Liturgia diária, A colheita é grande, mas os trabalhadores são poucos Mt 9,36–10,8

11º Domingo do Tempo Comum – Ano Litúrgico A

14 de junho de 2020

ORAÇÃO DO DIA

Pai, toma-me como teu servidor e transforma-me em colaborador de tua obra em favor de humanidade sedenta de salvação.

PRIMEIRA LEITURA: Ex 19,2-6

Leitura do livro do Êxodo – Naqueles dias, os israelitas, 2partindo de Rafidim, chegaram ao deserto do Sinai, onde acamparam. Israel armou aí suas tendas, defronte da montanha. 3Moisés, então, subiu ao encontro de Deus. O Senhor chamou-o do alto da montanha e disse: “Assim deverás falar à casa de Jacó e anunciar aos filhos de Israel: 4Vistes o que fiz aos egípcios e como vos levei sobre asas de águia e vos trouxe a mim. 5Portanto, se ouvirdes a minha voz e guardardes a minha aliança, sereis para mim a porção escolhida dentre todos os povos, porque minha é toda a terra. 6E vós sereis para mim um reino de sacerdotes e uma nação santa”.

– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

SALMO 99

Nós somos o povo e o rebanho do Senhor.

— Aclamai o Senhor, ó terra inteira, † servi ao Senhor com alegria, / ide a ele, cantando jubilosos! – R.
— Sabei que o Senhor, só ele, é Deus, † ele mesmo nos fez, e somos seus, / nós somos seu povo e seu rebanho. – R.
— Sim, é bom o Senhor e nosso Deus, † sua bondade perdura para sempre, / seu amor é fiel eternamente! – R.

SEGUNDA LEITURA: 5,6-11

Leitura da carta de são Paulo aos Romanos – Irmãos, 6quando éramos ainda fracos, Cristo morreu pelos ímpios, no tempo marcado. 7Dificilmente alguém morrerá por um justo; por uma pessoa muito boa, talvez alguém se anime a morrer. 8Pois bem, a prova de que Deus nos ama é que Cristo morreu por nós quando éramos ainda pecadores. 9Muito mais agora, que já estamos justificados pelo sangue de Cristo, seremos salvos da ira por ele. 10Quando éramos inimigos de Deus, fomos reconciliados com ele pela morte do seu Filho; quanto mais agora, estando já reconciliados, seremos salvos por sua vida! 11Ainda mais, nós nos gloriamos em Deus por nosso Senhor Jesus Cristo. É por ele que, já desde o tempo presente, recebemos a reconciliação

– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

EVANGELHO:  Mt 9,36-10,8

          – O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Mateus.
          – Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 36vendo Jesus as multidões, compadeceu-se delas, porque estavam cansadas e abatidas como ovelhas que não têm pastor. Então disse a seus discípulos: 37“A messe é grande, mas os trabalhadores são poucos. 38Pedi, pois, ao dono da messe que envie trabalhadores para a sua colheita!”

10,1Jesus chamou os doze discípulos e deu-lhes poder para expulsarem os espíritos maus e para curarem todo tipo de doença e enfermidade. 2Estes são os nomes dos doze apóstolos: primeiro, Simão, chamado Pedro, e André, seu irmão; Tiago, filho de Zebedeu, e seu irmão João; 3Filipe e Bartolomeu; Tomé e Mateus, o cobrador de impostos; Tiago, filho de Alfeu, e Tadeu; 4Simão, o zelota, e Judas Iscariotes, que foi o traidor de Jesus. 5Jesus enviou esses doze com as seguintes recomendações: “Não deveis ir aonde moram os pagãos nem entrar nas cidades dos samaritanos! 6Ide, antes, às ovelhas perdidas da casa de Israel! 7Em vosso caminho, anunciai: ‘O reino dos céus está próximo’. 8Curai os doentes, ressuscitai os mortos, purificai os leprosos, expulsai os demônios. De graça recebestes, de graça deveis dar!”

  • Palavra da Salvação
    – Glória a vós Senhor.

[apss_share]

Comentário do Evangelho

A colheita é grande, mas os trabalhadores são poucos. A semente lançada na terra não morreu. Desenvolveu-se, cresceu, produziu frutos. Chegou a hora da colheita. Quem vai fazer a colheita? Deus fez a sua parte, é hora de fazermos a nossa, e aparece pouca gente. São poucos os trabalhadores dispostos a entrar na plantação e ajudar na safra. Jesus nos orienta a recorrer ao Senhor da plantação. Que ele mande muitos ceifeiros bem-dispostos. Deus não deve fazer tudo sozinho: a semeadura, o cuidado com a planta e ainda providenciar operários para a colheita.
Jesus chamou os Doze. Chamou-os de apóstolos e os enviou em missão. Na lista dos Doze se diz que Judas Iscariotes foi traidor. Eram só doze, e um não deu certo. Foram enviados primeiramente às ovelhas perdidas da casa de Israel. Depois da Ascensão de Jesus, partiriam pelo mundo afora Deviam provar a sua fé e enfrentar as dificuldades da missão. Partiram com a missão de tornar discípulos de Jesus todas as nações, o que significa tornar as pessoas seguidoras de Jesus dentro de um sistema de vida segundo o projeto de Deus para este mundo.
O alcance da missão é limitado, porque limitados somos todos nós. Eram apenas doze enviados a toda a humanidade. Eram sempre um pequeno rebanho. Um pequeno rebanho, mas significativo. Conversando com Moisés no alto da montanha, Deus lhe disse que Israel seria para Deus a porção escolhida entre todos os povos. Tudo é de Deus, a terra toda é de Deus. No entanto, no meio das nações, como fermento na massa, ele colocou um reino de sacerdotes, uma nação santa. Essa foi a vocação de Israel, que devia se realizar plenamente no Messias Salvador e se realizou na pessoa de Jesus de Nazaré. A partir de então começaram a fazer parte desse povo sacerdotal e dessa nação santa todos os que aceitaram Jesus e seu Evangelho. Tornaram-se filhos de Abraão, já não mais pelo sangue, mas pela fé. Em todos os povos brotam plantas e surgem frutos prontos para a colheita. São o povo sacerdotal, chamado a ser mediador entre Deus, a criação e todos os seres humanos.
Quando ainda éramos pecadores, Cristo morreu por nós para que todos fôssemos capazes de dar a vida pela causa do Evangelho, que é alegre salvação de toda a humanidade. Todos somos ceifadores, todos somos trabalhadores da colheita, sem exceção, cada um a seu modo. Eu, você, todos. Não somente o padre ou os ministros ordenados. Mantendo-se firme na fé que recebemos, tome iniciativa, multiplique o número dos trabalhadores para que não sejam poucos! Não deixe o povo sem pastor, não deixe o povo sem um bom governo! A preocupação de Jesus com a necessidade de trabalhadores começou quando viu o povo abandonado, desgovernado com as marcas do abandono, como ovelha sem pastor. Jesus teve pena daquelas pessoas.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2020’, Paulinas

LEITURA ORANTE

Oração Inicial
Mais uma vez a Palavra de Jesus nos ilumina na caminhada cristã. O Mestre enche-se de compaixão pelas multidões. As multidões de ontem e as de hoje: qual a diferença? Talvez o olhar. Jesus as viu e ‘encheu-se de compaixão por elas’. Compaixão é a capacidade de se colocar no lugar do outro. O sentimento de Jesus aflora quando ele vê as multidões ‘cansadas e abatidas, como ovelhas que não têm pastor’.
Entreguemos ao Senhor a nossa vida e as nossas preocupações e confiemos que Ele nos dará o consolo e o conforto conforme a sua vontade.

Peçamos: “Vem, Espírito Santo! Faze-nos amar as Escrituras, para reconhecermos a voz viva de Jesus. Torna-nos humildes e simples, a fim de compreendermos os mistérios do Reino de Deus. Amém.”

Leitura (Verdade)
Leia o texto e repita as palavras e as frases que mais chamaram sua atenção durante a leitura. Você recorda outras citações bíblicas que tratam dos mesmos elementos presentes neste texto?

“Sentir compaixão não é apenas um sentimento racional, mas mexe com todo o ser. A imagem do pastor com suas ovelhas é frequente no Antigo Testamento para indicar a relação entre Deus e seu povo, Israel. A comparação das ovelhas sem pastor afeta profundamente e declara incapazes em sua função os líderes atuais. Jesus está iniciando uma revolução completa e forma um grupo especial para fazer o que ele mesmo estava fazendo: expulsar os demônios e curar as doenças O evangelista relata o nome dos “primeiros” apóstolos. Ao longo dos séculos continua chamando. De modo geral, existem três alternativas: ignorar o chamado, assumir a missão com entusiasmo e – a exemplo de Judas – criar um projeto alternativo.”(Viver a Palavra – 2020. Frei Aldo Colombo – Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)
O que o texto diz para mim? Qual palavra mais chamou minha atenção durante a leitura? De que modo o texto fortalece a minha caminhada de fé? Quais questionamentos a Palavra me faz hoje? Quais respostas a Palavra me apresenta? As palavras e os gestos de Jesus tocam minha vida e inspiram minhas ações?

Oração (Vida)
Apresente o desejo que brotou em seu coração e faça sua prece de agradecimento ou pedido. Conclua sua oração pedindo que o Senhor envie bons operários para a sua messe, rezando a oração vocacional.

“Senhor Jesus Cristo, nós vos agradecemos pelas vocações que chamastes para servir o vosso povo. São poucos os profetas decididos a lutar pela justiça e pelo amor. Multiplicai as vocações leigas que vivem o Evangelho nas relações familiares e sociais. Que os leigos humanizem as profissões e criem leis justas para orientar a política e a economia, atuando como agentes de transformação na sociedade. Chamai, Senhor, muitos jovens a seguir-vos na vida consagrada. Que as comunidades religiosas sejam fraternas, orantes e se coloquem a serviço dos necessitados. Que estejam presentes na catequese, na educação, nos meios de comunicação e na luta pelos direitos humanos. Aumentai também o número daqueles que servem no ministério sacerdotal. Que os bispos e os sacerdotes sejam os continuadores de vossos gestos. Que sejam animadores da Igreja, das comunidades cristãs e estejam sempre a serviço de vossa Palavra. Enviai, Senhor, jovens dispostos a servir, capazes de assumir os compromissos de sua fé e de trabalhar pelo crescimento de vosso Reino. Amém.” (Trecho do livro “Diálogo com Deus”, da Paulinas Editora).

Contemplação (Vida e Missão)
Faça deste canto sua decisão de vida:

Bênção
“E não nos cansemos de fazer bem, porque a seu tempo ceifaremos (…) A graça de nosso Senhor Jesus Cristo seja, irmãos, com o vosso espírito” Amém (Gálatas 6,9; 18).

Ir. Carmen Maria Pulga

Confira a Homilia dominical.Clique aqui

[apss_share]