Oração diária, Ninguém põe remendo de pano novo em roupa velha - Mt 9,14-17

13ª Semana do Tempo Comum – Ano Litúrgico C

07 de julho de 2019

ORAÇÃO DO DIA

Pai, dá-me suficiente bom senso para reconhecer o que corresponde ao projeto de Jesus, sem querer misturá-lo com esquemas incompatíveis com a novidade do Reino.

PRIMEIRA LEITURA: Gn 27,1-5.15-29

Leitura do livro do Gênesis – 1Isaac envelhecera e seus olhos enfraqueceram-se, de modo que não podia ver. Chamou Esaú, seu filho primogênito, e disse-lhe: “Meu filho!” ” Eis-me aqui!”, respondeu ele. 2Isaac disse: “Tu vês, estou velho e não sei quando vou morrer. 3Toma as tuas armas, tua aljava e teu arco, vai ao campo e mata-me uma caça. 4Prepara-me depois um prato suculento, como sabes que gosto, e traze-mo para que o coma e minha alma te abençoe antes que eu morra.” 5(Ora, Rebeca ouviu atentamente enquanto Isaac falava ao seu filho Esaú.) E Esaú partiu para o campo, a fim de matar e trazer a caça. 15Escolheu as mais belas vestes de Esaú, seu filho primogênito, que tinha em casa, e revestiu com elas Jacó, seu filho mais novo. 16Cobriu depois suas mãos, assim como a parte lisa do pescoço, com a pele dos cabritos, 17e pôs-lhe nas mãos o prato suculento e o pão que tinha preparado. 18Jacó foi para junto do seu pai e disse-lhe: “Meu pai!” “Eis-me aqui! Quem és, meu filho?” 19Jacó respondeu: “Eu sou Esaú, teu primogênito; fiz o que me pediste. Levanta-te, assenta-te e come de minha caça, a fim de que tua alma me abençoe.

  • Palavra do Senhor.
    – Graças a Deus.

SALMO 134(135)

         — Louvai o Senhor, porque é bom!
— Louvai o Senhor, porque é bom!

— Louvai o Senhor, bendizei-o; louvai o Senhor, servos seus, que celebrais o louvor em seu templo e habitais junto aos átrios de Deus!

— Louvai o Senhor, porque é bom; cantai ao seu nome suave! Escolheu para si a Jacó, preferiu Israel por herança.

— Eu bem sei que o Senhor é tão grande, que é maior do que todos os deuses. Ele faz tudo quanto lhe agrada, nas alturas dos céus e na terra, no oceano e nos fundos abismos.

EVANGELHO: Mt 9,14-17

        – O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
          – Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Mateus.
          – Glória a vós, Senhor.

         Naquele tempo, 14Então os discipulos de João, dirigindo-se a ele, perguntaram: “Por que jejuamos nós e os fariseus, e os teus discípulos não?” 15Jesus respondeu: Podem os amigos do esposo afligir-se enquanto o esposo está com eles? Dias virão em que lhes será tirado o esposo. Então eles jejuarão.16Ninguém põe um remendo de pano novo numa veste velha, porque arrancaria uma parte da veste e o rasgão ficaria pior. 17Não se coloca tampouco vinho novo em odres velhos; do contrário, os odres se rompem, o vinho se derrama e os odres se perdem. Coloca-se, porém, o vinho novo em odres novos, e assim tanto um como outro se conservam. 

  • Palavra da Salvação
    – Glória a vós Senhor.

[apss_share]

Comentário do Evangelho

Os discípulos de João Batista jejuavam, os discípulos dos fariseus também. Os de Jesus, não. Por quê? Essa pergunta foi feita a Jesus pelos discípulos de São João Batista. A resposta de Jesus aos discípulos de João aponta para uma comunidade livre de espaços e observâncias. Jesus disse à samaritana, no Evangelho de João, que o Pai quer adoradores em espírito e verdade, não presos a normas e lugares, seja de Jerusalém, seja da Samaria. Os discípulos de Jesus jejuarão quando tiverem que jejuar. Impulsionados e iluminados pelo Espírito de Sabedoria, saberão o que fazer em cada tempo e lugar. Farão o que o discernimento da vontade de Deus lhes disser. Sempre houve pessoas que se juntaram em torno de religiosos de destaque. Entre nós se fala atualmente em Comunidades de Aliança. Tais grupos costumam ter práticas que os caracterizam, de pequenos gestos rituais a grandes obras sociais de solidariedade humana. João formou com seus discípulos uma Comunidade de Aliança, que existiu até o início dos tempos apostólicos. Jesus também tinha em torno de si uma comunidade. É a esta comunidade que damos o nome de Igreja.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2019’, Paulinas.

LEITURA ORANTE

Oração Inicial
Memória litúrgica de Santa Maria Goretti, virgem e mártir. No início deste novo dia, queremos, no encontro com o Senhor por meio da leitura orante, entregar a Ele tudo o que iremos viver. Peçamos as luzes e graças necessárias para o nosso dia e, silenciando nosso coração, façamos pausadamente a oração: “Espírito Santo, necessitamos de vossa ajuda para conhecer o caminho que devemos seguir”.

Leitura (Verdade)
O que diz o texto? Observe o contexto do relato evangélico: lugares, pessoas e acontecimentos. Quais são as imagens utilizadas por Jesus? Qual tema perpassa a discussão dos personagens? De que jejum trata o Evangelho?
“Trata-se da controvérsia de Jesus com os discípulos de João sobre o jejum. É difícil imaginar que se trate do jejum prescrito pela Lei por ocasião da festa do perdão dos pecados (Lv 16,29-31; 23,27-32), mas sim das práticas devocionais do partido dos fariseus que eles visavam impor como obrigatórias para todo o povo. Dos fariseus sabemos que jejuavam duas vezes por semana (Lc 18,12), porém, da prática dos discípulos de João, não temos nenhuma informação. Seja como for, a resposta de Jesus situa a questão noutra perspectiva. Na plenitude dos tempos (Gl 4,4), a questão do jejum encontra sentido em referência à presença ou ausência do Messias. A imagem da festa de casamento para simbolizar os tempos messiânicos é atestada no Antigo Testamento (Is 61,10; 62,5). Ainda que a metáfora do Messias como esposo não se encontre nos textos vetero-testamentários, a ideia que essas imagens transmitem é o que importa: as práticas penitenciais devocionais para apressar a vinda do Messias são obsoletas, pois ele já se encontra presente. O jejum recebe, no novo tempo, um sentido cristológico: quando o Messias for tirado, referência à morte de Jesus, aí será o tempo de jejuar. Para essa novidade é que as duas parábolas (vv. 16.17) convidam a abrir-se” (Carlos Alberto Contieri, sj, em “A Bíblia dia a dia”, da Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)
O que o texto diz a você hoje? Qual palavra do Evangelho encontrou sintonia com a sua vida, com as suas atitudes? Quais sentimentos o texto despertou em você? Permaneça por alguns instantes em silêncio e procure sintetizar em poucas palavras o apelo que a Palavra de Deus despertou em seu coração.
“Quantas vezes queremos consertar as coisas, mas não vamos à raiz dos problemas? Ficamos fazendo remendos aqui e acolá e não atingimos, de fato, a situação como ela deveria ser encarada. Remendo novo em pano velho não suporta a pressão e rasga. Vinho novo em odres velhos não suporta a pressão e estoura. Quem quiser mudar de vida ou ajudar alguém a fazê-lo precisa ter a coragem de colocar o dedo na ferida e pedir ao Espírito Santo as luzes necessárias para resolver as problemáticas que a vida vai colocando em nossos caminhos. Que sejamos pessoas novas e renovadas, sem remendos nem barris velhos! Em Cristo, pela força do nosso batismo, somos novas criaturas!” (Frei Mário Sérgio Souza, em “Viver a Palavra”, da Paulinas Editora).

Oração (Vida)
Neste dia em que recordamos Santa Maria Goretti, rezemos por todas as pessoas que morrem defendendo a vida e a dignidade. Rezemos também pelas pessoas que lutam pela dignidade das mulheres, crianças, idosos e vítimas da violência, exploração e discriminação. Conclua fazendo uma prece de gratidão pelas luzes que a Palavra de Deus lhe revelou.

Contemplação (Vida e Missão)
A prática do jejum necessita estar em profunda relação com a conversão interior, que nos abre para Deus e para os irmãos. Como você pretende viver concretamente, durante o dia, os apelos que o Senhor lhe revelou?

Bênção

  • Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
  • Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
  • Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
  • Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

Paulinas

[apss_share]