Liturgia diária - Domingo de Ramos - Mt 27,11-54

Pedido de ajuda !

EStimados irmãos venho aqui pedir a sua ajuda se possível for. Inicio do ano o site estava com uma divida de 4 mil reais e agora ja esta a 6 mil. Pra complicar minha situação tenho pai acamado e desde dia 29/03 minha filhinha de 1 ano e 3 meses esta internada com probs respiratorio. (são gemeas uma esta internada e a outra estou cuidando em casa) Por isso tenho atrasado as liturgias. Diante das dificuldades que todos estamos passando compreendo o qto esta dificil para todos, mas se vc tiver a possibilidade de ajudar com uma doação sera de muita ajuda para diminuir as dividas.

Clique aqui para doar R$ 10,00

Ou deposito no Itau: Anderson roberto Fuzatto – agencia 9098 conta corrente 20575-1

Ou Pic pay clique aqui

Domingo de Ramos e da Paixão do Senhor – Ano Litúrgico A

05 de abril de 2020

Deseja ler a liturgia diária do dia 04 de abrilClique aqui

ORAÇÃO DO DIA

Pai, ajuda-me a descobrir, na morte de Jesus, um testemunho consumado de sua liberdade, e de fidelidade a ti e ao teu Reino.

PRIMEIRA LEITURA:  Is 50,4-7

Leitura do Livro do profeta Isaías – 4O Senhor Deus deu-me língua adestrada, para que eu saiba dizer palavras de conforto à pessoa abatida; ele me desperta cada manhã e me excita o ouvido, para prestar atenção como um discípulo. O Senhor abriu-me os ouvidos; não lhe resisti nem voltei atrás.
6Ofereci as costas para me baterem e as faces para me arrancarem a barba; não desviei o rosto de bofetões e cusparadas. 7Mas o Senhor Deus é meu Auxiliador, por isso não me deixei abater o ânimo, conservei o rosto impassível como pedra, porque sei que não sairei humilhado

  • Palavra do Senhor.
    – Graças a Deus.

SALMO  22(21) 

        — Meu Deus, meu Deus, por que me abandonastes?
— Meu Deus, meu Deus, por que me abandonastes?

— Riem de mim todos aqueles que me vêem,/ torcem os lábios e sacodem a cabeça:/ Ao Senhor se confiou, ele o liberte/ e agora o salve, se é verdade que ele o ama!

— Cães numerosos me rodeiam furiosos/ e por um bando de malvados fui cercado./ Transpassaram minhas mãos e os meus pés/ e eu posso contar todos os meus ossos.

— Eles repartem entre si as minhas vestes/ e sorteiam entre eles minha túnica./ Vós, porém, ó meu Senhor, não fiqueis longe,/ ó minha força, vinde logo em meu socorro!

— Anunciarei o vosso nome a meus irmãos/ e no meio da assembleia hei de louvar-vos!/ Vós que temeis ao Senhor Deus, dai-lhe louvores,/ glorificai-o, descendentes de Jacó!

SEGUNDA LEITURA: Fl 2,6-11

Leitura da Carta de São Paulo aos Filipenses – 6Jesus Cristo, existindo em condição divina, não fez do ser igual a Deus uma usurpação, 7mas ele esvaziou-se a si mesmo, assumindo a condição de escravo e tornando-se igual aos homens. Encontrado com aspecto humano, 8humilhou-se a si mesmo, fazendo-se obediente até a morte, e morte de cruz.
9Por isso, Deus o exaltou acima de tudo e lhe deu o Nome que está acima de todo nome. 10Assim, ao nome de Jesus, todo joelho se dobre no céu, na terra e abaixo da terra, 11e toda língua proclame: “Jesus Cristo é o Senhor”, para a glória de Deus Pai. – Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

EVANGELHO: Mt 27,11-54

       – O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Mateus.
          – Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 1Jesus e seus discípulos aproximaram-se de Jerusalém e chegaram a Betfagé, no monte das Oliveiras. Então Jesus enviou dois discípulos, 2dizendo-lhes: “Ide até o povoado que está ali na frente, e logo encontrareis uma jumenta amarrada, e com ela um jumentinho. Desamarrai-a e trazei-os a mim! 3Se alguém vos disser alguma coisa, direis: ‘O Senhor precisa deles’, mas logo os devolverá’”.
4Isso aconteceu para se cumprir o que foi dito pelo profeta: 5Dizei à filha de Sião: Eis que o teu rei vem a ti, manso e montado num jumento, num jumentinho, num potro de jumenta”.
6Então os discípulos foram e fizeram como Jesus lhes havia mandado. 7Trouxeram a jumenta e o jumentinho e puseram sobre eles suas vestes, e Jesus montou. 8A numerosa multidão estendeu suas vestes pelo caminho, enquanto outros cortavam ramos das árvores, e os espalhavam pelo caminho. 9As multidões que iam na frente de Jesus e os que o seguiam, gritavam: “Hosana ao Filho de Davi! Bendito o que vem em nome do Senhor! Hosana no mais alto dos céus!”
10Quando Jesus entrou em Jerusalém a cidade inteira se agitou, e diziam: “Quem é este homem?” 11E as multidões respondiam: “Este é o profeta Jesus, de Nazaré da Galileia”.

  • Palavra da Salvação
    – Glória a vós Senhor.

[apss_share]

Comentário do Evangelho

Jesus entra em Jerusalém. Que ele entre em nossa cidade também, em nossa casa, em nossa vida. Foi acolhido com aparente triunfo. Vamos acolhê-lo com verdadeira alegria. Fora da cidade, ele fixará uma ponte, deste mundo para o outro. Ele é pontífice e mediador entre a terra e o céu. Chegou a sua hora de passar deste mundo para o Pai. Fixou a ponte de passagem e a deixou aberta para nós. Hoje comemoramos com ramos a entrada de Jesus em Jerusalém e sua morte na cruz.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2020’, Paulinas

LEITURA ORANTE

Oração Inicial
Entro em oração como de costume e recolho-me para meditar e orar sobre o Evangelho deste dia. Durante as cinco semanas da Quaresma preparamos nosso coração pela oração, pelo jejum, penitência e pela caridade. Hoje, nos unimos a todos os fiéis cristãos, para celebrar a Semana Santa, em preparação à Páscoa de Nosso Senhor. Para realizar o mistério de sua morte e ressurreição, Jesus entrou em Jerusalém, montado num jumento, a montaria dos pobres e humildes. Uma multidão acolhe Jesus com reverência e ardor, aclamando-o com ramos de oliveira. Preparo-me em oração para entender melhor esse Evangelho.
“Meu Senhor e meu Pai! Envia teu Santo Espírito para que eu compreenda e acolha tua Santa Palavra! Que eu Te conheça e Te faça conhecer, Te ame e Te faça amar, Te sirva e Te faça servir, Te louve e Te faça louvar por todas as criaturas. Faze, ó Pai, que pela leitura da palavra os pecadores se convertam, os justos perseverem na graça e todos consigamos a vida eterna. Amém”.

Leitura (Verdade)
“Estamos iniciando a Grande Semana, aquela que chamamos santa. Num primeiro momento podemos supor que o sofrimento de Jesus está no centro desta semana. Na realidade é a semana de amor. Jesus não escolheu o sofrimento, escolheu o amor e, em força deste amor, aceitou o sofrimento e assumiu os pecados do mundo. Na densidade destes dias, encontramos os mais diversos sentimentos humanos: a aclamação do povo com ramos e mantos, a traição de Judas e a maligna determinação dos sumos sacerdotes e escribas. Encontramos também a contradição humana: a aclamação e a condenação por parte do povo. Encontramos, sobretudo, o amor infinito do Filho de Deus, um amor mais forte que a morte; um amor que jamais volta atrás.(Viver a Palavra – 2020. Frei Aldo Colombo – Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)
O que este caminho de dor e condenação de Jesus fala para você? Que sentido eu dou à minha cruz e aos meus sofrimentos? Sinto-me discípulo(a) de meu Mestre quando o sofrimento me surpreende? Acredito no infinito amor de Deus na Paixão e Morte de Jesus?

Oração (Vida)
Alma de Cristo, santificai-me.
Corpo de Cristo, salvai-me.
Sangue de Cristo, inebriai-me.
Água do lado de Cristo, lavai-me.
Paixão de Cristo, confortai-me.
Ó Bom Jesus, ouvi-me.
Dentro das vossas chagas, escondei-me.
Não permitais que eu me separe de Vós.
Do espírito maligno defendei-me.
Na hora da morte,
Na hora da morte chamai-me.
E mandai-me ir para Vós,
Para que com Vossos Santos Vos louve
Por todos os séculos dos séculos, Amém.
Contemplação (Vida e Missão)
Contemplo todo o caminho de Jesus e proponho-me acompanhar a semana santa como se fosse a primeira vez.

Bênção
Benção da Paixão – O Pai de misericórdia, que vos deu um exemplo de amor na paixão de seu filho, vos conceda pela vossa dedicação a Deus e ao próximo, a graça de sua benção. R. Amém – O Cristo, cuja morte vos libertou da morte eterna, conceda-vos receber o dom da vida. R. Amém. – Tendo seguido o dom da humildade deixada pelo Cristo, participeis igualmente de sua ressurreição. R Amém.

Ir. Carmen Maria Pulga

[apss_share]