Oração diária, Vede minhas mãos e meus pés - Lc 24,35-48

PRECISO MUITO TE AJUDA !
Divida desse mês é de R$ 514,00 (referente a mensalidade do servidor do site) Data para acertar o pagamento: 17/06
Valor arrecadado: R$ 104,89
FAÇA UMA DOAÇÃO DE QUALQUER VALOR
PIX CHAVE EMAIL: [email protected]
RESPONSAVEL: Anderson Roberto Fuzatto

Na liturgia diária de hoje lemos o Evangelho: Lc 24,35-48

Jesus aparece aos seus discípulos e lhes deseja a paz. Também os convida a crescer na fé para compreenderem tudo o que foi anunciado a seu respeito

Façamos a oração do dia: Ó Divino Espírito, ensina-me tudo quanto Jesus ensinou. Dá-me inteligência para entender; memória para lembrar; vontade dócil para praticar; coração generoso para corresponder aos teus convites.

3º Domingo da Páscoa – Ano Litúrgico B

Liturgia do dia 05 de abril de 2021

PRIMEIRA LEITURA:  At 3,13-15.17-19 

Leitura do Livro dos Atos dos Apóstolos:

Naqueles dias, Pedro se dirigiu ao povo, dizendo: 13“O Deus de Abraão, de Isaac, de Jacó, o Deus de nossos antepassados glorificou o seu servo Jesus. Vós o entregastes e o rejeitastes diante de Pilatos, que estava decidido a soltá-lo. 14Vós rejeitastes o Santo e o Justo, e pedistes a libertação para um assassino. 15Vós matastes o autor da vida, mas Deus o ressuscitou dos mortos, e disso nós somos testemunhas.

17E agora, meus irmãos, eu sei que vós agistes por ignorância, assim como vossos chefes. 18Deus, porém, cumpriu desse modo o que havia anunciado pela boca de todos os profetas: que o seu Cristo haveria de sofrer. 19Arrependei-vos, portanto, e convertei-vos, para que vossos pecados sejam

perdoados”.

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

SALMO 4

— Sobre nós fazei brilhar o esplendor de vossa face!

— Sobre nós fazei brilhar o esplendor de vossa face!

— Quando eu chamo, respondei-me, ó meu Deus, minha justiça!/ Vós, que soubestes aliviar-me nos momentos de aflição,/ atendei-me por piedade e escutai minha oração!

— Compreendei que nosso Deus faz maravilhas por seu servo,/ e que o Senhor me ouvirá quando lhe faço a minha prece!

— Muitos há que se perguntam: “Quem nos dá felicidade?”/ Sobre nós fazei brilhar o esplendor de vossa face!

— Eu tranquilo vou deitar-me e na paz logo adormeço,/ pois só vós, ó Senhor Deus, dais segurança à minha vida!

SEGUNDA LEITURA: 1Jo 2,1-5a 

Leitura da Primeira Carta de São João:

1Meus filhinhos, escrevo isto para que não pequeis. No entanto, se alguém pecar, temos junto do Pai um Defensor: Jesus Cristo, o Justo. 2Ele é a vítima de expiação pelos nossos pecados, e não só pelos nossos, mas também pelos pecados do mundo inteiro.

3Para saber que o conhecemos, vejamos se guardamos os seus mandamentos. 4Quem diz: “Eu conheço a Deus”, mas não guarda os seus mandamentos, é mentiroso, e a verdade não está nele. 5aNaquele, porém, que

guarda a sua palavra, o amor de Deus é plenamente realizado.

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

EVANGELHO: Lc 24,35-48 

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo, + segundo Lucas.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 35os dois discípulos contaram o que tinha acontecido no caminho, e como tinham reconhecido Jesus ao partir o pão. 36Ainda estavam falando, quando o próprio Jesus apareceu no meio deles e lhes disse: “A paz esteja convosco!”

37Eles ficaram assustados e cheios de medo, pensando que estavam vendo um fantasma. 38Mas Jesus disse: “Por que estais preocupados, e por que tendes dúvidas no coração? 39Vede minhas mãos e meus pés: sou eu mesmo! Tocai em mim e vede! Um fantasma não tem carne, nem ossos, como estais vendo que eu tenho”.

40E, dizendo isso, Jesus mostrou-lhes as mãos e os pés.

41Mas eles ainda não podiam acreditar, porque estavam muito alegres e surpresos. Então Jesus disse: “Tendes aqui alguma coisa para comer?” 42Deram-lhe um pedaço de peixe assado. 43Ele o tomou

e comeu diante deles.

44Depois disse-lhes: “São estas as coisas que vos falei quando ainda estava convosco: era preciso que se cumprisse tudo o que está escrito sobre mim na Lei de Moisés, nos Profetas e nos Salmos”.

45Então Jesus abriu a inteligência dos discípulos para entenderem as Escrituras, 46e lhes disse: “Assim está escrito: ‘O Cristo sofrerá e ressuscitará dos mortos ao terceiro dia, 47e no seu nome serão anunciados a conversão e o perdão dos pecados a todas as nações, começando por Jerusalém’. 48Vós sereis testemunhas de tudo isso”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

COMENTÁRIO DO EVANGELHO

Voltam os discípulos de Emaús, refazem o caminho, contam o que aconteceu, ainda falando, viram Jesus no meio deles. “A paz esteja com vocês” foram as palavras que soaram nos ouvidos da primeira comunidade reunida, mas ainda assustada e ao mesmo tempo alegre e surpresa. A paz é a concórdia ordenada. É a concordância de todos os que querem o mesmo fim em relação ao caminho. Paz para eles que estavam ainda com medo exatamente em relação ao fim.

O Senhor estava morto, sepultado e eles expostos à sanha dos inimigos. A paz esteja com vocês que não se sentem seguros mesmo com as portas fechadas. A paz esteja com vocês que devem anunciar, em nome de Jesus Cristo, “a conversão, para o perdão dos pecados, a todas as nações, começando por Jerusalém”. Cristo demonstra estar vivo e ser o mesmo de antes, pedindo alguma coisa para comer e aceitando um pedaço de peixe. A cena assim descrita deixa sempre a interrogação se o corpo ressuscitado necessita se alimentar.

Certamente, não. É Jesus quem toma a iniciativa de mostrar aos discípulos, com uma linguagem que eles pudessem compreender, que ele, Jesus, está vivo. Vendo-o comer, as dúvidas se desfazem. Um fantasma não come, ao menos no nosso imaginário. Certamente Jesus não comeu. Parecia comer, como o anjo Rafael ao viajar com Tobias. Viram o Senhor, receberam a paz, e receberam a incumbência de levar ao mundo o perdão dos pecados pela conversão. É o que Pedro imediatamente anuncia num sermão no templo: “Arrependei-vos e convertei-vos, para que vossos pecados sejam apagados”.


Os pecados perturbam a paz. Por isso, João escreve à sua comunidade: “Meus filhinhos, escrevo isto para que não pequeis”. E acrescenta, para o nosso consolo e para que não desanimemos: “No entanto, se alguém pecar, temos junto do Pai um Defensor: Jesus Cristo, o Justo”. Guardemos a sua palavra para que o amor de Deus se realize plenamente em nós. Se a paz é a tranquilidade da ordem, o pecado é algum tipo de desordem que precisa ser reordenado pela conversão.

Desejando a paz para nós mesmos e para os outros, desejamos também a remoção dos obstáculos capazes de impedi-la. Em nosso mundo de imperfeições, o desentendimento, em relação aos meios para chegar ao fim que queremos alcançar, perturba a paz que entre nós é sempre imperfeita. Daí a necessidade do diálogo e da compreensão das razões do outro. O melhor é quando o entendimento acontece sem busca de razões. É então espontâneo e caloroso. É amoroso. Ensina Santo Tomás que “é próprio dos amigos quererem e não quererem as mesmas coisas porque, quando amamos ao próximo como a nós mesmos, queremos satisfazer-lhe a vontade como se fosse a nossa própria”.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2021’, Paulinas

LEITURA ORANTE

Oração Inicial

Liturgia do terceiro domingo da Páscoa. Jesus aparece aos seus discípulos e lhes deseja a paz. Também os convida a crescer na fé para compreenderem tudo o que foi anunciado a seu respeito e tornarem-se testemunhas da ressurreição.
Os encontros com Jesus ressuscitado não são apenas relatos do passado, mas continuam acontecendo na nossa história, na nossa vida. Saibamos acolher o Senhor nos acontecimentos, nas pessoas, na meditação da sua Palavra, nos sacramentos.

Peçamos: “Vinde, Espírito Santo, e dai-nos o dom da sabedoria, para que possamos avaliar todas as coisas à luz da Palavra de Deus e ler nos acontecimentos da vida os projetos de amor do Pai. Amém

Leitura (Verdade)

Leia o texto pausadamente e procure imaginar a narrativa. Faça uma segunda leitura e destaque as palavras que mais chamaram sua atenção. Em que contexto Jesus se faz presente no meio dos discípulos? Qual mensagem o evangelista quer transmitir com a narrativa?

“O dia de Páscoa é único na história e está cheio de fatos surpreendentes. Os discípulos de Emaús retornam a Jerusalém, contando o encontro com o Ressuscitado. O próprio Jesus aparece e assume seu lugar no meio dos discípulos. Eles ainda duvidam, e Jesus mostra-lhes os sinais dos cravos. O Crucificado é o Ressuscitado. Ele havia terminado sua missão e, agora, passa a responsabilidade para os discípulos. Eles serão as testemunhas qualificadas. O fato de solicitar o anúncio da conversão a todo o mundo, até o fim dos tempos, significa que Jesus pensou também naqueles e naquelas que viriam depois e continuariam a anunciar o seu Nome. Vinte séculos depois, somos nós as testemunhas do Ressuscitado.” (Viver a Palavra – 2021. Frei Aldo Colombo – Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)

O que o texto diz para minha vida? Qual palavra o Espírito Santo me revela? Como eu acolho a comunicação de Jesus: “A paz esteja convosco”? Jesus também lhe pergunta: “Por que estais preocupados, e por que tendes dúvidas no coração?” Verbalize suas dúvidas e entregue-as Jesus, o Filho de Deus que assumiu a nossa humanidade.

Oração (Vida)

Este momento deixo meu coração falar com Deus. O quero lhe dizer?

Permaneça comigo, Senhor, abençoa meus projetos de trabalho, minha vontade de fazer o bem e, que tudo o que eu fizer até mesmo as pequenas gentilezas sejam um testemunho de minha sintonia com a tua proposta de autenticidade e de serviço em prol do teu reinado sobre toda a criação.
Rezo pelas necessidades de meu povo. Falo com Deus das fragilidades humanas (lembro as classes menos favorecidas, as que exercem responsabilidade com o povo).

Contemplação (Vida e Missão)

Qual é a aplicação da Palavra em sua vida? O que você se propõe viver? Como pretende atingir esse propósito?

Bênção

O Senhor Jesus Cristo esteja ao meu lado para me sustentar,
Dentro de mim para me encorajar,
Diante de mim para me orientar,
Atrás de mim para me proteger,
Acima de mim para me abençoar.
Ele que vive e reina pelos séculos dos séculos. Amém.
Que a bênção de Deus Pai de amor e bondade desça sobre mim e sobre toda a humanidade, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.

Confira a Homilia dominical.Clique aqui