos tempos, estes serão punidos, enquanto os justos brilharão como o sol no Reino do Pai. Mas, para brilhar, o justo deve ser humano.
O capítulo treze de São Mateus é o capítulo das parábolas. Elas nos dizem com que podemos comparar o Reino dos Céus. Não é uma forma didática de se dizer as coisas com mais clareza, pois Jesus falava em parábolas para os de fora e explicava tudo em particular para os seus discípulos. Na realidade, a parábola é polêmica e precisa de explicação, porque sua crítica tem destinatários e não atinge a todos.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2020’, Paulinas

LEITURA ORANTE

Oração Inicial
A Palavra deste 16º domingo do Tempo Comum nos revela a paciência de Deus para conosco. Jesus afirma que o Reino de Deus já está presente entre nós, caminhando para sua realização plena e definitiva, independente das adversidades e condições históricas.
Todo aquele que acolhe a sua mensagem terá vida plena e, no fim dos tempos, brilhará como o sol no Reino de Deus. Acolhamos a sua Palavra para o nosso dia e deixemo-nos conduzir por seus ensinamentos, para que tenhamos a vida em sua Palavra.

Façamos o Sinal da Cruz com o sentimento de sintonizar com a proposta de Jesus: “Em nome do pai, do Filho e do Espírito santo”. Amém.
“Espírito Divino, luz de Deus, vinde nos iluminar para que possamos compreender o sentido profundo da Palavra de Deus. Fazei-nos discípulos missionários de Jesus, Caminho, Verdade e Vida, transformando nosso coração em terra boa, onde a Palavra produza frutos abundantes. Amém.”

Leitura (Verdade)
O que diz o texto? Faça uma leitura atenta e identifique os sete elementos colocados na parábola: o semeador, o campo, a boa semente, o inimigo, o joio, os ceifadores e a colheita. Qual interpretação Jesus dá a cada um desses elementos?

“O mal sempre nos questiona e assusta. Ele parece estar presente em toda parte e aumentar cada vez mais. Se Deus é infinitamente bom e todo-poderoso, como explicar o mal? Ele nos criou com inteligência e vontade livre. O mal vem do mau uso da liberdade. E, diante do mal, seguimos o mesmo raciocínio dos servos: extirpar o joio. Não é este o jeito de Deus. Ele tem misericórdias infinitas e aposta na mudança. Em botânica, o que nasce joio permanecerá sempre joio. No Reino da graça, o joio pode mudar para trigo. Além do mais, nossos julgamentos são sempre limitados e corremos o risco de confundir o trigo com o joio, e vice-versa. Chegará o dia da colheita, quando a verdadeira identidade de cada um será conhecida.” (Viver a Palavra – 2020. Frei Aldo Colombo – Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)
O que o texto diz para mim hoje? Qual apelo o Senhor me faz por meio desta parábola? De que forma acolho a Palavra em minha vida? Quais limites me impedem de acolher e viver os ensinamentos de Jesus?
“A comunidade evangelizadora mantém-se atenta aos frutos, porque o Senhor a quer fecunda. Cuida do trigo e não perde a paz por causa do joio. O semeador, quando vê surgir o joio no meio do trigo, não tem reações lastimosas ou alarmistas. Encontra o modo para fazer com que a Palavra se encarne numa situação concreta e dê frutos de vida nova, apesar de serem aparentemente imperfeitos ou defeituosos. O discípulo sabe oferecer a vida inteira e jogá-la até ao martírio como testemunho de Jesus Cristo, mas o seu sonho não é estar cheio de inimigos, mas antes que a Palavra seja acolhida e manifeste a sua força libertadora e renovadora” (Evangelii Gaudium, 24)

Oração (Vida)
Agradeça tudo que a Palavra lhe permitiu compreender e vivenciar do mistério de Cristo. Apresente ainda ao Senhor a oração que brotou em seu coração durante a leitura orante.
Conclua com a oração ao Espírito Santo, do papa Paulo VI: “Ó Espírito Santo, dai-me um coração grande, aberto à vossa silenciosa e forte palavra inspiradora; fechado a todas as ambições mesquinhas, alheio a qualquer desprezível competição humana, compenetrado do sentido da Santa Igreja! Um coração grande, desejoso de se tornar semelhante ao Coração do Senhor Jesus. Um coração grande e forte, para amar a todos, para servir a todos, para sofrer por todos. Um coração grande e forte, para superar todas as provações, todo tédio, todo cansaço, toda ofensa, toda desilusão. Um coração grande e forte e constante até o sacrifício, quando for necessário. Um coração cuja felicidade é palpitar com o coração de Cristo e cumprir humilde e fielmente a vontade do Pai. Amém.”

Contemplação (Vida e Missão)
Como você pretende viver concretamente, durante o dia, os apelos que o Senhor lhe fez?

Bênção
Benção da saúde

– O Senhor Deus nosso Pai esteja sempre conosco.

– Ele está no meio nós.

Oremos: “Senhor nosso Deus, Que enviastes Vosso Filho ao mundo Para curar as nossas enfermidades, Levar sobre Si as nossas dores, Redimir nossos pecados e Nos dar a Vida Eterna que vem de Vós, Tendes Piedade de nós!

Deus Misericordioso, Que cuida de todas as Vossas Criaturas, Atendei as nossas suplicas, e Segundo a Vossa Vontade, Protegei o Vosso Povo, Oprimido por essa doença terrível. Guardai e mantenhais a saúde daqueles Que não contraíram essa doença e Dai Senhor, aos que a contraíram, Paciência fortalecida, fé renovada e A cura desse mal, Para que todos nós desfrutemos De plena e duradoura saúde! Por Jesus Cristo nosso Senhor.” Amém.

Todo o Louvor, toda a Honra, toda a Gratidão, Toda a Fé, toda a Confiança, Toda a Adoração e toda a Glória Sejam dadas aos Senhor nosso Deus, Agora e para sempre! Em Nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo! Amém.

Confira a Homilia dominical.Clique aqui

[apss_share]