Oração diária - Virgem Maria Mãe da Igreja - Jo 19,25-34

Na liturgia diária de hoje lemos o Evangelho: Jo 19,25-27

Caminhamos com Maria no mistério redentor de Cristo. Ela, que participou inteiramente da vida de Jesus – do nascimento à cruz e ressurreição

Façamos a oração do dia: Pela intercessão amorosa da Virgem Maria, fazei que a vossa Igreja se torne cada vez mais fecunda e se alegre pela santidade de seus filhos e filhas, atraindo para o seu convívio as famílias de todos os povos. 

Bem-aventurada Virgem Maria, Mãe da Igreja – Ano Litúrgico B

Liturgia do dia 24 de maio de 2021

PRIMEIRA LEITURA: Gn 3,9-15.20  

Leitura do Livro do Gênesis.

9O Senhor Deus chamou Adão, dizendo: “Onde estás?” 10E ele respondeu: “Ouvi tua voz no jardim, e fiquei com medo porque estava nu; e me escondi”. 11Disse-lhe o Senhor Deus: “E quem te disse que estavas nu? Então comeste da árvore, de cujo fruto te proibi comer?” 12Adão disse: “A mulher que tu me deste por companheira, foi ela que me deu do fruto da árvore, e eu comi”.

13Disse o Senhor Deus à mulher: “Por que fizeste isso?” E a mulher respondeu: “A serpente enganou-me e eu comi”. 14Então o Senhor Deus disse à serpente: “Porque fizeste isso, serás maldita entre todos os animais selvagens! Rastejarás sobre o ventre e comerás pó todos os dias da tua vida! 15Porei

inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e a dela. Esta te ferirá a cabeça e tu lhe ferirás o calcanhar”. 20E Adão chamou à sua mulher “Eva”, porque ela é a mãe de todos os viventes.

— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.

Ou (escolhe-se uma das leituras)

Primeira Leitura (At 1,12-14)

12Depois que Jesus subiu ao céu, os apóstolos voltaram para Jerusalém, vindo do monte das Oliveiras, que fica perto de Jerusalém, a mais ou menos um quilômetro. 13Entraram na cidade e subiram para a sala de cima, onde costumavam ficar. Eram Pedro e João, Tiago e André, Filipe e Tomé, Bartolomeu e Mateus, Tiago, filho de Alfeu, Simão Zelota e Judas, filho de Tiago. 14Todos eles perseveravam na oração em comum, junto com algumas mulheres, entre as quais Maria, mãe de Jesus, e com os irmãos de Jesus.

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

SALMO 87(86)

— Dizem coisas gloriosas da Cidade do Senhor.

— Dizem coisas gloriosas da Cidade do Senhor.

— O Senhor ama a cidade que fundou no Monte santo; ama as portas de Sião mais que as casas de Jacó.

Dizem coisas gloriosas da Cidade do Senhor. De Sião, porém, se diz: “Nasceu nela todo homem; Deus é sua segurança”.

— Deus anota no seu livro, onde inscreve os povos todos: “Foi ali que estes nasceram”. Por isso todos juntos a cantar se alegrarão; e, dançando, exclamarão: “Estão em ti as nossas fontes!”

EVANGELHO: Jo 19,25-27

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 25perto da cruz de Jesus, estavam de pé a sua mãe, a irmã da sua mãe, Maria de Cléofas, e Maria Madalena.

26Jesus, ao ver sua mãe e, ao lado dela, o discípulo que ele amava, disse à mãe: “Mulher, este é o teu filho”. 27Depois disse ao discípulo: “Esta é a tua mãe”. Daquela hora em diante, o discípulo a acolheu consigo.

28Depois disso, Jesus, sabendo que tudo estava consumado, e para que a Escritura se cumprisse até o fim, disse: “Tenho sede”.

29Havia

ali uma jarra cheia de vinagre. Amarraram numa vara uma esponja embebida de vinagre e levaram-na à boca de Jesus. 30Ele tomou o vinagre e disse: “Tudo está consumado”. E, inclinando a cabeça, entregou o espírito.

31Era o dia da preparação para a Páscoa. Os judeus queriam evitar que os corpos ficassem na cruz durante o sábado, porque aquele sábado era dia de festa solene. Então pediram a Pilatos que mandasse quebrar as pernas aos crucificados e os tirasse da cruz.

32Os soldados foram e quebraram as pernas de um e depois do outro que foram crucificados com Jesus.

33Ao se aproximarem de Jesus, e vendo que já estava morto, não lhe quebraram as pernas; 34mas um soldado abriu-lhe o lado com uma lança, e logo saiu sangue e água.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

COMENTÁRIO DO EVANGELHO

Iniciamos hoje a oitava semana do Tempo Comum com a celebração de Maria, Mãe da Igreja. “Esta celebração, explica o Cardeal Sarah, recorda a todos os discípulos de Cristo que é preciso enraizar a nossa vida sobre três realidades: na cruz, na hóstia e na Virgem.

Estes são os três mistérios que Deus deu ao mundo para estruturar, fecundar, santificar a nossa vida interior e para nos conduzir a Jesus Cristo. São três mistérios a contemplar no silêncio.” Com Maria, contemplamos em silêncio tudo o que diz respeito a seu Filho, Jesus. Pregado na cruz, antes de morrer, ele entregou o discípulo a Maria, sua mãe. “Eis o teu filho”, disse Jesus a Maria.

O discípulo não tem nome. Ele é simplesmente “aquele que Jesus amava”. A ele Jesus disse: “Eis a tua mãe”. A Mãe Maria e o filho discípulo, um cuida do outro e os dois se querem bem. Naquele momento, aos pés da cruz, estavam todos os discípulos de todos os tempos representados pelo discípulo que Jesus amava.

Naquele momento, Maria se tornava oficialmente Mãe da Igreja. Aos pés da cruz, Maria é a Senhora das Dores, porque compreende as dores do discípulo e é por ele amparada. Continuaremos a leitura do Evangelho de Marcos nos domingos depois da Santíssima Trindade até o fim do ano litúrgico, com uma interrupção para a leitura do capítulo sexto de São João. Durante a semana faremos a leitura contínua do Evangelho de Marcos, de Mateus e de Lucas.

LEITURA ORANTE

Oração Inicial

Na primeira segunda-feira após Pentecostes, a Igreja celebra a memória da Virgem Maria Mãe da Igreja, um título que tem raízes profundas, e que foi inserido no Calendário Litúrgico em 2018, por desejo do Papa Francisco.
Caminhamos com Maria no mistério redentor de Cristo. Ela, que participou inteiramente da vida de Jesus – do nascimento à cruz e ressurreição –, nos ajuda a caminhar na esperança e na união, como Igreja, povo de Deus.

Oremos: Ajudai, ó Mãe, a nossa fé. Abri o nosso ouvido à Palavra, para reconhecermos a voz de Deus e a sua chamada. Despertai em nós o desejo de seguir os seus passos, saindo da nossa terra e acolhendo a sua promessa. Ajudai-nos a deixar-nos tocar pelo seu amor, para podermos tocá-Lo com a fé.

Leitura (Verdade)

Leia atentamente o Evangelho. Quem está aos pés da cruz? O que Jesus diz à sua mãe e deixa como legado?

“O Evangelho de João é o único a registrar mulheres próximas à cruz de Jesus. Os três Evangelhos sinóticos dizem que elas olhavam de longe. É igualmente João o único que registra a presença da mãe de Jesus. Ela tinha aparecido, no início dos sinais em Caná, e agora reaparece quando o Evangelho se encaminha para o seu final. Nesse momento dramático, a humanidade ganhou a mãe. João, representando toda a comunidade cristã do passado e do presente, acolhe Maria em sua casa. A cristandade não é mais órfã. A devoção a Maria – a mais santa das criaturas – faz parte da identidade católica. Aquelas mulheres, as últimas a deixar o calvário, serão as primeiras a chegar ao túmulo vazio na madrugada do terceiro dia.”

Meditação (Caminho)

O que o texto diz para mim? Que caminho o Evangelho de hoje me aponta?
Medite a palavra que mais tocou seu coração e proponha-se a viver no caminho de Jesus, junto com Maria sua mãe.

Oração (Vida)

Deus, Pai de misericórdia, vosso filho, pregado na cruz, nos deu por mãe a sua Mãe. Pela intercessão amorosa da Virgem Maria, fazei que a vossa Igreja se torne cada vez mais fecunda e se alegre pela santidade de seus filhos e filhas, atraindo para o seu convívio as famílias de todos os povos. Por nosso Senhor Jesus Cristo.
Senhor Jesus, que eu seja sensível à angústia e aos sofrimentos do meu próximo, e ajuda-me a devolver-lhe a alegria de viver.

Contemplação (Vida e Missão)

Nesta Solenidade, elevemos “nosso pensamento a Maria. Ela estava lá, com os apóstolos, quando veio o Espírito Santo, protagonista com a primeira comunidade da admirável experiência de Pentecostes, e rezemos a ela para que obtenha para a Igreja o ardente espírito missionário”.

Nestas palavras proferidas no domingo no Regina Coeli, quando reencontrou os fiéis na Praça de São Pedro, o Papa Francisco enfatizou a estreita ligação entre o Espírito e Maria, entre a Solenidade do Pentecostes, portanto, e a memória de hoje da Bem-aventurada Virgem Maria Mãe da Igreja.

O Espírito Santo é a alma da Igreja e Maria sua esposa. A Igreja é o corpo místico de Cristo, Maria é a Mãe de Jesus que ele mesmo confia no alto da Cruz, a João, confiando ao mesmo tempo o apóstolo a Maria.

Bênção

À vossa proteção recorremos Santa Mãe de Deus. Não desprezeis as nossas súplicas em nossas necessidades, mas livrai-nos sempre de todos os perigos, ó Virgem gloriosa e bendita!”
Daí-nos a bênção ó Mãe querida!
Nossa Senhora Aparecida.

AJUDE A MANTER O SITE NO AR !

Nosso site tem uma divida mensal e a cada dia está mais difícil manter o site no ar. Doe qualquer valor e você ira muito ajudar na manutenção e permanência do site no ar ! O seu gesto de amor ajudara muitos catequistas que visitam nosso site

FAÇA UMA DOAÇÃO DE QUALQUER VALOR

PIX CHAVE CPF: 16800472808
RESPONSAVEL: Anderson Roberto Fuzatto

ou

PIX CHAVE EMAIL: [email protected]
RESPONSAVEL: Anderson Roberto Fuzatto

Deus te abençoe !