Santo do dia e oração - Santo Antônio Maria Zacarias

AJUDE A MANTER O SITE NO AR !

Nosso site tem uma divida mensal e a cada dia está mais difícil manter o site no ar. Doe qualquer valor e você ira muito ajudar na manutenção e permanência do site no ar ! O seu gesto de amor ajudara muitos catequistas que visitam nosso site

FAÇA UMA DOAÇÃO DE QUALQUER VALOR

PIX CHAVE CPF: 16800472808
RESPONSAVEL: Anderson Roberto Fuzatto

ou

PIX CHAVE EMAIL: [email protected]
RESPONSAVEL: Anderson Roberto Fuzatto

Deus te abençoe !

Antonio Maria nasceu tradicional nobreza italiana em 1502. Era o filho único e foi educado pela mãe na vida cristã. Era conhecido por sua inteligência precoce e, ao mesmo tempo pela disposição à caridade e humildade.

Ao completar dezoito anos de idade doou toda sua herança para sua mãe, e foi estudar filosofia e medicina. Antonio Maria usava todo seu tempo para estudar e meditar. Ao invés se vestir como fidalgo preferia as roupas simples e comportava-se com humildade.

Depois de formado, exerceu a medicina junto ao povo, cuidando principalmente dos que não tinham recursos. Conta a tradição que, além de curar os males do corpo, ele confortava as tristezas da alma de seus pobres pacientes. Finalmente, em 1528, Antonio Maria ordenou-se sacerdote.

Fundou a congregação dos Clérigos Regulares de São Paulo, cujos membros ficaram conhecidos como “barnabitas”, pois a primeira casa da ordem foi erguida ao lado à igreja de São Barnabé, em Milão. Fundou também a congregação feminina das Angélicas de São Paulo e criou o Grupo de Casais, para os leigos.

Não tinha ainda completado os trinta e sete anos de idade, quando foi acometido por uma infecção. Sendo médico, ele sabia que a morte se aproximava, voltou então para

os braços da dedicada mãe Antonieta. Ele morreu, sob o teto da mesma casa onde nasceu, em 05 de julho de 1539.

Reflexão:

Ele é um santo de carne e osso, viveu, em seu tempo o drama e as preocupações dos homens de hoje. Era rico de família nobre, mas escolheu a pobreza e as vestes da penitência para servir melhor a Cristo e seus irmãos. Fez-se santo porque encontrou-se com Cristo. Ele exortava a todos para irem às ruas, às praças, como fazia Jesus, para levar o pão da verdade a este povo que tem fome de Deus. Dizia: “Deus deu ao homem uma capacidade intelectual que não tem fim e que nem pode acabar neste mundo; deu-lhe um desejo, que também não se acaba, de saborear a Deus e de experimentar a sua perfeição; deu-lhe uma insatisfação permanente em relação às coisas deste mundo e um desejo contínuo das coisas do céu” (Sermão 6).

Oração:

Santo Antonio Maria que desde menino tivestes imensa compaixão pelos pobres, inspirai nossas decisões para que escolhamos governantes cristãos e justos para defendê-los nesta vida. Visitai nosso

seminários e seminaristas e ajudai-os a crescer em santidade. Por Cristo Nosso Senhor. Amém.

Colaboração: Padre Evaldo César de Souza, CSsR