Oração diária, Santíssima Trindade - Mt 28,16-20

Na liturgia diária de hoje lemos o Evangelho: Mt 28,16-20

Solenidade da Santíssima Trindade. Nosso Deus é uma comunhão de três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo, que caminham conosco

Façamos a oração do dia: Senhor Jesus, que a contemplação da Trindade me predisponha para construir minha vida a partir deste modelo consumado de comunhão.

Santíssima Trindade – Ano Litúrgico B

Liturgia do dia 30 de maio de 2021

PRIMEIRA LEITURA: Dt 4,32-34.39-40  

Leitura do Livro do Deuteronômio:

Moisés falou ao povo, dizendo:

32“Interroga os tempos antigos que te precederam, desde o dia em que Deus criou o homem sobre a terra, e investiga, de um extremo ao outro dos céus, se houve jamais um acontecimento tão grande ou se ouviu algo semelhante.

33Existe, por ventura, algum povo que tenha ouvido a voz de Deus falando-lhe do meio do fogo, como tu ouviste, e tenha permanecido vivo?

34Ou terá jamais algum Deus vindo escolher para si um povo entre as nações, por meio de provações, de sinais e prodígios, por meio de combates, com mão forte e braço estendido, e por meio de grandes terrores, como tudo o que por ti o Senhor vosso Deus fez no Egito, diante de teus próprios olhos?

39Reconhece, pois, hoje, e grava-o em teu coração, que o Senhor é o Deus lá em cima no céu e cá embaixo na terra, e que não há outro além dele.

40Guarda

suas leis e seus mandamentos, que hoje te prescrevo, para que sejas feliz, tu e teus filhos depois de ti, e vivas longos dias sobre a terra que o Senhor teu Deus te vai dar para sempre”.

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

SALMO 33(32) 

— Feliz o povo que o Senhor escolheu por sua herança.

— Feliz o povo que o Senhor escolheu por sua herança.

— Reta é a palavra do Senhor,/ e tudo o que ele faz merece fé./ Deus ama o direito e a justiça,/ transborda em toda a terra a sua graça.

— A palavra do Senhor criou os céus,/ e o sopro de seus lábios, as estrelas./ Ele falou e toda a terra foi criada,/ ele ordenou e as coisas todas existiram.

— Mas o Senhor pousa o olhar sobre os que o temem,/ e que confiam esperando em seu amor,/ para da morte libertar as suas vidas/ e alimentá-los quando é tempo de penúria.

— No Senhor nós esperamos confiantes,/ porque ele é nosso auxílio e proteção!/ Sobre nós venha, Senhor, a vossa graça,/ da mesma forma que em vós nós esperamos!

SEGUNDA
LEITURA:  Rm 8,14-17 

Leitura da Carta de São Paulo aos Romanos:

Irmãos: 14Todos aqueles que se deixam conduzir pelo Espírito de Deus são filhos de Deus.

15De fato, vós não recebestes um espírito de escravos, para recairdes no medo, mas recebestes um espírito de filhos adotivos, no qual todos nós clamamos: Abá, ó Pai!

16O próprio Espírito se une ao nosso espírito para nos atestar que somos filhos de Deus.

17E, se somos filhos, somos também herdeiros, herdeiros de Deus e coerdeiros de Cristo; se realmente sofremos com ele, é para sermos também glorificados com ele.

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

EVANGELHO: Mt 28,16-20

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 16os onze discípulos foram para a Galileia, ao monte que Jesus lhes tinha indicado.

17Quando viram Jesus, prostraram-se diante dele. Ainda assim alguns duvidaram.

18Então Jesus aproximou-se e falou: “Toda a autoridade me foi dada no céu e sobre a terra. 19Portanto,

ide e fazei discípulos meus todos os povos, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, 20e ensinando-os a observar tudo o que vos ordenei! Eis que eu estarei convosco todos os dias, até ao fim do mundo”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

COMENTÁRIO DO EVANGELHO

Jesus se despede. Os Onze estão com ele na Galileia, alguns ainda inseguros. Será ele mesmo? Jesus se aproxima e lhes diz com tranquilidade e firmeza: “Foi-me dada autoridade. Vão e façam com que toda as nações se tornem discípulos, batizando-as em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Ensinem a observar o que ordenei. Estou com vocês até o fim dos tempos”. Jesus manda batizar em nome da Santíssima Trindade.

Ouvimos claramente os três nomes, Pai, Filho e Espírito, mas não ouvimos a palavra Trindade. Esta é uma palavra da nossa teologia. O que Jesus queria dizer ao mencionar os três nomes divinos? Com o passar do tempo, rezando e refletido, os cristãos afirmaram sua fé num só Deus em três Pessoas, o Pai, o Filho e o Espírito Santo. E com palavras imperfeitas falaram da perfeição de Deus. Não somos capazes de dizer quem ele é e como é, mas nós o experimentamos em suas manifestações de amor. Na Carta aos Romanos, Paulo fala do Espírito de Deus, do Pai e de Cristo.

Somos filhos de Deus porque nos deixamos conduzir pelo Espírito de Deus. Não temos medo de nada, não somos escravos, mas filhos, e no Espírito clamamos pelo Pai. Somos filhos e os filhos são herdeiros. O herdeiro por excelência é Cristo. Com ele somos co-herdeiros. No Deuteronômio vemos os sinais da presença de Deus na história, professamos que não há outro além dele e nos dispomos a guardar os seus mandamentos.

O Senhor é o Deus lá em cima nos céus e cá embaixo na terra. Seu grande sinal foi tirar o povo da escravidão e levá-lo para a liberdade. É assim que o povo o reconhece: “Ele nos tirou da escravidão do Egito”. O grande sinal visível da presença de Deus no mundo, sinal revelador de quem é Deus e do que quer, é a pessoa de Jesus Cristo, o Homem de Nazaré, o Verbo Encarnado. Seus contemporâneos o viram, ouviram, tocaram, sentiram.

Hoje, assim como nunca vimos a Deus, já não o vemos de modo sensível. Sabemos dele pelo que nos deixaram seus contemporâneos. Lemos os escritos e os interpretamos à luz da fé e da tradição. Olhamos para Deus a partir do nosso mundo, a partir do que sabemos de Jesus Cristo. Falamos de Deus com uma linguagem simbólica, com imagens semelhantes ao que queremos dizer e ao mesmo tempo diferentes. Falamos de Deus, que não se pode pegar, que não é uma realidade sensível e mensurável.

Não imaginemos um só Deus que muda de aparência quando se revela, apresentando-se uma vez como Pai, outra como Filho e outra ainda como Espírito. São três pessoas realmente distintas entre si, o que não significa que sejam três, semelhantes a três de nós quando estamos juntos. Não somos triteístas. As pessoas divinas não podem ser contadas nem somadas. Elas são Um ser e ao mesmo tempo Três sem serem multiplicados. Um não é subordinado ao outro, e os Três são sempre o único Deus presente.

Podemos imaginar o Pai porque ele fala e tem um rosto, assim como o Filho. O Espírito, por sua vez, nem fala nem tem rosto. É o Vento que é sentido e não se pega. Conhecemos a história de Santo Agostinho na praia vendo uma criança que, com uma conchinha, queria pôr toda a água do mar num buraquinho na areia. O buraquinho é a nossa cabeça, e Deus é a água do mar. Não podemos defini-lo nem imaginá-lo, mas podemos saboreá-lo.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2021’, Paulinas

LEITURA ORANTE

Oração Inicial

Solenidade da Santíssima Trindade. Nosso Deus é uma comunhão de três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo, que caminham conosco e nos ensinam a viver a comunhão. Com fé, celebremos a liturgia deste dia especial e abramos o nosso coração para a escuta da Palavra.

Oremos: “Divino Espírito Santo, necessitamos muito de vossa ajuda para conhecer o caminho que devemos seguir. Temos necessidade de Vós, para que o nosso coração, inundado pela vossa consolação, se abra e que, muito além das palavras e dos conceitos, possamos perceber a vossa presença. Iluminai a nossa mente, movei o nosso coração, para que esta meditação produza em nós frutos de vida. Amém.”

Leitura (Verdade)

Qual é o contexto do Evangelho de hoje? Quais personagens surgem durante a narrativa? Qual é o ensinamento de Jesus? Quais são as orientações de Jesus aos discípulos?

“Concluído o ciclo pascal, a Igreja coloca diante de nós o mistério da Santíssima Trindade. A palavra “mistério” significa coisa admirável, tão grandiosa que não conseguimos entender. Não se trata de um muro que esconde a realidade, mas de uma janela que se abre para o infinito de Deus. Após vivermos as alegrias pascais, a Igreja nos motiva com o mistério da Trindade, um Deus em três pessoas distintas: Pai, Filho e Espírito Santo. Deus não é para ser entendido, mas amado. Esta festa nos traz a consciência de que somos templos da Trindade. A dimensão da Igreja é trinitária e, em seu nome, precisamos anunciar, a todos, tudo o que Jesus nos ensinou. Jesus concluiu sua obra, o Reino agora passa pelas nossas mãos.”

Meditação (Caminho)

Hoje somos convidados a contemplar o Mistério de comunhão e de amor. Foi o próprio Jesus que nos fez conhecer o Pai e Espírito Santo. Este mistério de amor eterno de Deus para com seu povo. A Igreja nos ensina iniciar nossas ações e nosso dia com o sinal da cruz. Eu faço essa prática com devoção e fé ou na rotina?

Oração (Vida)

Eu vos adoro, Trindade beatíssima, com devoção e profundo respeito e Vos dou graças por nos haverdes revelado tão glorioso e inefável mistério.
Humildemente Vos suplico me concedais que, perseverando até à morte nesta crença, possa ver e glorificar no céu o que firmemente creio na terra: um Deus em três pessoas distintas Pai, Filho e Espírito Santo. Amém

Contemplação (Vida e Missão)

Traçar com piedade e fé o Sinal da cruz sobre nosso corpo é uma sugestão prática de honrar a Trindade Santa.

Bênção

– Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
– Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
– Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
– Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

AJUDE A MANTER O SITE NO AR !

Nosso site tem uma divida mensal e a cada dia está mais difícil manter o site no ar. Doe qualquer valor e você ira muito ajudar na manutenção e permanência do site no ar ! O seu gesto de amor ajudara muitos catequistas que visitam nosso site

FAÇA UMA DOAÇÃO DE QUALQUER VALOR

PIX CHAVE CPF: 16800472808
RESPONSAVEL: Anderson Roberto Fuzatto

ou

PIX CHAVE EMAIL: [email protected]
RESPONSAVEL: Anderson Roberto Fuzatto

Deus te abençoe !