Liturgia diária A paz esteja convosco - Jo 20,19-31

Oitava da Páscoa – Ano Litúrgico A

19 de abril de 2020

Deseja ler a liturgia diária do dia 18 de abrilClique aqui

ORAÇÃO DO DIA

Pai, abre todas as portas que me mantém fechado no medo e na insegurança, para que eu vá ao encontro do mundo a ser evangelizado.

PRIMEIRA LEITURA: At 2,42-47

Leitura dos Atos dos Apóstolos – Os que se haviam convertido 42eram perseverantes em ouvir o ensinamento dos apóstolos, na comunhão fraterna, na fração do pão e nas orações.
43E todos estavam cheios de temor por causa dos numerosos prodígios e sinais que os apóstolos realizavam. 44Todos os que abraçavam a fé viviam unidos e colocavam tudo em comum; 45vendiam suas propriedades e seus bens e repartiam o dinheiro entre todos, conforme a necessidade de cada um.
46Diariamente, todos frequentavam o Templo, partiam o pão pelas casas e, unidos, tomavam a refeição com alegria e simplicidade de coração. 47Louvavam a Deus e eram estimados por todo o povo. E, cada dia, o Senhor acrescentava ao seu número mais pessoas que seriam salvas.

  • Palavra do Senhor.
    – Graças a Deus.

SALMO 118(117)

          — Dai graças ao Senhor, porque Ele é bom;/ eterna é a sua misericórdia!
— Dai graças ao Senhor, porque Ele é bom;/ eterna é a sua misericórdia!

— A casa de Israel agora o diga:/ “Eterna é a sua misericórdia!”/ A casa de Aarão agora o diga:/ “Eterna é a sua misericórdia!”/ Os que temem o Senhor agora o digam:/ “Eterna é a sua misericórdia!”

— Empurram-me, tentando derrubar-me,/ mas veio o Senhor em meu socorro./ O Senhor é minha força e o meu canto,/ e tornou-se para mim o Salvador./ “Clamores de alegria e de vitória/ ressoem pelas tendas dos fiéis”.

— “A pedra que os pedreiros rejeitaram/ tornou-se agora a pedra angular.”/ Pelo Senhor é que foi feito tudo isso:/ Que maravilhas ele fez a nossos olhos!/ Este é o dia que o Senhor fez para nós,/ alegremo-nos e nele exultemos!

SEGUNDA LEITURA: 1Pd 1,3-9

Leitura da Primeira Carta de São Pedro – 3Bendito seja Deus, Pai de nosso Senhor Jesus Cristo. Em sua grande misericórdia, pela ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos, ele nos fez nascer de novo, para uma esperança viva, 4para uma herança incorruptível, que não se mancha nem murcha, e que é reservada para vós nos céus.
5Graças à fé, e pelo poder de Deus, vós fostes guardados para a salvação que deve manifestar-se nos últimos tempos. 6Isto é motivo de alegria para vós, embora seja necessário que agora fiqueis por algum tempo aflitos, por causa de várias provações.
7Deste modo, a vossa fé será provada como sendo verdadeira — mais preciosa que o ouro perecível, que é provado no fogo — e alcançará louvor, honra e glória no dia da manifestação de Jesus Cristo.
8Sem ter visto o Senhor, vós o amais. Sem o ver ainda, nele acreditais. Isso será para vós fonte de alegria indizível e gloriosa, 9pois obtereis aquilo em que acreditais: a vossa salvação.

  • Palavra do Senhor.
    – Graças a Deus.

EVANGELHO: Jo 20,19-31

         – O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Mateus.
          – Glória a vós, Senhor.

19Ao anoitecer daquele dia, o primeiro da semana, estando fechadas, por medo dos judeus, as portas do lugar onde os discípulos se encontravam, Jesus entrou e, pondo-se no meio deles, disse: “A paz esteja convosco”.
20Depois dessas palavras, mostrou-lhes as mãos e o lado. Então os discípulos se alegraram por verem o Senhor.
21Novamente, Jesus disse: “A paz esteja convosco. Como o Pai me enviou, também eu vos envio”. 22E, depois de ter dito isso, soprou sobre eles e disse: “Recebei o Espírito Santo. 23A quem perdoardes os pecados, eles lhes serão perdoados; a quem os não perdoardes, eles lhes serão retidos”.
24Tomé, chamado Dídimo, que era um dos doze, não estava com eles quando Jesus veio. 25Os outros discípulos contaram-lhe depois: “Vimos o Senhor!” Mas Tomé disse-lhes: “Se eu não vir a marca dos pregos em suas mãos, se eu não puser o dedo nas marcas dos pregos e não puser a mão no seu lado, não acreditarei”.
26Oito dias depois, encontravam-se os discípulos novamente reunidos em casa, e Tomé estava com eles. Estando fechadas as portas, Jesus entrou, pôs-se no meio deles e disse: “A paz esteja convosco”.
27Depois disse a Tomé: “Põe o teu dedo aqui e olha as minhas mãos. Estende a tua mão e coloca-a no meu lado. E não sejas incrédulo, mas fiel”. 28Tomé respondeu: “Meu Senhor e meu Deus!” 29Jesus lhe disse: “Acreditaste, porque me viste? Bem-aventurados os que creram sem terem visto!”
30Jesus realizou muitos outros sinais diante dos discípulos, que não estão escritos neste livro. 31Mas estes foram escritos para que acrediteis que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus, e, para que, crendo, tenhais a vida em seu nome.

  • Palavra da Salvação
    – Glória a vós Senhor.

[apss_share]

Comentário do Evangelho

A Páscoa do Senhor produz efeitos e a comunidade cristã vai se solidificando, perseverante no ensinamento dos apóstolos, na comunhão fraterna, na fração do pão e nas orações. Os que abraçavam a fé viviam unidos e possuíam tudo em comum. Vendiam suas propriedades e seus bens. Repartiam o dinheiro entre todos, conforme a necessidade de cada um. Eram estimados por todo o povo e cresciam em número. Bendito seja Deus, o Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que pela ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos nos fez nascer de novo e nos guardou para a salvação. Isso é motivo de alegria para nós. Podemos estar aflitos por algum tempo, mas a nossa fé tem mais valor que o ouro testado no fogo. Sem termos visto o Senhor, nós o amamos. Sem que agora o estejamos vendo, cremos nele. Tomé quis vê-lo para acreditar, e viu. Seu testemunho fortifica a nossa fé.
Era o primeiro dia da semana. Jesus entrou, pôs-se no meio deles e desejou-lhes a paz. Os discípulos se alegraram por verem o Senhor. “Como o Pai me enviou, também eu vos envio.” Soprou, então, sobre eles e disse: “Recebei o Espírito Santo. A quem perdoardes os pecados, serão perdoados”. E os enviou como ele mesmo foi enviado pelo Pai. Disseram a Tomé: “Nós vimos o Senhor!”. Disse Tomé: “Não acreditarei”. Disse Jesus: “Não sejas incrédulo, mas crê!”. Disse Tomé: “Meu Senhor e meu Deus!”. Disse Jesus: “Creste porque me viste? Bem-aventurados os que não viram, e creram!”. Estes sinais foram escritos para crermos que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus, e, crendo, tenhamos a vida em seu nome. Jesus se colocou diante de Tomé e Tomé pôde contemplar a face de Jesus, que esteve morto e se deixou ver ressuscitado. Coloque-se também em silêncio na presença do Senhor, com tempo, para que ele olhe para você. Permita que Jesus alimente em seu coração o calor do amor e da ternura, para que brote de seu coração o fogo do amor divino que inflamará o coração dos outros. Entre com Tomé nas chagas do Senhor. Nelas você encontrará a divina misericórdia. São João Paulo II deu a este domingo o nome de Domingo da Divina Misericórdia.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2020’, Paulinas

LEITURA ORANTE

Oração Inicial

Segundo domingo da Páscoa e domingo da Divina Misericórdia. “Bendito sejas, Deus da vida, por este novo dia. Na comunhão do teu amor, renovas em nós a alegria da ressurreição de teu Filho. Na escuta da Palavra, recordamos a vitória de Jesus sobre a morte, a sua presença junto aos discípulos e o envio em missão.”
Neste início de nossa leitura orante, pedimos: “Vem, Espírito Santo! Faze-nos amar as Escrituras, para reconhecermos a voz viva de Jesus. Torna-nos humildes e simples, a fim de compreendermos os mistérios do Reino de Deus. Amém.”

Leitura (Verdade)
O que diz o texto? Leia-o atentamente e identifique seu contexto. Quais personagens estão presentes na narrativa? O que Jesus comunica aos seus discípulos? Quais palavras mais chamaram sua atenção durante a leitura? Quais expressões se repetem?
“[…] Há, no evangelho segundo João, no que concerne aos relatos da aparição do Ressuscitado, uma unidade de tempo: o primeiro dia da semana. O primeiro dia da semana é o primeiro dia da nova criação em Cristo, nosso Senhor; o dia em que a LUZ foi feita: ‘A luz brilha nas trevas’ (Jo 1,5). Todos os relatos da aparição do Senhor ressuscitado são uma catequese sobre a ressurreição. Eles apresentam didaticamente um itinerário através do qual se chega à fé na ressurreição de Jesus Cristo. São relatos que têm uma força simbólica evidente, isto é, eles extrapolam o tempo e o lugar de sua redação para ganhar uma validade permanente. A observação de que as portas do lugar onde os discípulos se encontravam estavam ‘fechadas’ e de que, mesmo assim, Jesus se colocou no meio deles nos quer fazer compreender que a presença do Ressuscitado é de outra natureza que não a física, o que exige para o reconhecimento da presença do Senhor não o exercício ótico, mas a abertura própria da fé. É no primeiro dia da semana, segundo o nosso texto, que o Espírito Santo é dado como sopro do Senhor (cf. v. 22).
A ausência de Tomé, sua objeção para crer e o relato da aparição do Ressuscitado a ele (vv. 26-28) nos permitem afirmar que a fé na ressurreição e no Ressuscitado é dada pela aceitação do testemunho: ‘Bem-aventurados os que não viram e creram’ (v. 29). É esta aceitação que permite ao discípulo, e a todos nós, experimentar os efeitos da ressurreição, qual seja, a paz e a alegria. Não há acesso imediato à ressurreição de Jesus Cristo, mas somente mediato, isto é, através do testemunho. Nesse sentido, a fé é eminentemente tradição” (Carlos Alberto Contieri, sj, em “A Bíblia dia a dia”, da Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)
O que o texto diz a você hoje? Qual mensagem o Evangelho comunica a sua vida? O que significam para você as palavras de Jesus: “A paz esteja convosco”, “Recebei o Espírito Santo”, “Não sejas incrédulo, mas crê!”, “Bem-aventurados os que não viram e creram”? Permita-se permanecer alguns instantes em silêncio, para compreender melhor este texto e sua aplicação em sua vida.
“Onde Jesus ressuscitado entra, todas as portas se abrem, desaparece todo medo, retornam a paz e a segurança. O Espírito que ressuscitou Jesus dos mortos a todos liberta dos temores e os transforma em anunciadores intrépidos da Palavra libertadora do Evangelho. Abra seu coração ao Espírito Consolador! Você sentirá como a força de Deus é mais poderosa que suas fraquezas humanas! Não se tranque no medo, na angústia, na depressão, no desamor. Experimente, como Paulo, o poder de Jesus ressuscitado: ‘Quem nos separará do amor de Cristo?’ (Rm 8,35)” (Trecho do livro “Ele está no meio de nós”, da Paulinas Editora).

Oração (Vida)
Agradeça tudo o que a Palavra lhe permitiu compreender e vivenciar do mistério de Cristo. Apresente ainda ao Senhor a oração que brotou em seu coração durante a leitura orante.
“Ó Deus de eterna misericórdia, que reacendeis a fé do vosso povo na renovação da festa pascal, aumentai a graça que nos destes. E fazei que compreendamos melhor o batismo que nos lavou, o espírito que nos deu nova vida e o sangue que nos redimiu. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. Amém” (Oração da Coleta do Dia).

Contemplação (Vida e Missão)
Qual novo olhar nasceu em você hoje, a partir da Palavra? Que apelos o Evangelho de hoje lhe faz? Que compromissos você deseja assumir?

Bênção
Benção da saúde:

  • O Senhor esteja convosco.
  • Ele esta entre nós.
  • Oremos: Senhor nosso Deus, que enviastes vosso Filho ao mundo para carregar as nossas enfermidades e levar sobre si as nossas dores, nós vos suplicamos por todas as pessoas doentes para que com a paciência fortalecida e a fé renovada superem a doença por vossa benção e voltem a gozar saúde por vossa ajuda.
  • Por Cristo Nosso Senhor.
  • Amém.
  • Deus de toda a consolação , que cuida de todas as criaturas, vos dê a sua benção.
    Amém.
    Ir. Carmen Maria Pulga

[apss_share]