Liturgia diária A parábola da figueira - Lc 21,29-33
Faça uma doação de qualquer valor e ajude a manter o site no ar !

PIX CHAVE EMAIL: doacao@catequizar.com.br
RESPONSAVEL: Anderson Roberto Fuzatto

Na liturgia diária de hoje lemos o Evangelho: Lc 21,29-33

Nem a noite nem o inverno são definitivos; a vida vence a morte. Em meio a tantas palavras vazias, Jesus garante que as suas palavras não passarão.

Façamos a oração do dia: Pai, reforça a sinceridade de minha fé nas palavras de teu Filho Jesus, pois nele o teu Reino se faz presente na nossa história, realizando, assim, tua promessa de salvação.

34ª Semana do Tempo Comum – Ano Litúrgico A

Liturgia do dia 27 de novembro de 2020

PRIMEIRA LEITURA:  Ap 20,1-4.11-21,2

Leitura do Livro do Apocalipse de São João – Eu, João, 20,1vi um anjo descer do céu. Nas mãos tinha a chave do Abismo e uma grande corrente. 2Ele agarrou o Dragão, a antiga Serpente, que é o Diabo, Satanás. Acorrentou-o por mil anos 3e lançou-o dentro do Abismo. Depois, trancou e lacrou o Abismo, para que o Dragão não seduzisse mais as nações da terra, até que terminassem os mil anos. Depois dos mil anos, o Dragão deve ser solto, mas por pouco tempo.

4Vi então tronos, e os seus ocupantes sentaram-se e receberam o poder de julgar. Vi também as almas daqueles que foram decapitados por causa do Testemunho de Jesus e da Palavra de Deus

e aqueles que não tinham adorado a besta, nem a imagem dela, nem tinham recebido na fronte ou na mão a marca da besta. Eles voltaram a viver, para reinar com Cristo durante mil anos.
11Vi ainda um grande trono branco e aquele que estava sentado nele. O céu e a terra fugiram da sua presença e não se achou mais o lugar deles.

 12Vi também os mortos, os grandes e os pequenos, em pé diante do trono. Foram abertos livros, e mais um outro livro ainda: o livro da vida. Então foram julgados os mortos, de acordo com sua conduta, conforme está escrito nos livros.

13O mar devolveu os mortos que se encontravam nele. A morte e a morada dos mortos entregaram de volta os seus mortos. E cada um foi julgado conforme sua conduta. 14A morte e a morada dos mortos foram então lançados no lago de fogo. Esta é a segunda morte: o lago de fogo. 

15Quem não tinha o seu nome escrito no livro da vida foi também lançado no lago de fogo. 21,1Vi então um novo céu e uma nova terra.

Pois o primeiro céu e a primeira terra passaram, e o mar já não existe. 2Vi a cidade santa, a nova Jerusalém, que descia do céu, de junto de Deus, vestida qual esposa enfeitada para o seu marido. – Palavra do Senhor.
– Graças a Deus

SALMO 84(83) 

— Eis a tenda de Deus, no meio do povo!
— Eis a tenda de Deus no meio do povo!

— Minha alma desfalece de saudades e anseia pelos átrios do Senhor! Meu coração e minha carne rejubilam e exultam de alegria no Deus vivo!

— Mesmo o pardal encontra abrigo em vossa casa, e a andorinha ali prepara o seu ninho, para nele seus filhotes colocar: vossos altares, ó Senhor Deus do universo! Vossos altares, ó meu Rei e meu Senhor!

— Felizes os que habitam vossa casa; para sempre haverão de vos louvar! Felizes os que em vós têm sua força, caminharão com um ardor sempre crescente.

EVANGELHO:  Lc 21,29-33

– O Senhor esteja convosco.
– Ele está no meio de

nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Lucas
– Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 29Jesus contou-lhes uma parábola: “Olhai a figueira e todas as árvores. 30Quando vedes que elas estão dando brotos, logo sabeis que o verão está perto. 31Vós também, quando virdes acontecer essas coisas, ficai sabendo que o Reino de Deus está perto. 32Em verdade, eu vos digo: tudo isso vai acontecer antes que passe esta geração. 33O céu e a terra passarão, mas as minhas palavras não hão de passar.

– Palavra da Salvação
– Glória a vós Senhor.

COMENTÁRIO DO EVANGELHO

As palavras de Jesus não passarão. Elas estarão sempre presentes em nosso mundo. Suas palavras foram ouvidas e transmitidas tanto oralmente quanto por escrito por aqueles que as recolheram. Palavras proferidas pela boca daquele que é a Palavra de Deus encarnada. Ele é a Palavra que sai da boca do Pai desde sempre, e da sua boca sai o sopro do Espírito que vem nos ensinar a perdoar.

A Palavra está presente no universo e é perceptível em inúmeros sinais que devemos interpretar. Pela figueira e outras plantas sabemos que o verão está perto. Os sinais dos tempos indicarão que o Reino de Deus está próximo. Diz o Concílio que “é dever da Igreja investigar a todo o momento os sinais dos tempos, e interpretá-los à luz do Evangelho, para que assim possa responder, de modo adaptado em cada geração, às eternas perguntas dos homens acerca do sentido da vida presente e da futura”.

A interpretação é uma graça que nos é dada pela revelação, a fim de, com Jesus, abrirmos a todos o caminho da salvação. O cristão é alguém “que sabe” pela revelação que lhe foi dada e pelo esforço inteligente que faz para compreender o mundo em que vive, e assim prestar um bom serviço a toda a humanidade, porque, diz ainda o Concílio, “muitos dos nossos contemporâneos são incapazes de discernir os valores verdadeiramente permanentes e de os harmonizar com os recém-descobertos”.

LEITURA ORANTE

Oração Inicial

Procuremos um lugar silencioso para iniciar a nossa leitura orante e peçamos ao Espírito Santo a graça de compreender o mistério da vida de Cristo que a Palavra hoje nos apresenta, convidando-nos a viver como seus discípulos. Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém!

“Vinde, Espírito Santo, enchei os corações de vossos fiéis e acendei neles o fogo do vosso amor. Enviai, Senhor, o vosso Espírito, e tudo será criado, e renovareis a face da terra. Oremos: Senhor, nosso Deus, que pela luz do Espírito Santo instruístes o coração dos vossos fiéis, fazei-nos dóceis ao mesmo Espírito, para apreciarmos o que é justo e nos alegrarmos sempre com a sua presença. Por Cristo, nosso Senhor. Amém.”

Leitura (Verdade)

O que diz o texto bíblico? Leia o Evangelho quantas vezes julgar necessário, com bastante calma e atenção. Durante a leitura, destaque os verbos que aparecem no texto. Qual é a compreensão possível para a parábola da figueira?

“Ao longo dos caminhos de Jesus surgiam trigais, áreas pastoris e muitas árvores frutíferas, especialmente a figueira. Ela caminha da vida para a morte aparente, mas recobra seu vigor. Jesus pede olhar para a figueira, com seus brotos cheios de esperança e seus frutos maduros.

Ela indica as mudanças das estações. Jesus nos orienta a entender outros sinais, distribuídos ao longo da história. Deus fala através deles, mesmo nas contradições de nossa história. João XXIII pedia para perceber os “sinais dos tempos” e a mensagem que Deus nos envia através deles. Nem a noite nem o inverno são definitivos; a vida vence a morte. Em meio a tantas palavras vazias, Jesus garante que as suas palavras não passarão.” 

Meditação (Caminho)

O que o texto diz para mim?
Que caminhos o Senhor lhe indica? Releia o Evangelho com muita atenção, permitindo que a Palavra se misture com a sua vida. Deixe que o Senhor, por meio dela, toque profundamente sua mente e coração. Escute o Senhor e Mestre de sua vida.

Oração (Vida)

O que o texto o(a) leva a dizer a Deus? Impelido(a) por tudo aquilo que escutou do Senhor, conte a Ele o que deseja. Faça a sua oração entregando-lhe tudo que é e tem. Apresente a Deus, Pai de amor bondade, suas intenções e preces.

Contemplação (Vida e Missão)

Sintetize em poucas palavras o apelo que você sentiu em seu coração, para colocá-lo em prática durante o dia. O que você se propõe a viver? Como pretende atingir esse propósito?

Bênção

O Senhor Jesus Cristo esteja ao meu lado para me sustentar,
Dentro de mim para me encorajar,
Diante de mim para me orientar,
Atrás de mim para me proteger,
Acima de mim para me abençoar.
Ele que vive e reina pelos séculos dos séculos. Amém.
Que a bênção de Deus Pai de amor e bondade desça sobre mim e sobre toda a humanidade, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.

Confira a Homilia dominical.Clique aqui