Oração diária A ação do Espírito Santo

20º Domingo Comum – Ano Litúrgico C

14 de agosto de 2016

ORAÇÃO DO DIA

Pai, que o batismo de Jesus, por sua morte de cruz, purifique-me de todo pecado e de toda maldade, como um fogo ardente, abrindo o meu coração totalmente para ti.

PRIMEIRA LEITURA: Jr 38,4-6.8-10

Leitura do Livro do Profeta Jeremias:

Naqueles dias, 4disseram os príncipes ao rei: “Pedimos que seja morto este homem; ele anda com habilidade lançando o desânimo entre os combatentes que restaram na cidade e sobre todo o povo, dizendo semelhantes palavras; este homem, portanto, não se propõe o bem-estar do povo, mas sim a desgraça”. 5Disse o rei Sedecias: “Ele está em vossas mãos; o rei nada vos poderá negar”. 6Agarraram então Jeremias e lançaram-no na cisterna de Melquias, filho do rei, que havia no pátio da guarda, fazendo-o descer por meio de cordas. Na cisterna não havia água, somente lama; e assim ia-se Jeremias afundando na lama. 8Ebed-Melec saiu da casa do rei e veio ter com ele, e falou-lhe: 9“Ó rei, meu senhor, muito mal procederam esses homens em tudo o que fizeram contra o profeta Jeremias, lançando-o na cisterna para aí morrer de fome; não há mais pão na cidade”. 10O rei deu, então, esta ordem ao etíope Ebed-Melec: “Leva contigo trinta homens e tira da cisterna o profeta Jeremias, antes que morra”.

– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

SALMO

— Socorrei-me, ó Senhor, vinde logo em meu auxílio!
— Socorrei-me, ó Senhor, vinde logo em meu auxílio!

— Esperando, esperei no Senhor,/ e inclinando-se,/ ouviu meu clamor.

— Retirou-me da cova da morte/ e de um charco de lodo e de lama./ Colocou os meus pés sobre a rocha,/ devolveu a firmeza a meus passos.

— Canto novo ele pôs em meus lábios,/ um poema em louvor ao Senhor./ Muitos vejam, respeitem, adorem/ e esperem em Deus,/ confiantes.

— Eu sou pobre, infeliz, desvalido,/ porém, guarda o Senhor minha vida,/ e por mim se desdobra em carinho./ Vós me sois salvação e auxílio:/ vinde logo, Senhor, não tardeis!

SEGUNDA LEITURA: Hb 12,1-4

Leitura da Carta aos Hebreus:

Irmãos: 1Rodeados como estamos por tamanha multidão de testemunhas, deixemos de lado o que nos pesa e o pecado que nos envolve. Empenhemo-nos com perseverança no combate que nos é proposto, 2com os olhos fixos em Jesus, que em nós começa e completa a obra da fé. Em vista da alegria que lhe foi proposta, suportou a cruz, não se importando com a infâmia, e assentou-se à direita do trono de Deus. 3Pensai pois naquele que enfrentou uma tal oposição por parte dos pecadores, para que não vos deixeis abater pelo desânimo. 4Vós ainda não resististes até ao sangue na vossa luta contra o pecado.

– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

EVANGELHO: Lc 12,49-53 

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: 49Eu vim para lançar fogo sobre a terra, e como gostaria que já estivesse aceso! 50Devo receber um batismo, e como estou ansioso até que isto se cumpra! 51Vós pensais que eu vim trazer a paz sobre a terra? Pelo contrário, eu vos digo, vim trazer divisão. 52Pois, daqui em diante, numa família de cinco pessoas, três ficarão divididas contra duas 53e duas contra três; ficarão divididos: o pai contra o filho e o filho contra o pai; a mãe contra a filha e a filha contra a mãe; a sogra contra a nora e a nora contra a sogra”.

– Palavra da Salvação
– Glória a vós Senhor.

[apss_share]

Comentário do Evangelho

Fogo sobre a terra e batismo, Jesus deseja com ansiedade que as duas coisas comecem já a acontecer. Batismo, ele deve ainda receber. Olhamos então para frente e não para trás. Não se trata do batismo de João, embora João tenha anunciado um batismo no Espírito Santo e no fogo. Pela frente temos o batismo de sangue no madeiro erguido sobre o mundo. Os dois termos, batismo e fogo, são paralelos, o que indica que os sentidos se completam. Estamos falando da renovação da face da terra pela Paixão, Morte e Ressurreição de Jesus.
O Dia do Senhor é o Dia de Cristo, dia de purificação dolorosa. Espírito e fogo fazem pensar na experiência dolorosa e purificadora do amor. Paulo dirá aos coríntios que se alguém constrói sobre o fundamento que é Jesus Cristo, com ouro, prata, pedras preciosas, madeira, feno ou palha, a obra de cada um será posta em evidência. O Dia torná-la-á conhecida, pois ele se manifestará pelo fogo e o fogo provará o que vale a obra de cada um. Se a obra construída sobre o fundamento subsistir, o operário receberá uma recompensa. Aquele, porém, cuja obra for queimada perderá a recompensa. Ele mesmo, entretanto, será salvo, mas como que através do fogo.
O Dia de Cristo é tanto o dia da sua morte na cruz quanto o dia de sua vinda na glória. Nesse dia o mundo passa pelo julgamento do fogo e Jesus recebe seu batismo. Batismo aqui é a palavra que engloba todos os elementos da Paixão: sofrimento, rejeição, morte e ressurreição. No batismo de fogo Deus intervém purificando as consciências. Ao perguntar a Tiago e João se podiam beber o cálice que Jesus ia beber e serem batizados com o batismo que Jesus ia ser batizado, o cálice e o batismo são colocados em paralelo recebendo o mesmo significado de sofrimento purificador. A vinda do Espírito sobre toda a humanidade é consequência da morte sacrifical de Cristo na cruz, quando se instaura um julgamento de purificação sobre o mundo no momento de seu batismo de sangue.
Antes de assentar-se à direita do trono de Deus, Jesus suportou a cruz e não se importou com a infâmia. Tiago e João, que queriam sentar-se à direita e à esquerda de Jesus no céu, não pensaram que para ter alguma parte com Jesus deviam passar pelo mesmo batismo de fogo, sem que isso significasse aquisição de direito a lugares na eternidade de Deus. Jesus é sinal de contradição e sua presença faz com que se revelem os pensamentos dos corações. A ruptura da paz pela divisão mesmo entre os familiares é consequência de uma opção. A divisão mostra quem são os comprovados, não quem são os melhores ou os primeiros, e sim quem não se condena na decisão que tomou. Foi uma decisão errada que introduziu o pecado no mundo.
A paz será fruto da justiça resultante de um esforço que pode ser chamado de luta. Se o objetivo final permanece o mesmo, a discordância é temporária. Se os que se desentendem já não querem a mesma coisa, então a discórdia é completa. Rompe-se a paz e a caridade. A paz existe quando todos concordam com os meios para se alcançar o mesmo fim. A caridade se mantém quando o fim último é mantido. Paz perfeita dificilmente se encontra entre nós.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2016’, Paulinas.

LEITURA ORANTE

Oração Inicial
Liturgia do 20º domingo do Tempo Comum e do Dia dos Pais. Também iniciamos hoje a Semana Nacional da Família, com o tema: “Misericórdia na família: dom e missão”. Neste início da nossa leitura orante, peçamos ao Espírito Santo a graça de compreendermos o mistério da vida de Cristo que hoje a Palavra nos apresenta.
Rezemos: “Senhor Jesus, dá-me um coração simples para compreender a riqueza de ensinamentos escondida em tua Palavra. Envia teu Espírito Santo para que eu não tenha medo de escutá-la e vivê-la conforme a tua vontade. Que a Palavra transforme o meu coração por meio da fé e da confiança que eu deposito em ti. Amém.”

Leitura (Verdade)
O que diz o texto? A quem Jesus está instruindo? Qual é o seu ensinamento? Qual é o significado do fogo, no contexto do relato bíblico? Por que Jesus diz que veio trazer a divisão? Qual é o significado da palavra “divisão”, no contexto da narrativa?
“Comecemos por dizer que Jesus não promove a guerra nem a destruição. A linguagem do evangelho, muitas vezes enigmática para o homem moderno, precisa ser decodificada para fazer emergir o seu sentido. ‘Fogo’ refere-se ao batismo de Jesus (Lc 3,16). No texto do batismo, o termo ‘fogo’ é utilizado para explicar a natureza da ação do Espírito Santo, a saber, purificação e julgamento. A morte de Jesus é também considerada como um fogo que dividirá e dispersará os seus próprios discípulos. Na morte de Jesus os homens serão julgados e eles mesmos reconhecerão a sua iniquidade (Lc 23,48). A lealdade a Jesus está acima de qualquer compromisso humano com a defesa de interesses particulares, escondidos, muitas vezes, atrás do argumento da defesa de Deus. Jesus não promove a guerra nem a discórdia. Os que o rejeitam é que perseguem e matam os que o aceitam. É preciso que o discípulo tenha consciência de que os laços afetivos verdadeiros, construídos no amor e tão caros para a saúde da humanidade, não podem ser impedimento nem servir de coação ao seguimento de Cristo e a uma vida segundo o Espírito, para quem, livremente, adere à vocação cristã. É preciso liberdade e desapego” (Reflexão de Pe. Carlos Alberto Contieri, sj, em “A Bíblia dia a dia”, Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)
Releia o Evangelho de hoje e o breve comentário ao texto. O que a Palavra diz a você? Quais questionamentos o texto bíblico lhe faz? Permita-se ter alguns instantes de silêncio, para que a Palavra de Deus provoque outros questionamentos e traga novas luzes à sua vida.

Oração (Vida)
Confiemos ao Senhor as nossas orações. Hoje, apresentemos a Ele os nossos pais, pedindo que o Senhor conceda a eles muitas graças. Peçamos ainda ao Senhor que o amor misericordioso seja vivido em cada lar.

Contemplação (Vida e Missão)
Com a Palavra de Deus na mente e no coração, qual atitude você se propõe a viver hoje?

Bênção
– Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
– Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
– Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
– Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

[apss_share]