ORação diária, Em seu nome as nações depositarão sua esperança - Mt 12,14-21

15ª Semana do Tempo Comum – Ano Litúrgico A

18 de julho de 2020

ORAÇÃO DO DIA

Pai, meu único desejo é estar em comunhão contigo, para que, como Jesus, eu saiba discernir, em cada circunstância, a melhor maneira de agir.

PRIMEIRA LEITURA: Mq 2,1-5

Leitura da Profecia de Miquéias – 1“Ai dos que tramam a iniquidade e se ocupam de maldades ainda em seus leitos! Ao amanhecer do dia, executam tudo o que está em poder de suas mãos. 2Cobiçam campos, e tomam-nos com violência, cobiçam casas, e roubam-nas. Oprimem o dono e sua casa, o proprietário e seus bens. 3Isto diz o Senhor: “Eis que tenciono enviar sobre esta geração perversa uma desgraça de onde não livrareis vossos pescoços; não podereis andar de cabeça erguida, porque serão tempos desastrosos.
4Naquele dia, sereis assunto de uma alegoria, de uma canção triste que diz: ‘Fomos inteiramente devastados; a parte de meu povo que passou a outro por ninguém lhe será restituída; os nossos campos são repartidos entre infiéis’. 5Por isso, não terás na assembleia do Senhor quem meça com cordel as porções consignadas por sorte”

– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

SALMO 9b

          — O Senhor não se esquece do clamor dos aflitos.
— O Senhor não se esquece do clamor dos aflitos.

— Ó Senhor, por que ficais assim tão longe, e, no tempo da aflição, vos escondeis, enquanto o pecador se ensoberbece, o pobre sofre e cai no laço do malvado?

— O ímpio se gloria em seus excessos, blasfema o avarento e vos despreza; em seu orgulho ele diz: “Não há castigo! Deus não existe!” É isto mesmo que ele pensa.

— Só há maldade e violência em sua boca, em sua língua, só mentira e falsidade. Arma emboscadas nas saídas das aldeias, mata inocentes em lugares escondidos.

— Vós, porém, vedes a dor e o sofrimento, vós olhais e tomais tudo em vossas mãos! A vós o pobre se abandona confiante, sois dos órfãos vigilante protetor

EVANGELHO: Mt 12,14-21

          – O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Mateus.
          – Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 14os fariseus saíram e fizeram um plano para matar Jesus. 15Ao saber disso, Jesus retirou-se dali. Grandes multidões o seguiram, e ele curou a todos. 16E ordenou-lhes que não dissessem quem ele era, 17para se cumprir o que foi dito pelo profeta Isaías:
18“Eis o meu servo, que escolhi; o meu amado, no qual ponho a minha afeição; porei sobre ele o meu Espírito, e ele anunciará às nações o direito. 19Ele não discutirá, nem gritará, e ninguém ouvirá a sua voz nas praças. 20Não quebrará o caniço rachado, nem apagará o pavio que ainda fumega, até que faça triunfar o direito. 21Em seu nome as nações depositarão a sua esperança”

  • Palavra da Salvação
    – Glória a vós Senhor.

[apss_share]

Comentário do Evangelho

Os fariseus, irritados, decidiram matar Jesus por ele ter curado a mão atrofiada de um homem num dia de sábado. São Mateus, então, se lembra dos poemas do profeta Isaías sobre o Servo Sofredor, o Servo do Senhor que é alguém, que é o povo no exílio, que é o próprio profeta, mas que é sobretudo Jesus, “o Servo escolhido, o bem-amado, no qual o Pai se alegra”. Isaías não fala aqui dos sofrimentos do Servo, mas de seu modo de ser e da missão que ele recebe do Espírito para anunciar o Direito às nações. Seu modo de ser é manso. Ele não discute nem grita. Ele não desistirá de nada e de ninguém enquanto não estabelecer o Direito. Não quebrará o caniço rachado, não apagará a mecha fumegante; não tirará do ser humano imperfeito a possibilidade da recuperação, não o jogará fora por estar rachado, não o extinguirá de vez por estar se apagando; continuará esperando que as coisas mudem. Trará a paz, que é fruto da justiça. Por isso as nações depositarão esperança em seu nome. “Mas ai daqueles que planejam o mal e o praticam porque têm poder”, diz o profeta Miqueias na primeira leitura de hoje.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2020’, Paulinas

LEITURA ORANTE

Oração Inicial

Olhemos para o jeito de Jesus e compreendamos sua predileção pelos pobres , doentes e todos os que estão à margem da vida. Ele espera que nossas atitudes se assemelhem às dele. Oremos: Jesus manso e humilde de coração fazei meu coração semelhante ao vosso.

Leitura (Verdade)
Deus nos surpreende sempre. Ao meditar este Evangelho de hoje quais são as surpresas da Deus para você?

“O livro do Gênesis diz que Deus nos criou à sua imagem e semelhança. Há traços de Deus em nós. Muitas vezes, por miopia, tentamos criar um deus à nossa imagem e semelhança. Atribuímos a ele os nossos defeitos. Gostamos de falar de Deus como sendo o grande juiz e temos medo dos castigos divinos. O Antigo Testamento, em parte, fortalece essa ideia. Jesus vem revelar o rosto misericordioso de Deus, dizendo que ele é Amor, que ele é Pai. Os fariseus estão planejando eliminá-lo. Ele responde curando a todos e busca em Isaías duas comparações para entender seu jeito de agir. Ele não quebrará a caniço rachado nem apagará o pavio que ainda fumega. Esta é a atitude dele: não condena, mas acolhe e perdoa porque ama.” (Viver a Palavra – 2020. Frei Aldo Colombo – Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)
O que o texto diz para mim? Qual palavra mais chamou minha atenção durante a leitura? De que modo o Evangelho fortalece a minha caminhada de fé? Quais questionamentos a Palavra me faz hoje? Quais respostas ela me apresenta?

Oração (Vida)
O que o texto o(a) leva a dizer a Deus? Este é o momento em que você é convidado(a), por meio da leitura orante, a dirigir a sua oração ao Senhor. Aproxime-se dele sem medo, faça a sua oração e conte-lhe tudo o que deseja, tudo o que está em seu coração.

Contemplação (Vida e Missão)
De que forma a Palavra de Deus estará presente em seu dia? O que você deseja colocar em prática, segundo os ensinamentos de Jesus?

Bênção
O Senhor Jesus Cristo esteja ao meu lado para me sustentar,
Dentro de mim para me encorajar,
Diante de mim para me orientar,
Atrás de mim para me proteger,
Acima de mim para me abençoar.
Ele que vive e reina pelos séculos dos séculos. Amém.
Que a bênção de Deus Pai de amor e bondade desça sobre mim e sobre toda a humanidade, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.

Ir. Carmen Maria Pulga

Confira a Homilia dominical.Clique aqui

[apss_share]