Oração diária A filha de Jairo

14ª Semana Comum – Ano Litúrgico C

04 de julho de 2016

ORAÇÃO DO DIA

Pai, que minha resposta imediata aos apelos de meus semelhantes manifeste a veracidade do que proclamo por meio de palavras.

PRIMEIRA LEITURA: Os 2,16.17b-18.21-22

Leitura da Profecia de Oséias – Assim fala o Senhor: 16Eis que eu a vou seduzir, levando-a à solidão, onde lhe falarei ao coração; 17be ela aí responderá ao compromisso, como nos dias de sua juventude, nos dias da sua vinda da terra do Egito.
18Acontecerá nesse dia, diz o Senhor, que ela me chamará ‘Meu marido’, e não mais chamará ‘Meu Baal’. 21Eu te desposarei para sempre; eu te desposarei conforme as sanções da justiça e conforme as práticas da misericórdia. 22Eu te desposarei para manter fidelidade e tu conhecerás o Senhor.
– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

SALMO 144

 — Misericórdia e piedade é o Senhor.
— Misericórdia e piedade é o Senhor.

— Todos os dias haverei de bendizer-vos, hei de louvar o vosso nome para sempre. Grande é o Senhor e muito digno de louvores, e ninguém pode medir sua grandeza.

— Uma idade conta à outra vossas obras e publica os vossos feitos poderosos; proclamam todos o esplendor de vossa glória e divulgam vossas obras portentosas!

— Narram todos vossas obras poderosas, e de vossa imensidade todos falam. Eles recordam vosso amor tão grandioso e exaltam, ó Senhor, vossa justiça.

— Misericórdia e piedade é o Senhor, ele é amor, é paciência, é compaixão. O Senhor é muito bom para com todos, sua ternura abraça toda criatura

EVANGELHO: Mt 9,18-26

         – O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Mateus.
          – Glória a vós, Senhor.

18Enquanto Jesus estava falando, um chefe aproximou-se, inclinou-se profundamente diante dele, e disse: “Minha filha acaba de morrer. Mas vem, impõe tua mão sobre ela e ela viverá”.
19Jesus levantou-se e o seguiu, junto com os seus discípulos. 20Nisto, uma mulher que sofria de hemorragia há doze anos veio por trás dele e tocou a barra de seu manto. 21Ela pensava consigo: “Se eu conseguir ao menos tocar no manto dele, ficarei curada”. 22Jesus voltou-se e, ao vê-la, disse: “Coragem, filha! A tua fé te salvou”. E a mulher ficou curada a partir daquele instante.
23Chegando à casa do chefe, Jesus viu os tocadores de flauta e a multidão alvoroçada, 24e disse: “Retirai-vos, porque a menina não morreu, mas está dormindo”. E começaram a caçoar dele. 25Quando a multidão foi afastada, Jesus entrou, tomou a menina pela mão, e ela se levantou. 26Essa notícia espalhou-se por toda aquela região.

– Palavra da Salvação
– Glória a vós Senhor.

[apss_share]

Comentário do Evangelho

A tua fé te salvou. Dois milagres. Uma mulher com fluxo de sangue, cheia de fé, tocou na franja de seu manto e se curou. Jesus sente, e a ela se dirige com finíssima atenção, modelo para todas as pessoas com funções públicas: Coragem, filha, a tua fé te salvou. Outro milagre, o primeiro para o qual tinha sido chamado. A filha de um chefe de sinagoga tinha morrido. Jesus diz que ela estava dormindo e a levanta. Zombam dele, mas ele sabia o que estava dizendo e o que estava fazendo. Os milagres de Jesus são sinais do amor de Deus para com todas as suas criaturas, são sinais indicativos de como Deus gostaria que fosse este mundo. O mundo que ele criou já não é mais o mesmo por causa do demônio que introduziu o pecado, que teve como consequência a morte. Já não é mais o mesmo, mas é possível vencer a morte, vencendo o pecado, aprisionando o demônio. Jesus indica o caminho de tão grande tarefa, a luta contra o pecado do mundo.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2016’, Paulinas

LEITURA ORANTE

Oração Inicial
Mais uma vez, a Palavra de Deus nos convida a refletir sobre a fé. No gesto do homem que pede a Jesus que imponha as mãos sobre sua filha e no gesto da mulher que toca no manto de Jesus para ser curada, observamos que é pela fé que recebemos a vida do Senhor.
Oremos: “Espírito Divino, luz de Deus, vinde nos iluminar, para que possamos compreender o sentido profundo da Palavra de Deus. Fazei-nos discípulos missionários de Jesus, Caminho, Verdade e Vida, transformando nosso coração em terra boa, onde a Palavra produza frutos abundantes. Amém”.

Leitura (Verdade)
O que diz o texto? Quais são as duas curas realizadas por Jesus? Como elas acontecem? Podemos perceber elementos comuns entre elas? O que foi necessário para que as duas pessoas fossem curadas?
“Com variações próprias a cada evangelista, o nosso evangelho de hoje pertence à tríplice tradição. Entre a súplica do chefe da sinagoga por sua filha gravemente enferma, que é uma verdadeira profissão de fé, e a chegada à casa dele, há o relato da cura da mulher que, há doze anos, sofria com uma hemorragia. Para o imaginário religioso do mundo bíblico, perder sangue equivale a perder a vida, que é dom de Deus. Ao contrário de Marcos e Lucas, Mateus não menciona que a mulher tocou nas vestes de Jesus. O desejo dela será suficiente para que Jesus a declare curada. A fé dela não foi a causa da cura, mas a condição para receber a vida do Senhor e reconhecer a recuperação da vida como dom. É pela fé que se recebe a vida como dom. Ao chegar à casa do chefe da sinagoga, Jesus encontra um ambiente fúnebre. Para os cristãos que nasceram pela fé no Cristo ressuscitado, os ritos fúnebres perderam completamente sentido (1Ts 4,13-14), pois a morte era comparada ao sono, à espera do despertar da ressurreição. Jesus é quem toma a iniciativa de pegar a menina pela mão para despertá-la do sono. É o Senhor da vida que, ressuscitado, faz a nossa humanidade participante da sua vitória. É ele quem nos desperta do ‘sono’ para o dia da feliz ressurreição” (Reflexão de Pe. Carlos Alberto Contieri, sj, em “A Bíblia dia a dia”, Paulinas).

Meditação (Caminho)
“Estes dois episódios — uma cura e uma ressurreição — têm um único centro: a fé. A mensagem é clara, e pode resumir-se numa pergunta: acreditamos que Jesus nos pode curar e despertar da morte? Todo o Evangelho está escrito à luz desta fé: Jesus ressuscitou, venceu a morte, e por esta sua vitória também nós ressuscitaremos” (Papa Francisco).

Oração (Vida)
Apresente ao Senhor o apelo que brotou em seu coração e peça-lhe a graça de vivê-lo durante o dia. Faça a sua prece de agradecimento ou pedido.
“Jesus Cristo Ressuscitado, que rompes as cadeias da morte e estás acima das categorias de tempo e do espaço, ensina-nos que morrer não é o fim, mas passagem para a vida eterna. Aumenta nossa fé, fortalece nossa esperança e incentiva-nos à prática da caridade. Tu, que aos apóstolos reunidos no cenáculo ofereces o dom da paz, vem visitar nossos lares, afasta de nós todo tipo de vícios, falta de respeito e violência, e ajuda-nos a manter um clima de compreensão e diálogo renovador. Abençoa, Senhor Jesus, as famílias do mundo inteiro. Cuida de nossas crianças e jovens, move os governantes a defender os interesses do povo, criando mais empregos e melhores condições de saúde e segurança. Que todos nós, seguidores de Jesus Ressuscitado, possamos unir nossas forças e inteligência para a construção de uma sociedade fraterna, em que todos vivam como irmãos e amigos. Acolhe nossa prece, ó Cristo Ressuscitado, tu que vives com o Pai na unidade do Espírito Santo. Amém” (Oração composta pelo Pe. Luiz Miguel Duarte, sacerdote Paulino).

Contemplação (Vida e Missão)
Qual novo olhar nasceu em você a partir da Palavra? Quais apelos surgiram em seu coração? Que compromissos você deseja assumir em sua vida?

Bênção
– Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
– Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
– Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
– Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

[apss_share]