Oração diária, Os dois homens em oração - Lc 18,9-14

AJUDE A MANTER O SITE NO AR !

Nosso site tem uma divida mensal e a cada dia está mais difícil manter o site no ar. Doe qualquer valor e você ira muito ajudar na manutenção e permanência do site no ar ! O seu gesto de amor ajudara muitos catequistas que visitam nosso site

FAÇA UMA DOAÇÃO DE QUALQUER VALOR

PIX CHAVE CPF: 16800472808
RESPONSAVEL: Anderson Roberto Fuzatto

ou

PIX CHAVE EMAIL: [email protected]
RESPONSAVEL: Anderson Roberto Fuzatto

Deus te abençoe !

Na liturgia diária de hoje lemos o Evangelho: Lc 18,9-14

Na oração, devemos deixar a Deus toda a iniciativa, permitir que Ele nos conduza por seus caminhos, por isso é importante colocar-se em situação de escuta humilde.

Façamos a oração do dia: Pai, faze-me consciente de minha condição de pecador, livrando-me da soberba que me dá a falsa ilusão de ser superior a meu próximo e mais digno de me dirigir a ti.

3ª Semana da Quaresma – Ano Litúrgico B

Liturgia do dia 13 de março de 2021

PRIMEIRA LEITURA: Os 6,1-6 

Leitura da Profecia de Oséias.

1“Vinde, voltemos para o Senhor, ele nos feriu e há de tratar-nos, ele nos machucou e há de curar-nos. 2Em dois dias, nos dará vida, e, ao terceiro dia, há de restaurar-nos, e viveremos em sua presença. 3É preciso saber segui-lo para reconhecer o Senhor. Certa como a aurora é a sua vinda, ele virá até nós como as primeiras chuvas, como as chuvas tardias que regam o solo”. 4Como vou tratar-te, Efraim? Como vou tratar-te, Judá? O vosso amor é como nuvem pela manhã, como orvalho que cedo se desfaz. 5Eu os desbastei por meio dos profetas, arrasei-os com as palavras de minha boca, mas, como luz, expandem-se meus juízos; 6quero amor,

e não sacrifícios, conhecimento de Deus, mais do que holocaustos.

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

SALMO  51(50)

— Eu quis misericórdia e não o sacrifício!

— Eu quis misericórdia e não o sacrifício!

— Tende piedade, ó meu Deus, misericórdia! Na imensidão de vosso amor, purificai-me! Lavai-me todo inteiro do pecado, e apagai completamente a minha culpa!

— Pois não são de vosso agrado os sacrifícios, e, se oferto um holocausto, o rejeitais. Meu sacrifício é minha alma penitente, não desprezeis um coração arrependido!

— Sede benigno com Sião, por vossa graça, reconstruí Jerusalém e os seus muros! E aceitareis o verdadeiro sacrifício, os holocaustos e oblações em vosso altar!

EVANGELHO: Lc 18,9-14 

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 9Jesus contou esta parábola para alguns que confiavam na sua própria justiça e desprezavam os outros: 10“Dois homens subiram ao Templo para rezar: um era fariseu, o outro cobrador de impostos. 11O fariseu, de pé, rezava assim em seu íntimo: ‘Ó Deus, eu te agradeço porque não sou como os outros homens,

ladrões, desonestos, adúlteros, nem como este cobrador de impostos. 12Eu jejuo duas vezes por semana, e dou o dízimo de toda a minha renda’.

13O cobrador de impostos, porém, ficou à distância, e nem se atrevia a levantar os olhos para o céu; mas batia no peito, dizendo: ‘Meu Deus, tem piedade de mim que sou pecador!’

14Eu vos digo: este último voltou para casa justificado, o outro não. Pois quem se eleva será humilhado, e quem se humilha será elevado”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

COMENTÁRIO DO EVANGELHO

De pé, no templo, um fariseu rezava e dizia a Deus o que era verdade. Ele não era ladrão, nem desonesto, nem adúltero. Jejuava até duas vezes por semana e pagava o dízimo com exatidão. Ele agradecia a Deus, mas não agradecia por todas essas coisas boas, por suas virtudes e observâncias. Ele agradecia a Deus por não ser como os outros. Atrás dele, num lugar mais distante, um publicano, cobrador de impostos, também

estava rezando.

O fariseu o incluiu em sua oração, não rezando por ele, mas comparando-se com ele. “Eu não sou como este publicano”. O publicano rezava quieto, de olhos baixos, reconhecendo-se pecador e pedindo a compaixão de Deus. “Quem se gloria, glorie-se no Senhor”, disse Paulo aos coríntios, e recomendou aos gálatas que cada um examinasse sua própria obra para poder se gloriar. Era o que fazia o fariseu. Mas Paulo acrescentou: “Não se comparando ao outro”. Já se disse que toda comparação claudica, manca, é imperfeita. Toda comparação é odiosa, sobretudo quando faz do outro um concorrente ameaçador.

LEITURA ORANTE

Oração Inicial

Preparo-me para a meditação orante. Tranquilizo meus pensamentos como se estivesse para entrar num recinto sagrado. Aproximo-me com confiança do meu próprio templo interior. Digo: “Meu Deus, tem piedade de mim porque sou pecador(a)”. Repito com mais consciência: “Meu Deus, tem piedade de mim porque sou pecador(a)”.

Leitura (Verdade)

Escuto agora o Evangelho da liturgia de hoje.

“Mais que duas pessoas, a parábola do fariseu e do publicano identifica dois grupos, duas posturas religiosas. O fariseu, conhecido por distanciar-se dos outros, considerava-se justo pela observância legal. Ele utilizava o templo para sustentar sua posição social. Já o publicano, cobrador de impostos, era visto como pecador público, a serviço dos romanos. O fariseu ora de pé, no meio do templo; o publicano, no fundo do templo, não se atrevia a levantar os olhos. O fariseu proclamava suas supostas virtudes, enquanto o publicano confessava seus pecados e a necessidade de reconciliação. Jesus não tinha receio de misturar-se com os pecadores nem de fazer refeições na casa deles. Ele é o profeta da misericórdia do Pai.”

Meditação (Caminho)

A Palavra nos ensina como devemos ser em nossas atitudes. Quando me coloco na presença de Deus para orar, qual é minha postura?
Cobro de Deus, como o fariseu da parábola, a recompensa por minhas boas ações? Confio na misericórdia de Deus e me coloco sempre com humildade na sua presença? Diante da parábola, com qual dos personagens eu me identifico?

Oração (Vida)

Senhor, livra-me da vaidade e dos julgamentos!

Misericórdia, ó Senhor, pois pecamos!
Misericórdia, ó Senhor, pois pecamos!

Tende piedade ó meu Deus, misericórdia
Na imensidão do Vosso amor purificai-me
Lavai-me todo inteiro do pecado
E apagai completamente a minha culpa

Eu reconheço toda a minha iniquidade
O meu pecado está sempre a minha frente
Foi contra Vós, só contra Vós que eu pequei
E pratiquei o que é mal aos Vossos olhos

Criai em mim um coração que seja puro
Dai-me de novo um Espírito decidido
Ó Senhor não afastai de mim a Vossa face
Nem retirais de mim o Vosso santo Espírito

Dai-me de novo a alegria de ser salvo
E confirmai-me com espírito generoso
Abre meus lábios ó Senhor para cantar
E minha boca anunciará Vosso louvor

Senhor, livra-me da vaidade e dos julgamentos!

Contemplação (Vida e Missão)

Como desejo por em prática estes ensinamentos de Jesus? Qual meu propósito após essa meditação orante?

Bênção

Benção especial da Quaresma
– Deus Pai de misericórdia, conceda a todos, como concedeu ao filho pródigo, a alegria do retorno a casa. Amém.
– O Senhor Jesus Cristo, modelo de oração e de vida, nos guie nesta jornada quaresmal a uma verdadeira conversão. Amém.
– O Espírito de sabedoria e fortaleza nos sustente na luta contra o mal, para podermos com Cristo celebrar a vitória da Páscoa. Amém.
– Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

Confira a Homilia dominical.Clique aqui