Oração diária Maria escolheu a melhor parte

16º Domingo Comum – Ano Litúrgico C

17 de julho de 2016

ORAÇÃO DO DIA

Pai, que o meu agir não seja movido por um ativismo insensível à palavra de Jesus. Antes, seja toda a minha ação decorrência da escuta atenta desta palavra.

PRIMEIRA LEITURA: Gn 18,1-10a

Livro do Gênesis – Naqueles dias, 1o Senhor apareceu a Abraão junto ao carvalho de Mambré, quando ele estava sentado à entrada de sua tenda, no maior calor do dia.
2Levantando os olhos, Abraão viu três homens de pé, perto dele. Assim que os viu, correu ao seu encontro e prostrou-se por terra. 3E disse: “Meu Senhor, se ganhei tua amizade, peço-te que não prossigas viagem, sem parar junto a mim, teu servo. 4Mandarei trazer um pouco de água para vos lavar os pés, e descansareis debaixo da árvore. 5Farei servir um pouco de pão para refazerdes vossas forças, antes de continuar a viagem. Pois foi para isso mesmo que vos aproximastes do vosso servo”.
Eles responderam: “Faze como disseste”.
6Abraão entrou logo na tenda, onde estava Sara, e lhe disse: “Toma depressa três medidas da mais fina farinha, amassa alguns pães e assa-os”.
7Depois, Abraão correu até o rebanho, pegou um bezerro dos mais tenros e melhores, e deu-o a um criado, para que o preparasse sem demora.
8A seguir, foi buscar coalhada, leite e o bezerro assado, e pôs tudo diante deles. Abraão, porém, permaneceu de pé, junto deles, debaixo da árvore, enquanto comiam.
9E eles lhe perguntaram: “Onde está Sara, tua mulher?”
“Está na tenda”, respondeu ele.
10aE um deles disse: “Voltarei, sem falta, no ano que vem, por este tempo, e Sara, tua mulher, já terá um filho”. – Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

SALMO 14

          — Senhor, quem morará em vossa casa?
— Senhor, quem morará em vossa casa?

— É aquele que caminha sem pecado/ e pratica a justiça fielmente;/ que pensa a verdade no seu íntimo/ e não solta em calúnias sua língua.

— Que em nada prejudica seu irmão,/ nem cobre de insultos seu vizinho;/ que não dá valor algum ao homem ímpio,/ mas honra os que respeitam ao Senhor.

— Não empresta o seu dinheiro com usura,/ nem se deixa subornar contra o inocente./ Jamais vacilará quem vive assim!

SEGUNDA LEITURA: Cl 1,24-28

Carta de São Paulo apóstolo aos Colossenses – Irmãos: 24Alegro-me de tudo o que já sofri por vós e procuro completar em minha própria carne o que falta das tribulações de Cristo, em solidariedade com o seu corpo, isto é, a Igreja.
25A ela eu sirvo, exercendo o cargo que Deus me confiou de vos transmitir a palavra de Deus em sua plenitude: 26o mistério escondido por séculos e gerações, mas agora revelado aos seus santos.
27A estes Deus quis manifestar como é rico e glorioso entre as nações este mistério: a presença de Cristo em vós, a esperança da glória.
28Nós o anunciamos, admoestando a todos e ensinando a todos, com toda a sabedoria, para a todos tornar perfeitos em sua união com Cristo. – Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

EVANGELHO: Lc 10,38-42

         – O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Lucas.
          – Glória a vós, Senhor.

          Naquele tempo, 38Jesus entrou num povoado, e certa mulher, de nome Marta, recebeu-o em sua casa. 39Sua irmã, chamada Maria, sentou-se aos pés do Senhor, e escutava sua palavra.
40Marta, porém, estava ocupada com muitos afazeres. Ela aproximou-se e disse: “Senhor, não te importas que minha irmã me deixe sozinha, com todo o serviço? Manda que ela me venha ajudar!”
41 O Senhor, porém, lhe respondeu: “Marta, Marta! Tu te preocupas e andas agitada por muitas coisas. 42Porém, uma só coisa é necessária. Maria escolheu a melhor parte e esta não lhe será tirada”.

– Palavra da Salvação
– Glória a vós Senhor.

[apss_share]

Comentário do Evangelho

Maria senta-se aos pés de Jesus e escuta a sua palavra, enquanto Marta, sua irmã, está ocupada com muitos afazeres. Ambas praticam a hospitalidade. Acolhem Jesus, e o acolhem bem. Uma lhe faz companhia e a outra prepara a refeição. Há aqui um convite à hospitalidade, apesar da reação de Marta contra sua irmã que não a ajuda nos afazeres da casa. A refeição poderia ficar em segundo lugar. O que não pode deixar de acontecer é a escuta da palavra de Jesus. O discípulo escuta, porque tem que aprender do Mestre.
No entanto, tirando a cena de ciúmes de Marta ou de reação comum quando há trabalho a ser feito, a hospitalidade é perfeita: uma faz companhia e outra prepara a refeição. Abraão e Sara também praticam a hospitalidade. Acolhem três viajantes com muita atenção e generosidade. A recompensa da acolhida foi a gravidez de Sara que até então não tinha filhos. O nascimento de Isaac, o filho da promessa, é confirmado. Abraão não conhecia os viajantes e os acolheu muito bem. Sem saber, acolheu o próprio Deus. Abraão vê três homens e fala com eles no singular como se fossem um só. Volta depois a falar no plural com os três que perguntam onde está Sara. Abraão responde e volta o singular: um dos hóspedes promete o nascimento de um filho. Sara ri e o Senhor Deus pergunta por que ela riu. Os homens partem e Deus permanece com Abraão. O texto parece falar de três anjos com aparência humana ou de um só Deus em três Pessoas, ou Deus acompanhado por dois Anjos. O fato é que Abraão, no exercício da hospitalidade, acolheu a Deus.
A casa de Marta e Maria acolhendo Jesus é o modelo das nossas instituições. “Quem vos acolhe, a mim acolhe”, e “o que fizerdes ao menor de meus irmãos, a mim o fareis”, disse Jesus. O anonimato de nossas “celebrações” pode ser amenizado pela acolhida. O importante, porém, é a acolhida que escuta e que serve com boa vontade. Esse tipo de acolhida não acontece somente na igreja, mas em qualquer lugar. Jesus se comporta como alguém desprotegido que depende da boa acolhida dos outros. Marta e Maria o acolhem. O ambiente da casa é tranquilo, normal e humano, com seus problemas de relacionamento. Jesus procura ajudar mostrando onde estão os valores e afirma que Maria escolheu a melhor parte. A melhor parte consiste em estar com Cristo e ouvir a sua palavra. As ocupações materiais podem vir depois. As duas foram acolhedoras, assim como Abraão. Os desentendimentos fazem parte das tribulações. Na minha carne faltam tribulações que me equiparem a Cristo. Paulo fala da instrução que torna cada um perfeito em Cristo. As dificuldades existem, como entre Marta e Maria, e a virtude também.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2016’, Paulinas

LEITURA ORANTE

Oração Inicial
Celebramos o 16º domingo do Tempo Comum, e o Evangelho nos fala da acolhida que Jesus recebe na casa de Marta e Maria. As duas mulheres recebem o Senhor de formas distintas: uma preocupa-se em lhe dar a melhor acolhida, encaminhando os afazeres da casa; a outra dá prioridade a ouvir a sua palavra. Que nós possamos, ao longo do dia, receber o Senhor e acolher os seus ensinamentos no mais profundo do nosso ser.

Leitura (Verdade)
O que diz o texto? Quem são os personagens da narrativa? Como é a acolhida que Marta e Maria oferecem a Jesus? Por que Jesus chama a atenção de Marta? Qual é o convite que o Senhor nos faz ao afirmar: “Uma só coisa é necessária. Maria escolheu a melhor parte e esta não lhe será tirada”?
“Não há no evangelho de hoje oposição entre ação e contemplação. Neste caso, Jesus daria prioridade à contemplação sobre a ação. Aqui, a questão é bem outra: trata-se de receber Jesus, e de recebê-lo de verdade na casa e no mais profundo de si mesmo. Foi Marta quem o recebeu. Daí ser não só precipitado, mas também má leitura do texto, desqualificar Marta. Jesus aceita o convite de Marta. A fé em Jesus é hospitalidade – trata-se de recebê-lo em si, em sua intimidade pessoal e familiar. E recebê-lo bem! Receber bem é deixar o outro falar e se dispor a ouvi-lo. Frequentemente, há muito barulho a nossa volta, muito barulho em nós. Escutar alguém exige atenção. Escutar distraidamente, continuando a fazer as tarefas, é um modo de dizer àquele que fala que o que ele diz não tem nada de decisivo. Nosso relato tem valor simbólico e responde a uma questão fundamental para o cristão: o que é ser, realmente, discípulo de Jesus? A lição deste episódio é que não opõe duas opções, afirmando uma prioridade: escutar, receber uma palavra que se instala em nós como um hóspede se instala em nossa casa. Nosso texto é um apelo a dar prioridade à escuta da palavra do Senhor” (Reflexão de Pe. Carlos Alberto Contieri, sj, em “A Bíblia dia a dia”, Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)
“Também na nossa vida cristã, a oração e a ação permaneçam sempre profundamente unidas. Uma oração que não leva à ação concreta a favor do irmão pobre, doente e necessitado de ajuda, o irmão em dificuldade, é uma prece estéril e incompleta. Mas, do mesmo modo, quando no serviço eclesial só prestamos atenção à ação, quando damos mais importância às coisas, às funções e às estruturas, esquecendo-nos da centralidade de Cristo, sem reservar tempo ao diálogo com Ele na oração, corremos o risco de nos servirmos a nós mesmos, e não a Deus presente no irmão necessitado. […] É da contemplação, de uma forte relação de amizade com o Senhor que nasce em nós a capacidade de viver e de anunciar o amor de Deus, a sua misericórdia, a sua ternura pelo próximo. E inclusive o nosso trabalho com o irmão em necessidade e a nossa tarefa de caridade nas obras de misericórdia nos levam ao Senhor, para que nós vejamos precisamente o Senhor no irmão e na irmã necessitados” (Papa Francisco, em http://w2.vatican.va).

Oração (Vida)
“Senhor Jesus, Tu és o Caminho. Em meio a sombras e luzes, alegrias e esperanças, tristezas e angústias, Tu nos levas ao Pai. Não nos deixes caminhar sozinhos. Fica conosco, Senhor! Tu és a Verdade. Desperta nossas mentes e faze arder nossos corações sedentos de justiça e santidade. Ajuda-nos a sentir a beleza de crer em ti. Fica conosco, Senhor! Tu és a Vida. Abre nossos olhos para te reconhecermos no ‘partir o Pão’, sublime sacramento da Eucaristia. Alimenta-nos com o Pão da Unidade. Sustenta-nos em nossos sofrimentos, faze-nos solidários com os pobres, os oprimidos e excluídos. Fica conosco, Senhor! Jesus Cristo, Caminho, Verdade e Vida, no vigor do Espírito Santo, faze-nos teus discípulos missionários. Com a humilde serva do Senhor, nossa Mãe Aparecida, queremos ser alegres no caminho para a Terra Prometida. Corajosas testemunhas da Verdade libertadora. Promotores da vida em plenitude. Fica conosco, Senhor! Amém” (Oração composta pela Arquidiocese de Brasília).

Contemplação (Vida e Missão)
Com a Palavra de Deus na mente e no coração, qual atitude você se propõe a viver hoje?

Bênção
– Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
– Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
– Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
– Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

[apss_share]